Associação das Administradoras de Condomínios do Ceará recomenda manutenção de protocolos de cuidados

O atual cenário de reabertura econômica com o fim do lockdown não pode estar relacionado ao afrouxamento nos cuidados com as prevenções de contágio da covid-19, sobretudo em relação aos condomínios. Essa é uma recomendação da Associação das Administradoras de Condomínios do Ceará (Adconce).

De acordo com o presidente da Associação, Marcus Melo, os síndicos e administradores de condomínios terão que se adaptar de forma permanente às exigências sanitárias que visam minimizar o contágio do coronavírus dentro dos empreendimentos. “Algumas ações deverão fazer parte do dia a dia do condomínio a longo prazo, como a disponibilização de álcool em gel nas áreas comuns para higienização das mãos, a limpeza frequente dos ambientes que são usados por mais de uma pessoa, como academia e áreas de lazer, e a realização das assembleias através de plataformas virtuais”, comenta. 

Além disso, o presidente lembra que os condomínios precisam contar com um planejamento para casos possíveis diante da atual pandemia, como o diagnóstico positivo da covid-19 nos trabalhadores do empreendimento. “Assim, é necessário que exista um alinhamento com os funcionários para a cobertura de colegas em caso de baixa pela doença. Todos cientes, ninguém é pego de surpresa se for acionado. Alocar um folguista nesse caso pode ser uma alternativa. Faça uma pré-negociação com uma empresa de confiança”, afirma.  

Em relação às obras nas unidades, o presidente da Adconce taxa que o bom senso deve prevalecer. “Quando o síndico recebe um pedido de reforma durante períodos mais críticos da pandemia, o melhor caminho é o diálogo com o condômino, numa tentativa de sensibilização e conscientização que o momento pede, propondo o adiamento da reforma”, conclui. Marcus Melo salienta que se o condômino realmente insistir em fazer a reforma – é importante que o condomínio tenha um protocolo de reformas na pandemia. Exemplo disso é um agendamento prévio da obra, definição de dia e horário, limite de obras simultâneas na mesma torre e horário reduzido para ruído alto (marreta ou makita).

Para o presidente da Associação o que acontecerá em um curto prazo é que todos vão aprender a conviver com o coronavírus. “A vacinação é a forma mais eficaz de garantir que os estados graves das infecções não aconteçam. Mas as medidas sanitárias visando o combate do contágio da covid-19 continuarão em vigor a longo prazo”, conclui.

Deixe uma resposta