Planejamento estratégico: um caminho que pode levar ao sucesso

A palavra Estratégia vem do grego “strategía” e significa a arte do general ou chefe do exército, numa conotação voltada para a guerra. Uma tropa sem general não sabe o que fazer, nem para onde ir, podendo perder a batalha e a guerra. Aos poucos, o termo estratégia foi evoluindo e passou a incluir habilidades mais gerenciais, transformando a ideia de comando da tropa para o ambiente corporativo. Nesse sentido, uma empresa que não se planeja e estabelece metas não sabe onde quer chegar.

O planejamento estratégico serve para traçar metas, mensurar resultados e preparar a empresa para o futuro. Para isso, cada setor e colaborador tem papel fundamental para garantir o sucesso do planejado, diminuindo assim, o risco de decisões equivocadas que podem vir a prejudicar a saúde da empresa.

Planejamento estratégico como aliado
O planejamento estratégico é uma ferramenta poderosa para o sucesso. Entretanto, no setor farmacêutico, por exemplo, existem algumas especificidades que merecem atenção, como o respeito às regulamentações na legislação e a forma de conexão com os clientes. Por isso, para o diretor de marketing da startup MyPharma, Carlos Henrique Soccol, devido às especificidades do setor farmacêutico, em geral, o planejamento estratégico deve ser fragmentado de três em três meses.

“Trabalhar com indicadores de performance é uma boa pedida para mensurar resultados. Antes de planejar, é preciso definir um caminho. Depois é necessário saber, por exemplo, quanto que a farmácia fatura hoje e quanto quer faturar daqui três meses; qual é o ticket médio hoje e quanto poderá ser daqui três meses, entre outros questionamentos que o gestor deve ter em mente”, explica Carlos.

Quando o planejamento estratégico é colocado em prática, facilita a visualização do futuro, sem perder o foco. Outra dica importante, segundo Carlos, é quebrar as metas em espécies de micro metas.

“Para isso, recomendo usar a metodologia de gestão OKRs (Objectives and Key Results), um processo simples para criar o alinhamento e definir a cadência da gestão. Por exemplo: se quero faturar R$30 mil por mês, o que preciso fazer? Abrir três novos canais de venda em 15 dias”, exemplifica o diretor de marketing da MyPharma, Carlos Henrique Soccol.

Outra meta chave para inclusão no planejamento estratégico, segundo Carlos, refere-se à necessidade imediata de inserção no meio digital.

“Hoje, mais do que nunca é primordial estar no ambiente virtual. São lá que muitos clientes estão à procura dos produtos. Oferecer um e-commerce, atender os clientes pelos canais digitais (WhatsApp, Facebook, Instagram) e delivery, são alternativas importantes que os comerciantes devem se atentar. É preciso aceitar essa mudança e aprender com ela, caso contrário, as empresas estarão fadadas a fecharem suas portas mais cedo”, alerta o diretor de marketing da MyPharma, Carlos Henrique Soccol.

Deixe uma resposta