Empresa quer incluir as mulheres do mercado de Tecnologia da Informação

A empresa de consultoria Iteris decidiu dar um passo importante para reverter um quadro típico de muitos segmentos, especialmente, o de TI. Faltam mulheres trabalhando nas consultorias de tecnologia, embora sobrem muitas vagas. Segundo levantamento da Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), 76% dos profissionais desse mercado são homens, que ocupam quase todos os cargos de liderança – são 65% em posições de chefia.

As razões são culturais, do modelo mental produzido na Era Industrial e da pedagogia utilizada pelas famílias para educar as crianças. “Já na infância, as meninas são levadas a brincar de bonecas, enquanto os meninos recebem estímulos como carrinhos, brinquedos de montar e desmontar e jogos eletrônicos. Esse processo acaba estimulando preferências no início da fase adulta”, explica Marcelo Santos, sócio e um dos fundadores da Iteris. Além disso, uma carreira em TI também carrega estereótipos do nerd ou do geek, que traduzem valores, normalmente, rejeitados pelas meninas.

Mas distante de qualquer preconceito, o mercado de TI se desenvolve e cresce em todo o mundo, reservando muitas oportunidades, tanto para homens como para mulheres, que sonham com uma carreira sólida e bem remunerada. No geral, há um gargalo de profissionais. Ainda de acordo com a Brasscom, o Brasil forma 46 mil pessoas em tecnologia por ano, mas seriam necessárias 70 mil para suprir as necessidades do segmento.

Foi esse cenário que levou a Iteris realizar seu sexto Hackathon Decola – o primeiro exclusivo para mulheres. Denominado Vostok 6, em homenagem a Valentina Tereshkova, a primeira mulher a ir para o espaço, essa edição visa estimular a entrada delas no mercado de trabalho de tecnologia, além de capacitá-las com as principais competências exigidas pelas empresas.

“Uma das emergências de nossa sociedade é a questão da igualdade de gênero. As mais importantes lições de combate à pandemia de Covid-19 no mundo, por exemplo, vieram de mulheres. Quem soube lidar melhor com a crise? Foram as mulheres! Angela Merkel, chanceler da Alemanha, Jacinda Ardern, primeira-ministra da Nova Zelândia, Katrín Kakobsdóttir, primeira-ministra da Islândia, foram elogiadas pela mídia e opinião pública. Elas se tornaram referências de mulheres que se colocaram à frente para nos mostrar como gerenciar um caminho confuso para a humanidade”, analisa.

Mas o que isso significa? Para Santos, o mundo da Era Moderna, marcado por valores como força, resistência, competitividade, está ficando para trás. A nova ordem surge trazendo valores ligados à cultura feminina. A empatia se transformou na palavra da moda. Lembrando que para se colocar no lugar do outro, é preciso conhecê-lo, entender a sua realidade. E isso só é possível com amor ao próximo. 

“Definitivamente, a regeneração que o mundo precisa dependerá, cada vez mais, de acolhimento, solidariedade, compaixão, interdependência, que são valores femininos”, avalia.

Hackathon Decola

A sexta edição do Hackathon Decola oferece 10 vagas para trainees. Para participar, as candidatas, precisam estar matriculadas na graduação ou ensino técnico em cursos de tecnologia, com conclusão prevista entre junho de 2022 e dezembro de 2023, além de disponibilidade para estagiar das 9h às 16h.

As inscrições no processo seletivo vão até 22 de novembro. As candidatas que se enquadrarem, receberão um e-mail para realizar testes on-line. Esses filtros incluem Mapeamento de perfil, Social, Motivacional e Raciocínio Lógico e deverão ser preenchidos até o dia próximo dia 23.

As aprovadas serão convidadas a realizar um treinamento totalmente gratuito e on-line, focado nas principais linguagens de programação que serão avaliadas durante o Hackathon. As meninas vão ser agrupadas em equipes e deverão solucionar um problema comum do dia a dia da profissão. O desafio será avaliado virtualmente por uma comissão técnica e comportamental da Iteris.

As 10 primeiras colocadas serão contratadas e passarão por 10 semanas de treinamento técnico e comportamental. Após esse período elas serão direcionadas para um dos projetos da empresa, sempre atuando em clientes reais e orientadas pela liderança.

O início do trabalho está previsto para fevereiro 2021, das 9h às 16h, com 1h de almoço. O trabalho será home office, com bolsa auxilio de R$ 1.900 para graduação (tecnólogo ou bacharelado) e R$ 950 para ensino técnico.

Além disso, as novas colaboradoras terão benefícios como: assistência média premium; R$ 805 a serem divididos entre vale alimentação, vale refeição, vale combustível e plano odontológico. R$ 200 para aquisição de itens de home office (pagamento único). Inglês in company 100% custeado pela empresa. Acesso gratuito à plataforma de capacitação técnica Alura e Gympass.

“Esse Hackathon Decola para mulheres será o primeiro, de muitos que ainda pretendemos promover até que as mudanças em nosso setor sejam percebidas por todos”, conclui Marcelo Santos, sócio da Iteris.

Deixe uma resposta