A Coluna do Roberto Maciel (sábado, 27.02): O terror que Daniel Silveira ainda quer impor deriva do voto que se deu a Bolsonaro

O jeito hidrófobo do deputado resulta do estilo político de Bolsonaro

STF enquadrou modus operandi bolsonarista com prisão de Daniel Silveira


Quem se assustou com a hidrófoba agressividade do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) contra a Democracia, exposta dias atrás num vídeo em que o ex-PM até ameaça a vida de ministros do Supremo Tribunal Federal, não deveria ter se assustado. Se Daniel Silveira chegou onde chegou, foi por obra e graça de 57,8 milhões de votos. Não foram, claro, votos destinados diretamente a ele. Foram, sim, os que no segundo turno de 2018 conduziram Jair Bolsonaro à Presidência da República e inflaram o chamado bolsonarismo, assim como inflamaram uma fétida ferida de ódio, rancor, revanchismo e violência contra a política. Ou contra o que se define como progressista. Note-se que a decisão da Câmara federal tomou, mantendo-o enjaulado, não foi um movimento exclusivamente em favor do STF – foi, sim, em favor da própria Câmara e da própria Democracia.

O que há e o que já havia
Chama-se agora “bolsonarismo”, “lavajatismo” e mesmo “morismo” o fenômeno que, sob auspícios de nomes como Donald Trump, Steve Bannon e Jair Bolsonaro, veste o mesmo manto que em dias passados vestiu o fascismo italiano, o nazismo alemão e o integralismo brasileiro. Sim, dá tudo no mesmo. As marcas registradas de um e dos outros são o autoritarismo, a persecução, a brutalidade, a exclusão e o ideal de aniquilamento, em muitas ocasiões levado a termo, daqueles que podem exercer a mínima oposição que seja. A frase “vamos metralhar a petralhada”, pronunciada em 2018, no Acre, pelo então candidato a presidente da República Bolsonaro, que tanto encantou semelhantes – ao ponto de angariar os 57,8 milhões de votos que o impulsionaram ao Planalto – não foi à toa. O mesmo vale para a placa em homenagem a Marielle Franco que foi quebrada por Daniel Silveira.

Moeda paralela, no estilo bolsominion
Está sob análise da Câmara dos Deputados projeto que permite que tanto o vale-refeição como o vale-alimentação sejam usados em transações em supermercados e restaurantes, indiscriminadamente. Ou seja, alguém está tentando institucionalizar uma moeda paralela. O autor da proposta é um deputado de São Paulo, chamado “Coronel” Tadeu. É do PSL, claro. Ele diz: “A forma como foi estabelecido (sic) esses benefícios gera uma dificuldade desnecessária para trabalhadores e fornecedores, pois o vale-refeição pode ser aceito num restaurante, e não em supermercado, e o vale-alimentação pode ser aceito num supermercado, e não num restaurante”. Mais do Tadeu bolsonarista, correligionário de Daniel Silveira: “Pretende-se, portanto, que o trabalhador que tenha um dos vales possa utilizá-lo onde bem entender para a aquisição da alimentação que, naquele momento, lhe seja mais adequada”.

Compra de Vale Alimentação e Vale Refeição - Home | Facebook

No ritmo
A Câmara Municipal de Fortaleza implantou nova rotina. Tudo para se adequar às medidas sanitárias do Governo do Estado contra o coronavírus. As mudanças são, basicamente, essas: as sessões plenárias serão sempre às terças, quartas e quintas-feiras, em modelo híbrido; no Pequeno Expediente, poderão se inscrever presencialmente cinco vereadores que farão uso da palavra em Plenário e outros cinco que poderão fazer a inscrição na hora que o presidente abrir a inscrição por videochamada; no Grande Expediente, 12 vereadores serão previamente inscritos (nove por ordem alfabética, um por liderança partidária, o da liderança da oposição e e o da liderança do governo); os vereadores deverão estar no Plenário ou nas dependências da Câmara quando houver apreciação de reformas, acréscimos ou revogação da Lei Orgânica, do Plano Diretor, da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo, do Código da Cidade, do Código Tributário, do Estatuto dos Servidores, do Estatuto do Magistério e do Sistema Previdenciário.

Prego batido…
E, ainda, de revisão de aposentadoria e pensões dos servidores municipais, do planos de cargos, carreiras e salários dos servidores públicos, das leis de diretrizes orçamentárias e lei orçamentária do Município de Fortaleza.

…Ponta virada
A resolução indica, por fim, que se houver medida restritiva suspendendo atividades presenciais do Plenário e das Comissões, o presidente da Câmara convocará sessões extraordinárias virtuais. Quando estiverem em apreciação reformas, acréscimos ou revogação de leis ficam estabelecidos os limites máximos de uma sessão extraordinária por dia, e até três por semana, podendo serem realizadas nas terças, quartas e quintas-feiras. Já a participação dos vereadores nas Comissões poderão ser feitas tanto presencialmente, quanto virtualmente.

Reconhecimento

Érika Amorim esclarece situação dos professores de Caucaia


A deputada Érika Amorim (PSD, acima) apresentou à Assembleia Legislativa do Ceará projeto com o qual institui os selos “Empresa Amiga da Criança e do Adolescente” e “Amigo da Criança e do Adolescente” – primeiro, para pessoas jurídicas; o segundo, para pessoas físicas. A ideia é homenagear iniciativas voluntárias. Quem possuir o selo poderá usá-lo em publicidade com finalidade comercial e como exemplo de responsabilidade social.

E daí?
Não bastando o que Sérgio Moro, Deltan Dallagnon e a turma da Lava Jato fizeram contra a Petrobras e a imagem do Brasil nos mercados internacionais, o presidente Jair Bolsonaro – que já não é muito zeloso do bom posicionamento do País frente aos parceiros – decidiu por conta própria colocar mais gasolina na fogueira em que arde a estatal petrolífera.

Coluna da Hora
Às terças-feiras, promovemos lives no Instagram com a marca “Coluna da Hora”, sempre a partir das 18h. Os encontros duram uma hora e o internauta pode acessar e participar pelos perfil @robertoamaciel. Também mantemos no YouTube o canal Coluna da Hora, com entrevistados bem interessantes.

Deixe uma resposta