A Coluna do Roberto Maciel (terça-feira, 23.02): Agredir a Imprensa é agredir a essência da democracia

Mais um ataque à Imprensa, mais um ataque à democracia, mais um ataque ao cidadão
Na interminável sequência de aberrações que despeja, o presidente Jair Bolsonaro saiu-se com mais essa: “O governo federal (…), junto com o Parlamento, (deveria) criar uma legislação, taxar mais ainda esse pessoal (empresas de redes sociais) que paga muito pouco de imposto para operar dentro do Brasil; tomar medidas para realmente garantir a liberdade de expressão na minha página, na página de qualquer um. Com todo respeito (…), eu sou qualquer um do povo: proibir anexar imagens a título de proteger fake news…”. E completou, ameaçando quem o incomoda com a publicação de fatos que quer esconder: “O certo é tirar de circulação. Não vou fazer isso, porque eu sou democrata. Tirar de circulação Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Antagonista. São fábricas de fake news”.

Elogio a Hitler
A fala, embolada, mal ordenada e tisnada por vícios, revela uma característica de Bolsonaro que se destaca desde quando planejava explodir quarteis e jogar adutoras pelos ares, desde quando fazia discurso pró-ditaduras em programas de TV de conteúdo questionável, desde quando elogiava psicopatas torturadores como Brilhante Ustra: o autoritarismo. Sejamos razoáveis, no entanto – ele nunca escondeu isso. Sempre deixou às claras o gosto, as referências e as preferências que tem. Numa entrevista ao extinto e desqualificado programa CQC (Rede Bandeirantes), cobriu o alemão Adolf Hitler de considerações favoráveis: “Profissionalmente, ele foi um grande estrategista”, disse daquele que provocou mais de 6 milhões de mortes – inclusive de militares brasileiros -, perdeu a II Guerra Mundial e afundou o planeta inteiro numa cena de ódio racial, horror e destruição.

Tenho dito
Do genial Millor Fernandes – de quem Jair Bolsonaro nunca deve ter ouvido falar e de quem nunca deve ter lido nada – e se tivesse, detestaria:

“Jornalismo é oposição; o resto é armazém de secos e molhados”.

Reta final
A propósito da barafunda em que o Brasil foi transformado, vale registrar que o Conselho de Ética da Câmara federal será reinstaurado hoje. Vai se dedicar ao caso do ex-policial militar Daniel Silveira. Eleito deputado pelo PSL do Rio de Janeiro, Silveira achou que imunidade parlamentar, instituto que deve ser conduzido com extrema seriedade, uma vez que é salvaguarda da democracia e das prerrogativas parlamentares, lhe dava o poder de ameaçar a vida alheia. Pet do autoritarismo, foi abandonado por quem o alimentou: Jair Bolsonaro.

O rei está nu
A entidade internacional Repórteres Sem Fronteiras lançou campanha em que, numa crítica aguda e bem-humorada, expõe o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, pelado. O foco é a deletéria campanha de desinformação promovida por Bolsonaro e aliados, que têm levado para o túmulo milhares de pessoas. É, claro, uma fotomontagem, um meme – espécie de publicação crítica, na qual a criatividade pode tanto denunciar falhas graves quanto apenas fazer graça ou esculacho. Está tudo junto aí. Disse o secretário-geral da RSF, Christophe Deloire: “Essa campanha propositalmente chocante visa a despertar as consciências a reagirem aos ataques permanentes do sistema Bolsonaro contra a imprensa (…). Os ataques não são apenas moralmente intoleráveis, mas também perigosos para a população brasileira que se vê privada de informações vitais sobre a pandemia. O trabalho dos jornalistas é fundamental para relatar os fatos e informar as pessoas sobre a realidade da crise sanitária. Mais do que nunca, o direito à informação, intimamente ligado ao direito à saúde, deve ser defendido no Brasil.”

