Come-cotas: é possível compensar a tributação dos fundos de investimento?

Artigo de Mauricio Chagas, sócio e head de Fundos de Investimento da Ethimos:

O termo come-cotas é muito comum quando o assunto são os fundos de investimento, ainda mais nesta época do ano. Acontece que essa é uma prática que gera dúvidas dos investidores, principalmente se é possível compensar as perdas provocadas pela tributação.

Mas antes da resposta, é importante entender o que são fundos de investimento. Essa é uma modalidade de investimento coletiva, administrada por gestores e composta por recursos de muitos investidores (cotistas) para a aplicação em diferentes meios (tomadores).

Nesse tipo de investimento, as opções vão das mais simples e baratas até as mais complexas, e são os gestores que têm a responsabilidade de decidir o destino do dinheiro, ou seja, para quem será “emprestado”.

O produto tem variados graus de risco e, dessa forma, costuma ser uma ótima oportunidade para pessoas mais iniciantes – que buscam diversificar a carteira e ter rentabilidade maior do que a da poupança –, e para os investidores agressivos.

O come-cotas é uma prática que ocorre todos os anos, no fim de maio e novembro, da seguinte forma: há uma redução de cotas do investidor correspondente ao valor do imposto de renda devido. E é justamente por isso o nome “come-cotas”.

Vale ressaltar que a cobrança do imposto de renda é somente sobre o ganho do período, e se houver prejuízo no investimento, não haverá a cobrança do imposto. O come-cotas incide nos fundos de longo prazo e de curto prazo e é uma tributação mais comum em fundos de renda fixa, multimercado e cambiais (mas não em todos). Já nos fundos de ações, não há incidência de imposto.

De qualquer maneira, é sempre importante checar qual é a classificação do fundo para ver que tipo de tributação está sujeito.

Como compensar a redução de cotas?

Nas aplicações em que o come-cotas gera prejuízos, há possibilidade de compensação das perdas. Considerando fundos de mesma natureza e tributação, é possível, inclusive, diminuir ou até zerar o recolhimento de tributos.

E pela maior complexidade nas movimentações dos fundos, é importante contar com a ajuda de um assessor de investimentos. Esses especialistas têm certificações reconhecidas mundialmente para operar no mercado de investimentos e são capacitados para dar recomendações ao investidor sobre a carteira, além de ajudar a compensar as perdas provocadas pela incidência de impostos no fundo de investimento e em outros produtos.

A Ethimos, um dos maiores escritórios da XP, conta com assessores de investimentos e tem o atendimento de qualidade comprovado pelo selo NPS (Net Promoter Score).

Deixe uma resposta