Pagamentos com cartões movimentam R$ 2 trilhões em 2020 no Brasil, com alta de 8,2% sobre o ano anterior

Dados da Abecs, entidade que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento, indicam que os brasileiros realizaram R$ 2 trilhões em pagamentos com cartões de crédito, débito e pré-pagos em 2020, o que representa crescimento de 8,2% em comparação com 2019.

O resultado supera as expectativas de desempenho do setor, que, apesar dos impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus no Brasil, mostrou forte recuperação no segundo semestre. “Tivemos um ano atípico, como a maioria dos segmentos, mas conseguimos encerrar o período com alta de mais de 8%.

Apesar dos desafios, o setor mostrou sua capacidade de inovação e inclusão, ajudando consumidores e lojistas a viabilizar suas transações com a conveniência e a segurança dos pagamentos digitais, via e-commerce, carteiras digitais, aplicativos, transações sem contato, entre outras modalidades”, afirma Pedro Coutinho, presidente da Abecs. 

O levantamento da Abecs mostra que a recuperação do setor atingiu seu ápice no último trimestre de 2020, período em que as transações com cartões cresceram 15,3%, movimentando R$ 609,6 bilhões. Com o resultado, os pagamentos digitais elevaram para 46,4% sua participação no consumo das famílias brasileiras, ante 43% no 4º trimestre de 2019. Da mesma forma, cresceu de 28% em 2019 para 30,9% em 2020 a representatividade do setor em relação ao PIB (Produto Interno Bruto). 

Entre as modalidades de pagamento, o uso do cartão de débito teve desempenho acima da média em 2020, chegando a R$ 762,4 bilhões, com crescimento de 14,8%. O cartão de crédito, por sua vez, registrou R$ 1,18 trilhão em transações, com alta de 2,6%. Já o cartão pré-pago movimentou R$ 45,3 bilhões e cresceu 107,4% no ano passado. Em quantidade de transações, foram ao todo 23,3 bilhões de pagamentos com cartões ao longo do ano, 3,6% a mais do que no ano anterior.

Os gastos de brasileiros no exterior tiveram forte redução de 60% e registraram o menor resultado em 16 anos, de US$ 3,46 bilhões (R$ 16,8 bilhões). Já as compras realizadas por estrangeiros no Brasil caíram 48,3%, somando US$ 2,16 bilhões (R$ 10,6 bilhões).

Compras remotas 

O uso dos cartões na internet, em aplicativos e outros tipos de compras não presenciais foi o grande destaque em 2020. Esse tipo de transação cresceu 32,2% no ano, movimentando um total de R$ 435,6 bilhões. Boa parte desse resultado é reflexo da política de isolamento social durante a pandemia, que acabou levando cada vez mais pessoas e empresas a aderirem ao comércio online. No 4º trimestre de 2020, a cada três transações com cartão de crédito no Brasil, uma foi de compra não presencial. 

Pagamentos sem contato 

Outro destaque do ano foi a modalidade de pagamento por aproximação, que permite ao usuário realizar a compra sem que haja contato físico com a máquina de cartão. Ao todo, foram R$ 41 bilhões em transações, um volume 469,6% maior do que o registrado em 2019. O mais usado nessa função foi o cartão de débito, com R$ 19,5 bilhões, seguido pelo cartão de crédito, com R$ 18,8 bilhões, e pelo cartão pré-pago, com R$ 2,7 bilhões. 

Para incentivar o uso desse meio de pagamento, o setor ampliou duas vezes o limite de compra sem a necessidade de digitar senha, que passou de R$ 50 para R$ 100, em julho, e de R$ 100 para R$ 200, em dezembro. Além do comércio em geral, a modalidade vem sendo implantada em outros segmentos, como o transporte público e também em praças de pedágio.

Deixe uma resposta