Plataforma digital de crédito imobiliário alcança R$ 1 bilhão em contratos de financiamento

Com o aquecimento do mercado imobiliário, o patamar mais baixo da história da Selic e apesar do cenário de pandemia de Covid-19, o ano de 2020 foi de forte crescimento e números recordes para a Melhortaxa.

Plataforma digital de crédito imobiliário do Brasil, cujos serviços de comparação de ofertas e intermediação com os bancos são gratuitos para o consumidor e 100% online, já ajudou milhares de famílias a fecharem contratos mais baratos que a média do mercado e acaba de chegar à marca de R$ 1 bilhão em financiamentos assinados. A Melhortaxa dobrou seu faturamento esse ano em relação a 2019 e prevê um resultado ainda melhor em 2021, com meta de triplicar sua receita.

No Brasil e no exterior, investidores estão apostando no avanço deste segmento. Entre eles, a Silver Lake – importante fundo global de investimentos em empresas de tecnologia –, que, no último mês de outubro, comprou a participação do Goldman Sachs na Meilleurtaux – maior plataforma online de comparação e intermediação de crédito na França –, incluindo a participação que a fintech francesa tem na Melhortaxa.

“De um modo geral, as fintechs brasileiras estão no radar dos fundos internacionais de investimento”, afirma Julien Desvergnes (foto abaixo), sócio e cofundador da Melhortaxa, que revela os resultados mais recentes da fintech: “Em 2020, a Melhortaxa recebeu mais de 60 mil pedidos online de crédito imobiliário, 160% a mais do que em 2019. A taxa de conversão também foi superior, com mais de R$ 300 milhões em contratos assinados. Nossa expansão no Brasil está acelerada e ainda existe muito espaço para crescimento”.

De janeiro até novembro, a plataforma contabilizou 150 mil usuários únicos, 130% a mais do que no mesmo período do passado. E as solicitações de portabilidade também não param de crescer: atingiram 30 mil até agora em 2020, sete vezes mais em relação aos números de 2019.

Inédito: média da taxa imobiliária para clientes da fintech cai abaixo de 7%

Não é à toa. Pela primeira vez na história, a taxa média dos contratos de crédito imobiliário com os 5 maiores bancos fechados para clientes através da Melhortaxa caiu para abaixo de 7% ao ano + TR. Em outubro chegou a 6,98% e em novembro, 6,96%. Para fins de comparação, em novembro de 2016 a taxa disparou para 11,24%, quando a Selic rondava o patamar entre 13% e 14%. De lá para cá, o movimento de queda das taxas foi gradual e constante, puxada pela maior competição entre os bancos e os lançamentos recentes de novas linhas prefixadas e indexadas ao IPCA e à inflação.

Além da forte queda da Selic, que passou de 6,5% ao ano em agosto de 2019, para os atuais 2%, analistas de mercado apontam como fatores que contribuíram para o aquecimento do setor imobiliário a demanda reprimida, de 2014 a 2018, e a busca por moradias com mais espaço, por conta da prática de home office.

Desde o final do ano passado, quando foi avaliada em R$ 100 milhões com o último aporte do Goldman Sachs, a Melhortaxa continua em um movimento de valorização e é um motor importante para facilitar o acesso ao crédito mais barato para a população. “Nossa missão é levar o melhor crédito ao consumidor brasileiro, por meio da transparência e do acesso ao ecossistema brasileiro de serviços financeiros”, reforça Julien Desvergnes.

O Brasil é um mercado especialmente interessante e amplo para a expansão da Melhortaxa. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), apenas entre 5% e 10% da concessão de crédito imobiliário no país é intermediada, pois a grande maioria dos consumidores vai diretamente aos bancos. Mas contar com uma empresa que compare as taxas e facilite a escolha do melhor crédito para adquirir um imóvel é tendência mundial: na França, 50% dos consumidores utilizam esse tipo de serviço e, nos Estados Unidos, são 80%.

“A cultura da comparação está se desenvolvendo bem no Brasil para produtos financeiros e isso é um caminho sem volta. O consumo online de produtos e serviços de fintechs foi acelerado pela pandemia e tende a se consolidar no país”, afirma Paulo Chebat, CEO da Melhortaxa no Brasil.
Julien Desvergnes, sócio e cofundador da Melhortaxa

Deixe uma resposta