Pandemia impulsiona trabalho remoto e a busca pelo “emprego dos sonhos”

Com a pandemia do coronavírus, muitas relações de trabalho mudaram e, certas profissões, acabaram migrando para o modelo home office. De acordo com uma pesquisa realizada pelo site de banco de vagas e currículos on-line Vagas.com, as ofertas de emprego na modalidade cresceram 309% no último ano, principalmente nos setores de tecnologia, vendas, recursos humanos, marketing e administrativo. O site Revelo também constatou o aumento do trabalho remoto dentro de sua base de dados, com crescimento de 20% de contratações fora do eixo Rio e São Paulo.

O Almir da Silva Cerqueira, que mora em Conceição do Coité, cidade com cerca de 67 mil habitantes a 100km de Feira de Santana, na Bahia, viu a vida mudar durante a pandemia. Designer em formação, com experiência diversas agências de publicidade da região, foi demitido por corte de gastos. Foi quando cadastrou o currículo em sites de vagas e começou a participar de processos seletivos online em empresas de outros estados. Conheceu a ODW, agência paulistana de comunicação digital e conteúdo, passou pelo processo seletivo e conseguiu o emprego.

“A remuneração é muito diferente daqui da minha cidade para os grandes centros. Chega ao ponto de o salário de um mês ser que recebo agora ser o mesmo que o de quatro meses em uma agência daqui. Além disso, também tem outras vantagens como a valorização, abertura de opiniões, liberdade de horários, flexibilidade; são coisas que tenho agora e me ajudam no meu crescimento pessoal e profissional”, conta o agora diretor de arte.

A ideia de abrir vagas para profissionais de outras regiões do país surgiu da experiência profissional do empresário Luciano Sgrinier fundador da ODW. Ele começou trabalhando em casa, há mais de dez anos, no mercado publicitário. Ao longo dos anos, a empresa passou a ter grandes instalações, mas com a pandemia, voltou a vivenciar o home office. Como a cartela de clientes da agência dobrou desde o início de 2020, ele precisou fazer novas contratações. Foi quando decidiu buscar candidatos em outros estados e se deparou com ótimos portfólios vindos de fora do eixo Rio e São Paulo. “Comecei a receber trabalhos incríveis e simplesmente parei de olhar de onde eles vinham, passei a selecionar de acordo com a capacidade que via nos materiais que eram enviados”, explica Sgrinier.

A mentora de carreira, headhunter e professora no programa Perspectivação do ISAE Escola de Negócios, Fabiana Schneider, diz que a contratação remota tem rompido barreiras até internacionais. “O home office e as tecnologias tendem a trazer mais transversalidade, deixando as entregas dos trabalhos mais democráticas, com mais diversidade e novos olhares, vivências, culturas, raças, gêneros e idades”, comenta a especialista.

“Por conta dessas fronteiras quebradas o Almir atende contas legais, de marcas grandes e conhecidas, em vários segmentos”, conta Luciano Sgrinier. “O que quero agora é plantar essa sementinha nas empresas de que elas podem sim encontrar talentos no Brasil inteiro, evoluir junto com profissional mesmo à distância e acabar fazendo o dinheiro circular em outras regiões e, consequentemente, ajudar a desenvolvê-las”, complementa Luciano.

Confira as dicas de Fabiana Schneider para se destacar na busca por trabalho online:

•          Mantenha sempre o currículo e LinkedIn atualizadíssimos, já que recrutadores e headhunters de todo o Brasil e do mundo podem acessá-lo a qualquer momento. Deixe claro que gosta de trabalhar remotamente, tem esse perfil e quer continuar nesse modelo. Também esteja aberto a contratos temporários e de prestação de serviços (PJ);

•          No CV e LinkedIn, descreva os principais resultados alcançados – ou “problemas resolvidos” tanto em textos de atividades quanto em números e percentuais – em cada projeto ou atividade executada nos trabalhos atuais e anteriores. Fale sobre suas experiências profissionais ou intercâmbios, e não se esqueça de citar os cursos mais recentes e mais aderentes a seus planos de carreira.

•          Faça networking digital conversando com colegas ou ex-colegas de trabalho, professores, amigos próximos, deixando claro no que é bom e destacando as suas maiores especialidades, em quais áreas ou segmentos gosta de trabalhar e quais os próximos planos profissionais.

Deixe uma resposta