Viver de renda? Veja quanto você precisa investir

Quem não tem o sonho de juntar uma quantidade boa de dinheiro, investir, para poder viver apenas com essa renda? Essa é uma de muitos brasileiros. Mas será que isso é realmente possível? 

De acordo com Gabriel Monaretti, diretor de marketing da Bullseye, com um bom planejamento é possível sim realizar esse sonho tão esperado, mas também é importante salientar que mais que investimentos iniciais significativos, o melhor retorno vem de aportes constantes. “É importante ter uma reserva de emergência para não prejudicar os seus investimentos em caso de uma crise e dessa forma garantir que no futuro você consiga atingir a renda passiva desejada”, explica.

Abaixo, o especialista esclarece as principais dúvidas sobre o assunto. Confira:

É possível viver apenas de renda?

O especialista explica que sim, mas isso pode depender muito de pessoa para pessoa. “O ‘viver de renda’ para cada um é muito particular. Existem pessoas que vão considerar uma renda mensal de R$ 5 mil suficiente, enquanto outros consideram que a renda precisa ser maior que R$ 20mil, por exemplo. Em linhas gerais é possível, mas antes de montar o seu planejamento para viver de renda, é preciso avaliar qual será a renda que você espera para alinhar seu planejamento a suas expectativas”, conta Gabriel Monaretti. 

Qual é o melhor caminho para que isso aconteça?

Viver de renda significa obter renda passiva todos os meses. A renda passiva são os dividendos que algumas ações pagam de acordo com lucro da empresa. Dessa forma, o melhor caminho para isso acontecer é montar uma carteira de ativos focada em empresas sólidas que paguem bons dividendos e que sua carteira tenha papéis que mensalmente garantam sua renda passiva”, salienta Monaretti.

Quais são os principais investimentos para quem deseja alcançar isso?

Antes de alcançar a liberdade financeira é recomendado uma carteira com portfólio balanceado e diversificado. “Para exemplificar essa composição: é interessante possuir 25% da renda em ativos internacionais (atrelados ao dólar, uma moeda com maior segurança e previsibilidade), 25% em ações brasileiras (que devem ser balanceadas dentre as características de ativos na bolsa), 25% em fundos imobiliários e 25% em reserva de emergência. A partir do momento que foi alcançada a quantia desejada para a liberdade financeira, é interessante deixar o capital alocado em investimentos mais previsíveis e com menor”, complementa o especialista.

Qual a porcentagem que deve ser poupada por mês? E por quanto tempo?

“O livro ‘O Homem mais rico da Babilônia’ propõe um orçamento interessante para se ter como base. A proposta é de que deve ser investido algo em torno de 10% e 20% de sua renda mensal. Quanto tempo demora para se alcançar a independência financeira é relativo ao quanto a pessoa ganha e quanto ela espera ter de renda passiva no futuro. Mas exemplificando, uma pessoa que comece a investir R$ 500 todos os meses, em investimentos que rendem 8% a.a., vai demorar cerca de 40 anos para alcançar uma renda de R$ 10 mil mensais a partir de seus rendimentos”, esclarece.

Quanto deve ser a quantia guardada para fazer o dinheiro render para o resto da vida?

“Depende do estilo de vida que a pessoa vai querer manter e qual a renda que ela deseja para manter esse estilo. Estimando uma quantia de R$10.000,00 por mês em rendimentos, é preciso ter investido uma quantia próxima a R$ 2 milhões e então considerando um rendimento realista de 0,5% ao mês, é possível ter renda de R$ 10 mil ao mês”, finaliza.

Deixe uma resposta