Com a falta de moedas no mercado, franquia lança ferramenta de troco digital

Supermercados, lojas e bancos sentem o impacto da falta de circulação de moedas já há algum tempo. Sumidos do mercado, os centavos são muitos utilizados para atividades corriqueiras, e claro, dar e receber o troco.

A falta de moedas para o troco pode gerar impacto no resultado de uma loja e gerar insatisfação dos clientes, já que é comum a prática de arredondar para cima ou para baixo. Porém, a prática é considerada ilegal, conforme o Artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor.

Para evitar o temido troco em balinhas, arredondamento e a quebra de caixa, uma nova prática vem ganhando cada vez mais espaço no mercado: o troco digital, que beneficia os varejistas e consumidores brasileiros.

É pensando em contribuir com consumidores e empresários nessa grande dificuldade que o DotBank – primeira fintech no formato de franquia no Brasil responsável pela gestão de dinheiro de terceiros – acaba de lançar a nova ferramenta de troco digital com muito mais vantagens.

O estabelecimento terá uma conta digital no Dot Bank na qual irá recarregar com um valor desejado a fim de fornecer o troco aos clientes. Ao realizar uma venda e na mesma ser necessário devolução de troco para o seu cliente, o operador de caixa irá oferecer o troco digital. Se o cliente aceitar, deverá informar alguns dados como o número do celular e CPF, por exemplo.

O operador de caixa acessará a tela do Troco Digital na plataforma do banco e imputar os dados informados pelo cliente. O valor será creditado em uma conta criada no CPF/CNPJ informado e um SMS será enviado com um link para que o usuário acesse a plataforma do banco para enviar a documentação para validação da conta. Caso o cliente já tenha uma conta, o dinheiro constará na conta dele na hora.

O processo de transferência da conta do estabelecimento para a conta do usuário/cliente é instantâneo e pode ocorrer 24 horas por dia, durante os sete dias da semana.

Facilidades

Amanda Pinatti, diretora de operações da franquia DotBank, explica que nesse caso é necessário que tanto o cliente quanto o estabelecimento sejam clientes Dot Bank.

“Ambos precisam ter a conta para contemplar a operação. No caso, se o cliente ainda não tiver a conta, ele será direcionado a anexar a documentação para validar a conta que já terá recebido solicitação pelo estabelecimento, ao imputar os dados para o Troco Digital. A operação realizada no processo é um “P2P”, ou seja, uma transferência entre contas e por isso tem a vantagem de ser 24 horas por dia”, diz.

Para estimular o uso do troco digital, a rede fará divulgação em estabelecimentos que já adotam essa prática.

Entre os benefícios para o usuário está em que ele pode poupar dinheiro nessa conta digital e quando tiver um valor acumulado pode pagar boletos pela plataforma, transferir para outra conta, ou até mesmo sacar em pontos com o Dot Cash. O conceito do Dot Cash é transformar a empresa num caixa eletrônico, onde lojas com alto fluxo de pessoas pode se tornar um “caixa eletrônico” do banco. O projeto será lançado em breve pela rede.

Já o estabelecimento, terá sua marca divulgada, como conveniada e que utiliza a tecnologia do Troco Digital. “Resolve o problema da escassez de moedas na praça e pode ainda fazer ações promocionais como: quem aceitar o troco digital tem desconto de x% nos produtos Y, Z e W. Ou quem aceitar o troco digital tem cashback em dobro comprando dentro da loja, comprando nos próximos 30 dias”, frisa Pinatti.

Como abrir uma conta

Para solicitar a abertura de uma conta no Dot Bank, a pessoa/empresa deve acessar o site https://www.dotbank.com.br/ e clicar em “ABRA SUA CONTA”. O site vai direcionar para outra tela aonde pedirá se a conta será PF ou PJ e o número do CPF ou CNPJ.

Após, deve ser informado alguns dados básicos, como nome completo ou razão social, endereço, telefone, e-mail e qual a senha deseja utilizar para acessar a plataforma. Logo em seguida, é feito upload de alguns documentos, que são eles:

PF – RG e CPF (ou CNH) + comprovante de endereço (no próprio nome ou com anexo de justificativa de grau de parentesco de quem a conta se encontra no nome).

PJ – RG e CPF (ou CNH) + comprovante de endereço (de todos os sócios, caso houver) + contrato social + cartão CNPJ + comprovante de endereço da empresa.

Salvando os arquivos na plataforma, o banco passa a ter conhecimento dessa solicitação de conta. A documentação é auditada e a conta validada se todos os dados estiverem corretos. Esse processo tem um prazo máximo de 48 horas para a conta ser aprovada ou não.

Quando a conta é recusada por algum motivo, seja ele falta de documentos, ou documentos inválidos ou até mesmo ilegíveis, o cliente recebe um e-mail com a justifica e instrução do que deve ser feito para que a solicitação da conta seja reenviada para nova avaliação. Vale lembrar que em alguns casos, o banco entra em contato com o cliente através do WhatsApp para instruí-lo do que deve ser feito.

“Trata-se de uma prática muito simples e bastante inovadora que beneficia o cliente e varejista. Ainda mais em tempos de pandemia, onde muitas pessoas fazem o possível para minimizar a troca de qualquer material, incluindo o próprio dinheiro físico”, conclui a diretora de operações do Dot Bank, Amanda Pinatti.

Deixe uma resposta