Recolocação no mercado de trabalho passa pelo universo digital, diz especialista

Não é de hoje que o meio digital tem grande influência no mercado de trabalho. As pessoas e as empresas estão cada vez mais conectadas, o que requer atualização e qualificação nesse sentido. Com a pandemia e a necessidade de se fazer isolamento social, a digitalização se tornou prioridade e acelerou a demanda por profissionais capacitados para as chamadas profissões do futuro, que no geral são ligadas ao digital. No início do ano, o LinkedIn publicou um levantamento com 15 atividades profissionais emergentes, sendo que nove são relacionadas à tecnologia da informação.

“Já tínhamos uma tendência de várias empresas pedirem um vídeo, por exemplo, junto com o currículo para avaliarem a comunicação da pessoa. E até alguns processos seletivos foram feitos inteiramente por plataformas como Zoom e até chamadas de vídeo pelo WhatsApp, relata o economista Matheus Jacob, que também é mestre em filosofia com educação executiva internacional em Liderança, Comunicação, Retórica e Persuasão. Para um melhor resultado, os mínimos detalhes devem ser observados nas gravações de vídeos para as candidaturas, como escolher uma roupa e um cenário adequados ao contexto, evitar acessórios e ambientes chamativos e verificar questões técnicas de áudio, qualidade de imagem e iluminação.

Existe ainda nos processos de contratação online algumas etapas que envolvem dinâmicas, com tempo estipulado para as respostas, que visam avaliar competências como assertividade, carisma, agilidade e afins. Para o economista, é de extrema importância que as pessoas estejam aptas e preparadas para interagir no digital. “Cada vez mais o pessoal de recursos humanos, em uma série de vagas, tem a função de olhar as redes sociais dos candidatos, principalmente o LinkedIn. A presença nas redes sociais também tem que ser muito boa e passar uma imagem adequada”, destaca Jacob.

Afinal, os canais de interação social na internet podem contribuir ou atrapalhar quando o profissional está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho, por isso devem ser utilizados com cautela. “Hoje, cada vez mais essa imagem digital vai ser importante para a recolocação profissional. De certa forma, a imagem pessoal sempre foi relevante nas entrevistas e apresentações, além do layout e da qualidade do currículo, e isso passa a ser estendido para o universo digital, seja em redes sociais, vídeos gravados ou até mesmo em chamadas de vídeos”, completa o economista.

Deixe uma resposta