Investir em Portugal pode ser uma opção diante da pandemia e da instabilidade provocada por Bolsonaro

Que a pandemia ainda não acabou e nem tem previsão de isso ocorrer, não é segredo para ninguém. No entanto, mesmo num cenário em que a economia do Brasil (e de vários lugares do mundo) foi fortemente atacada, e sofre danos sérios causados não só pela covid-19, mas sobretudo pelo governo desastroso de Jair Bolsonaro, é necessário buscar soluções.

Tanto é que uma das possibilidades em que brasileiros estão investindo é fazer o caminho inverso de Cabral e desbravar as terras lusitanas em busca de uma nova moradia. O dono da Construtora Inversil, o empreiteiro português Márcio Inverneiro, mostra como é possível superar este receio de investir em outro país e mostra como o momento benéfico para quem deseja sair do lugar comum e descobrir uma nova forma de viver.

“Vale a pena justamente pelas incertezas do mercado. Os preços estavam a subir, agora estabilizaram, veja bem, não baixaram, apenas estabilizaram”, reforça Márcio. Uma das razões para isso ter acontecido é a chegada de muitos estrangeiros à Portugal: “Não são só os brasileiros que decidiram investir por aqui, mas também europeus de diversas partes. Podemos destacar neste grupo os franceses, já que muitos manifestaram este desejo de sair de seus país e vir para cá”, comenta o empreiteiro.

Mesmo com a pandemia, o momento é favorável para quem deseja viver o ar lusitano: “Portugal está em seu apogeu quando fala-se em qualidade de vida a nível mundial. Assim como a cantora Madonna escolheu viver cá, também há muitos americanos já chegando para ficar” Exemplo disso é exatamente quando se lembra o contexto político dos EUA nos últimos dias: “Agora com a queda de Donald Trump, a procura de terrenos ou casas para reconstruir por parte deles está a aumentar”, detalha Márcio.

O empreiteiro lembra uma pesquisa divulgada em 2020 pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal (SEF), que mostrou que os imigrantes residem sobretudo no litoral, sendo que 68,6% está registados nos distritos de Lisboa, Faro e Setúbal: “Ou seja, é uma excelente oportunidade para quem deseja desbravar o interior. Há lugares encantadores, com preços acessíveis e que tem uma qualidade de vida que fará a diferença para quem deseja vir. A oportunidade está a ideal para esta chegada”, destaca Márcio Inverneiro.

Mesmo em um ano tão difícil, a área de construção civil fechou 2020 com um crescimento de 2,5%, tendo “vindo a demonstrar uma elevada resiliência aos constrangimentos causados pela pandemia da Covid-19”, revelaram, em comunicado, as principais associações portuguesas deste segmento.

Deixe uma resposta