Formatos de moradia para o novo perfil do público com mais de 50 anos de idade

A população mundial passa por um processo envelhecimento, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Este fato se confirma devido ao aumento da expectativa de vida e à queda dos níveis de fertilidade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a população com idade superior a 60 anos representará um quinto da população mundial.

Uma parcela da sociedade que cresce rapidamente, o público 50+ é um importante consumidor que deve estudado e atendido pelo mercado imobiliário.

Segundo a Harvard Business Review, a economia prateada (conjunto de produtos e serviços que atendem a estas pessoas), deve movimentar no ano 15 trilhões de dólares no mundo e no Brasil, a previsão é de movimentar 1,8 trilhão de reais em 2020.

As necessidades e o comportamento dos maduros mudaram. Hoje, eles são ativos: trabalham, praticam atividades físicas, estudam e participam da vida agitada da cidade. Na hora da escolha do imóvel ou de decisões sobre como vão investir o seu dinheiro, não é diferente. 

Nos EUA, os 55+ são responsáveis por U$ 90 bilhões em reformas da casa, representando 47% do consumo neste setor, segundo a Agewave.

Aqui no Brasil, segundo dados da pesquisa Tsunami60+ do Hype50+, 4 a cada 10 brasileiros dizem que faltam produtos e serviços para sua idade. E as soluções para adaptação e acessibilidade da casa está entre as principais categorias com citação, entre 28% dos entrevistados.

“Uma das principais preocupações relacionadas ao processo de envelhecimento é a perda da independência física e financeira. Devemos pensar em ambientes seguros, confortáveis, práticos, com acessibilidade que facilitem o estilo de vida dos atuais 50+, considerando, claro, a diversidade deste público, que pode variar de acordo com faixa etária, nível de dependência e capacidade física, estilo de vida e renda, o que nos permite criar soluções para diferentes necessidades.” comenta a especialista em mercado prateado, Bete Marin.

Novos formatos de moradia para os 60+

. Moradias modernas, intergeracionais, com design inclusivo e tecnologia que assegura conexão, comunicação e segurança. Ambientes inteligentes proporcionando conforto, facilidades e localizadas em regiões de fácil acesso ao comércio e serviços, para garantir o estilo de vida ativo e participativo, desejado pelos novos maduros.

• ILPI : Instituições de Longa Permanência para Idosos

Também chamadas popularmente de casas de repouso, são espaços onde os idosos moram, com dormitório individual ou compartilhado. Algumas instituições oferecem serviços completo de acompanhamento da saúde, bem como bem-estar como: atividades físicas e de entretenimento.

• Centros Dia

São espaços com atividades e cuidados diurnos, onde os mais velhos passam um período do seu dia. Não é permitido passar a noite, portanto não oferecem estrutura de dormitório.

• Coliving ou Cohousing

Diferentes modalidades de moradia compartilhada se tornam uma opção viável e desejada pelos prateados, que se divertem com a ideia de morar com amigos na maturidade ou se relacionando com diferentes gerações.

Deixe uma resposta