Venda de cadeiras para jogadores online cresce 35% no primeiro trimestre do ano

 A comercialização de cadeiras gamers, utilizadas por jogadores online no País, tem crescido exponencialmente com a pandemia no Brasil. Segundo levantamento do Grupo All Nations, uma das maiores distribuidoras de produtos e equipamentos nos mais variados segmentos da tecnologia no Brasil, a procura por esses produtos cresceu cerca de 35% no primeiro trimestre deste ano em comparação com os 90 dias anteriores.

De acordo com o mapeamento da empresa com base no relatório da Receita Federal do Brasil, a Pctop, marca do Grupo All Nations, foi a companhia com maior volume de importação de cadeiras para jogadores no País entre janeiro e março deste ano.   

Além das cadeiras gamers da empresa, itens como placas de vídeo e componentes de informática em geral estão entre os mais procurados pelos brasileiros nos últimos 12 meses.

Pelo mapeamento da empresa, consumidores dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os maiores compradores de itens de informática para a quarentena e o trabalho remoto no período de pandemia no País, seguidos por pedidos oriundos do Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia.

“O home office instituído em grande parte das empresas instaladas no País trouxe a necessidade de investimentos constantes, por parte dos trabalhadores e das companhias em geral, em equipamentos melhores e itens que garantam maior conforto e facilidade nas atividades profissionais”, comenta Vanessa Calvano, gerente comercial responsável pela unidade de negócio Pctop do Grupo All Nations.

O Grupo All Nations, que possui um portfólio bastante variado de produtos e equipamentos nas áreas de segurança, energia solar, informática, mobiliário de escritório, telefonia, impressão e games, acaba de registrar um crescimento de 67% no faturamento do primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do exercício anterior.

Entre janeiro e março deste ano, as vendas do grupo atingiram R$ 383 milhões, ante os R$ 228 milhões registrados em 2020. O crescimento dos negócios foi impulsionado sobretudo pelas vendas nos canais de ecommerce da organização durante os 12 meses de pandemia no Brasil, com todos os números e balanços auditados pela Ernst & Young.

Deixe uma resposta