Projeto prevê criação de Centro Inclusivo para crianças com TEA e Síndrome de Down na @Assembleia_CE

Tramita na Assembleia Legislativa do Ceará projeto que propõe na Casa a criação do Centro Inclusivo para Atendimento e Desenvolvimento Infantil (Ciadi), subordinado diretamente à Presidência da instituição. A matéria foi encaminhada pela Mesa Diretora. A unidade visará a atender crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Síndrome de Down.

Prevista no projeto de resolução de n°08/21, em tramitação na AL, a proposição tem o objetivo ainda de ampliar os serviços de saúde da Assembleia Legislativa, por meio do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS), a partir da criação da Célula de Psicopedagogia, com atuação na melhoria do processo de aprendizagem humana.

O presidente da Casa, deputado Evandro Leitão (PDT), explicou que a partir da adoção de práticas terapêuticas norteadas, profissionais de diversas áreas atuarão em conjunto para potencializar atividades cognitivas, posturais e funcionais, já que, crianças com deficiência quando abordadas precocemente, apresentam grandes possibilidades de melhora nos desenvolvimentos de suas habilidades cognitivas, sociais e emocionais.

“A psicopedagogia tem como finalidade auxiliar os sujeitos e lidarem com suas dificuldades de aprendizado, compreenderem o processo do aprender e descobrirem suas capacidades e potenciais de resgatar autoestima e motivação para aprendizagem, bem como ajudar a acreditar que através de seu próprio esforço e capacidade podem aprender e se desenvolver”, assinalou.

Segundo o parlamentar, a ampliação dos serviços de saúde da Casa, vai viabilizar a melhoria da qualidade de vida de crianças, adolescentes, adultos para saúde mental e desenvolvimento humano.

O deputado Audic Mota (PSB), segundo secretário da Mesa Diretora Casa, realçou a importância da iniciativa e destacou que a Assembleia tem o mérito pela primazia de colocar à disposição um espaço transdisciplinar, especializado no atendimento de crianças, com a finalidade de promoção da saúde e da qualidade de vida do seu público.

“Tudo com a adoção de práticas terapêuticas norteadoras e profissionais das áreas de Educação Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Pedagogia, Psicologia, Psicomotricidade, Psicopedagogia e Terapia Ocupacional, que atuarão em conjunto”, ressaltou.

Deixe uma resposta