Quem são as mulheres que investem em educação no Brasil?

Autonomia, ter um negócio próprio, tempo para família e dedicação aos filhos. Essas são algumas das razões que motivaram mulheres de várias partes do Brasil a optar pelo Supera na hora de empreender. As empresárias que comandam unidades pelo Brasil contribuem sobretudo com a assertividade dos processos o que reflete no sucesso da rede como um todo.

 “Entendemos que essa diversidade entre homens, mulheres e casais que estão à frente das unidades Supera é importantíssima para o nosso progresso como rede. Em especial as unidades que são comandadas por mulheres contam com tato e sensibilidade no trato diário da unidade. Percebemos nas nossas franqueadas uma capacidade incrível de empatia e fidelização dos alunos”, disse Ana Paula Lino, gerente de Expansão do Supera.

Motivações – O relatório Empreendedorismo Feminino no Brasil, que identificou o perfil das mulheres empreendedoras no Brasil lançado em 2019 mostrou que o empreendedorismo entre as mulheres é um desafio constante e considera, em muitos casos, a dedicação aos filhos e a priorização da família. O estudo mostrou ainda que em 2018, o Brasil teve a 7ª maior proporção de mulheres nos Empreendedores Iniciais (em 49 países). Em 2017, foi a 3ª maior.

Franqueadas são maioria

Em 2020 as mulheres foram as que mais adquiriram franquias da marca, um total de 22 novas unidades que vão ser comandadas por mulheres. Hoje elas são maioria entre os empresários franqueados Supera e responsáveis por 48% das mais de 400 unidades no Brasil; 24 % das unidades são comandas por casais e 27% por empresários.  A formação acadêmica precedente das empresárias que optam por empreender em uma franquia Supera são hoje um fator determinante para o sucesso da rede como um todo. Publicitárias, psicopedagogas, psicólogas, professoras, pedagogas, médicas, engenheiras, donas de casa e dentistas que apostaram no sonho de ter o próprio negócio e estão fazendo a diferença no segmento de educação na maior rede de ginástica para o cérebro da américa latina.

O sonho de empreender

 Ainda segundo o Sebrae, as mulheres são maioria entre os que empreendem por necessidade no Brasil. Além disso, 16% delas possuem escolaridade maior em comparação com os homens.

“Algumas mulheres encontram no empreendedorismo a chance de serem protagonistas, outras encontram a possibilidade de ampliar seus rendimentos, já que há muita desigualdade no mercado de trabalho, e claro: muitas delas buscam tempo de qualidade com a família, mais flexibilidade, o que não significa necessariamente que elas vão trabalhar menos”, concluiu Ana Paula.

Deixe uma resposta