Com Bolsonaro "nu", ONG lança campanha contra desinformação do governo -  22/02/2021 - UOL Notícias

Parceria vital
Comércio e indústria do Ceará estão somando esforços aos do Governo do Estado e da Prefeitura de Fortaleza para apoiar a vacinação contra a covid-19. Faz sentido, considerando não apenas as responsabilidades que são de todos, mas o fato de que a pandemia também agride violentamente a economia, ceifando empregos, faturamentos e vidas.

A bordo
O Sistema Fecomércio-CE (que inclui Sesc e Senac), a Federação das Indústrias e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza viraram parceiras no serviço de transporte para imunização de idosos acima de 80 anos que não têm veículo próprio. Essa estratégia disponibiliza 200 veículos (100 com taxistas e 100 com motoristas de aplicativos), com condutores submetidos a exames, que levam idosos a postos drive-thru.

Custos
Nas contas das entidades que representam produtores de eventos no País, a pandemia do coronavírus só vai permitir a retomada das atividades do setor em 2022. Levantamento do Sebrae sobre o impacto da pandemia nos pequenos negócios, realizado em novembro, indica que a Economia Criativa teve perda de 62% do faturamento se comparado a períodos anteriores às restrições de isolamento social.

Guilhotina

Resultado de imagem para guilhotina


Mais: as atividades dessa área já deceparam mais de 450 mil postos de trabalhos formais, entre diretos e indiretos, em razão da pandemia. A situação é, justificadamente, de pânico e desalento. Não é à toa que acendeu-se uma expectativa em relação ao anunciado apoio de R$ 408 milhões para o setor, a ser injetado pela Secretaria da Cultura do Governo Federal. Resta saber se o Planalto, sob os ditames de Paulo Guedes, dos banqueiros e de Jair Bolsonaro, vai cumprir o que diz.

Na ponta do lápis
Mas R$ 408 milhões são pouco para amparar os cerca de 850 mil trabalhadores culturais que atuam no País inteiro. Se se dividisse equitativamente o recurso para os 26 estados e o Distrito Federal, ficariam pouco mais de R$ 77 milhões para cada. No caso do Ceará, compartilhando também igualmente a parcela entre os 184 municípios, sobrariam R$ 418 mil para cada município. Observamos que as contas que expomos aqui são apenas curiosidades matemáticas, até porque demandas de estados como São Paulo e Rio de Janeiro são obviamente maiores e mais complexas do que as de estados como Ceará, Acre ou Piauí.

No mesmo barco
Avaliação do deputado Renato Roseno (PSOL), sobre a autonomia do Banco Central: “Todo mundo aqui deve a banco, e banco não tem ética. O mercado financeiro é orientado ao aumento da rentabilidade. O neoliberalismo desindustrializou o Brasil e nos deixou agora reféns da financeirização”.

Aperto
Do deputado Salmito Filho (PDT, abaixo), no mesmo tema: “A indústria não tem mais crédito. Não compensa mais ampliar o parque industrial, porque é melhor aplicar no mercado financeiro”.

Resultado de imagem para salmito

Tanto faz
O Partido Republicanos, que é bolsonarista e fanaticamente pentecostal, definiu como líder e vice-líder na Assembleia Legislativa do Ceará os deputados David Durand (Igreja Universal) e André Fernandes (youtuber bolsominion). No fim das contas, a ordem dos fatores não alteraria o produto: a sigla só tem mesmo esses dois parlamentares.

Coluna da Hora
Sempre às terças, promovemos lives no Instagram com a marca “Coluna da Hora”, a partir das 18h. Os encontros duram uma hora e o internauta pode acessar e participar pelos perfil @robertoamaciel. Também mantemos no YouTube o canal Coluna da Hora, com entrevistados bem interessantes. Minha conversa hoje é com o jornalista José Paulo de Araújo. Eu e o Zé vamos conversar sobre transformação social em tempo de pandemia.

Contatos
Os leitores podem fazer contato com o Portal InvestNE. Nosso e-mail é portalinvestne@gmail.com e o número de WhatsApp é +55 85 99855 9789.

Deixe uma resposta