Governo do Maranhão transforma gás de cozinha em política pública e beneficia 119 mil famílias

Uma das beneficiadas foi a lavradora Hernilce Silva Lemos, 35 anos, que vive da agricultura familiar no quilombo Mondego (Foto: Brunno Carvalho)

Quando Jadna Barbosa, funcionária de uma revenda de gás de cozinha na cidade de Mirinzal, na baixada maranhense, perguntou para uma cliente se ela iria retirar o produto ou se era para entrega, escutou a seguinte resposta: “Por favor, entrega lá em casa, já faz dois meses que estamos cozinhando na lenha”.

Este mês, o Governo do Maranhão iniciou a operação do projeto Vale Gás, que vai beneficiar 119 mil famílias do Estado com gás de cozinha. Orçado em R$ 25 milhões, o programa poderá ser desenvolvido em até três etapas, alcançando pessoas com renda zero inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) nos 217 municípios do estado.

Jadna, a vendedora de gás, explicou porque aprova iniciativa. “Aqui tem muitas pessoas carentes, não tem condição, o valor do gás tá R$ 100. E, comparando, porque a renda das pessoas é o Bolsa Família, que é o que, duzentos e pouco!? Se a pessoa tirar cem reais pra comprar o gás, e aí, o que vai comer durante o mês? Então é uma boa iniciativa, pelo menos esses meses, são três vales que eles vão ganhar, vai facilitar muito a vida das pessoas, com certeza”, disse a vendedora.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que a população de Mirinzal seja de pouco mais de 15 mil habitantes. No último senso, realizado em 2010, eram 14 mil. Em 2018, último ano que foi feito o cálculo, o salário médio mensal na cidade era de 1,1 salários mínimos. Porém, a proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de apenas 4%. Na comparação com os outros municípios do estado, Mirinzal está nas posições 216 de 217 e 157 de 217, respectivamente.

Uma das beneficiadas foi a lavradora Hernilce Silva Lemos, 35 anos, que vive da agricultura de subsistência no quilombo Mondego. Mãe de quatro filhos, ela afirma que já chegou a ficar sem gás incontáveis vezes, “aí cozinhamos no carvão ou na lenha”. Sua casa de alvenaria, sem reboco, ainda em construção e sem água encanada, conta uma cozinha, um banheiro e um quarto para três filhos menores de idade, ela e o marido (a filha mais velha casou e se mudou para o núcleo urbano da cidade). Até o mês passado a família morava em uma casa de taipa.

“Eu fiquei muito contente por ter sido contemplada, devido à situação que a gente tá vivendo, às vezes, por mais que você veja que eu tô nesta casa [de alvenaria e não mais a de taipa], a gente é humilde, tem dia que a gente não tem comida, e aí a dificuldade é imensa, ainda mais, o senhor sabe, o gás aumentou, agora tá R$ 100, aí fica tão difícil pra gente, eu tenho criança pequena, meu filho caçula tá com dez anos”, diz Hernilce.

Edjahilson Souza, secretário adjunto da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes), explicou que o Vale Gás é uma iniciativa para dar dignidade para as pessoas e faz parte do programa Comida Na Mesa, que reúne uma série de medidas para combater o aumento da fome devido à crise econômica causada pela pandemia.

“O beneficiário vai receber três vales, que são três recargas do botijão. O cupom tem um código de barras, o nome completo da pessoa, e nós vamos poder acompanhar isso, inclusive com a empresa prestadora de serviço, a gente vai saber em tempo real quando a pessoa retirou seu botijão de gás, em que lugar, pra que não haja nenhum tipo de desvio, de distorção do programa”, comentou. E prosseguiu: “Esta é mais uma ação do programa Comida na Mesa, que possui várias outras frentes, como distribuição de cestas básicas, o programa Mais Renda, que nós estamos intensificando, entregando equipamentos para autônomos que possuem uma profissão, mas que não tem os seus equipamentos de trabalho, como uma cabeleireira, uma manicure, um vendedor de cachorro quente”.

Souza fez questão de destacar que o governo estadual mantém 55 restaurantes populares e que trabalha para ampliar essa rede. “O governador Flávio Dino determinou que nós servíssemos jantar em todos eles ao preço de um real. Então, hoje nós servimos algo em torno de 50 mil refeições por dias para aqueles que mais precisam. Além disso, nós estamos ampliando o Programa do Leite. Lá na Região Tocantina nós estamos começando agora a implantação desse programa, onde vão ser distribuídos 10 mil litros de leite por dia, comprado do pequeno produtor e entregue também para a população cadastrada no CadÚnico”.

Outra beneficiada pelo Vale Gás foi a pescadora Irenilce Trindade Santos, de 41 anos. “Aqui no nosso município tem muita gente carente, e o que recebemos de auxílio emergencial é muito pouco, então a entrega do botijão com certeza vai ajudar muitas famílias. A gente ficou muito contente, entendeu? Que é raridade um governante olhar pra nossa região como esse tá olhando, com carinho. Em nome do povo daqui a gente agradece demais esse olhar especial que o governo Flávio Dino teve com a gente. Então, que Deus continue iluminando ele pra olhar pras famílias carentes”.

Deixe uma resposta