Setor de alumínio ganha impulso com crescimento do mercado náutico

Em tempos de pandemia, o segmento náutico – principalmente na parte de turismo –  vem crescendo como uma opção de lazer segura, por ser mais privativa, sem aglomerações e a possibilidade de estar em contato com a natureza. O aluguel de barcos foi, inclusive, um dos setores do turismo náutico que mais cresceu após a flexibilização das medidas de isolamento: levantamento de uma empresa de locação desse tipo de embarcação apontou aumento no tempo médio de duração das locações de 11%. Já dados da Acobar (Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos), mostram que o setor náutico nacional fechou o ano passado com crescimento de 20%.

O fato vem aquecendo a indústria do alumínio. Em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, a Elfer tem visto a produção aumentar. Para o setor náutico, a empresa atua tanto como fornecedora de chapas e cortes especiais, quanto na fabricação de peças customizadas em alumínio. “De 2019 para cá, observamos que a demanda nessa área aumentou e a previsão é de dobrar a nossa participação nesse segmento em 2021”, fala o Gerente da Unidade de Negócios da Elfer, Fabio Passerini.

Entre os benefícios do alumínio para a indústria naval estão a durabilidade; baixo custo de manutenção pela alta resistência à corrosão é à intempérie; maior capacidade de transporte de carga e menor investimento em motorização, devido à leveza do casco; além de ser um material infinitamente reciclável.

“O Brasil possui extensa área costeira, muitas represas e rios navegáveis, por isso, acreditamos que existem grandes oportunidades para ainda mais crescimento, o que beneficiará, consequentemente, outros setores da cadeia, gerando empregos e alavancando a economia”, conclui Passerini.

Deixe uma resposta