Monitorias Reforço Escolar chega neste mês a todas as regiões do Brasil

A microfranquia Monitorias Reforço Escolar é a prova de que o segmento de educação on-line está aquecido. A marca que entrou para o franchising em agosto de 2020, com menos de um ano de atuação já fechou 20 contratos.

Com o conceito de levar aulas de reforço escolar de forma on-line, a rede tem um grande diferencial no mercado, principalmente nesse momento de pandemia em que os pais buscam assistência especializada para melhorar o desempenho dos filhos na escola e evitar reprovações.

Os mais de sete mil professores homologados pela Monitorias estão localizados em todo Brasil e passam por um rigoroso processo de seleção para que integrem o time da franqueadora.

O modelo de negócio tem atraído brasileiros em busca de abrir o próprio negócio de várias regiões devido a fácil operação, poder atuar home based, e baixo investimento – a partir de R$ 5.990.

A rede de franquia é administrada pelos empreendedores Rafael Rocha, Carolinne Coutinho e Danielle Ratte.

Inaugurações

Somente nesse último mês de maio foram inauguradas seis novas operações em Fortaleza (CE), Manaus (AM), Mogi das Cruzes (SP), Quirinópolis (GO), São José dos Pinhais (SP), e Volta Redonda (RJ).

“Estamos muitos satisfeitos com o crescimento que a rede vem tendo nos últimos meses, mesmo em meio a pandemia, possibilitando alcançar todas as regiões do país”, enfatiza Rafael Rocha, CEO da Monitorias Reforço Escolar.

Fortaleza/CE

Eduardo Reis Arruda, 31 anos, é formado em Técnico em Transações Imobiliárias e acaba de inaugurar sua operação da Monitorias Reforço Escolar em Fortaleza (CE). Há mais de dez anos empreendendo no mercado imobiliário, o jovem foi em busca de um novo investimento ligado à tecnologia e educação.

“O maior atrativo desse negócio é sem dúvidas a escolha do professor de acordo com o perfil do aluno. Logo, ao encontrar o professor que se identifica diretamente com o perfil do aluno em específico, somente isso já aumenta muito a qualidade do ensino. Unindo aos professores serem especialistas, capacitados e as aulas serem on-line, gerando conforto e comodidade”, avalia Arruda.

O franqueado conciliará o novo empreendimento com sua empresa de soluções imobiliárias.

“Empreender sempre é um desafio e sempre terá riscos. O importante é estudar bastante para reduzi-los o máximo possível. Percebo muitos pais reclamando que os filhos não tiveram educação o suficiente em 2020 e isso é uma preocupação que podemos solucionar, reduzindo assim o risco de uma reprovação”, diz.

Sobre o que espera da vida de empreendedor, Arruda é categórico: “Os desafios existem e é preciso muita dedicação, pois empreender traz muita responsabilidade. É importante ter consciência de que seu retorno é diretamente proporcional ao seu empenho, proatividade e resiliência”, finaliza.

Manaus/AM

Mesmo com experiência em outros três negócios próprios (setor de turismo, produtos naturais e eletrodomésticos) que não deram certo, Rakel Simas Corrêa, de 44 anos, não tem medo de empreender. Com mais de 20 anos de experiência em recursos humanos, inclusive em empresas multinacionais, com a pandemia e diante de algumas necessidades pessoais, ela abre uma operação da Monitorias em Manaus (AM).

“Como mãe de uma adolescente no Ensino Médio sei que este é um mercado que está passando por uma grande transformação no momento, então a proposta da Monitorias vem justamente de encontro com estas mudanças. Outro ponto ao analisar algumas propostas de franquias foi o fato de ser um negócio home based e com baixo investimento. Pesquisei outras franquias que atuam no mesmo mercado e a Monitorias foi a que apresentou melhor estrutura e suporte ao franqueado”, afirma Rakel.

 A empreendedora revela que busca ter um negócio rentável e sustentável por um longo período e principalmente que realmente atenda às necessidades dos clientes que contratarem o serviço. Para isso, espera faturar em curto prazo em torno de R$ 4 mil. Já em longo prazo, as expectativas são de alcançar a margem de R$ 12 mil nesse novo negócio.

Mogi das Cruzes/SP

Paula Roberta Rocha Damásio Castro, de 40 anos, é formada em Letras e Pedagogia. Há dois anos deixou de exercer sua profissão como professora do Ensino Fundamental e Médio, pois seu esposo foi transferido de Minas Gerais para São Paulo. Apaixonada pela área da educação, Paula foi em busca de um negócio que pudesse tocar de casa e que não a afastasse desse segmento.

 “Conheci a franquia através de pesquisas na internet sobre formas de atuar na área da educação. O investimento foi decisivo quando percebi que a Monitorias representa uma resposta tanto aos meus anseios de trabalhar na educação de forma on-line quanto uma chave, um apoio pedagógico definitivo para todos os pais e alunos que sofreram o impacto de ter que se adaptar ao ensino a distância”, afirma Castro, que acaba de se tornar franqueada da Monitorias Reforço Escolar em Mogi das Cruzes (SP).

Ela que é mãe de três filhos: Gustavo de 13 anos, Júlia de 10 anos e Daniel de apenas 3 aninhos e, trocou a presença em sala de aula para ter seu próprio negócio, dessa vez como coordenadora pedagógica. Para ela empreender em meio à pandemia é um desafio, porque cada situação é algo inesperado. Entretanto, também acredita que a pandemia fez emergir um lado positivo, talentos e habilidades empreendedoras nasceram por causa dos impactos que ela provocou.

“Jamais havia feito planos de adquirir uma franquia, mas às vezes nossas melhores escolhas são aquelas que não estavam em nossos planos. Creio que Deus guiou meus passos para viver duas mudanças significativas de cidade com o propósito que eu descobrisse novos caminhos para exercer a profissão de que tanto gosto”, finaliza.

Quirinópolis/GO

Paulo Vittor Parecis Silva, de 34 anos, acaba de abrir a operação em Quirinópolis (GO), em parceria com sua irmã. Com doutorado em biologia, Paulo optou pelo Monitorias por ter se cadastrado como professor na plataforma da marca muito antes dela se tornar franquia.

“Quando já estava pensando em começar um negócio, encontrei a rede em pesquisas na internet. Eu procurava uma franquia que tivesse relação com a minha formação e experiência. Os principais atrativos da Monitorias foi o investimento inicial relativamente baixo, o sistema de operação integrado, o meu conhecimento no setor, a possibilidade de conciliar com a minha atividade atual e a expectativa no crescimento da demanda em aulas de reforço”, diz.

Paulo conciliará a administração da franquia com o seu trabalho de perito criminal. Para ele que já esteve à frente de uma sala de aula o setor de educação sempre foi muito promissor.

“A demanda por novos conhecimentos ou consolidação de aprendizado sempre ocorreu. Com a pandemia essa demanda aumentou. Muitas crianças e adolescentes precisam de reforço escolar. O interior de Goiás, em específico na região de Quirinópolis, não apresenta um serviço desse nível e grau de satisfação oferecido pela Monitorias. Por isso, acredito que seja uma ótima oportunidade”, avalia o jovem.

São José dos Pinhais/ PR

Leonardo Fagundes de Souza Borges, de 29 anos, após trabalhar durante anos no segmento de turismo, viu seu negócio próprio amargar após a queda das viagens de turismo caírem a quase zero com o início da pandemia, com isso o negócio não sustentou.

Sua mãe que é professora então deu a dica: porque não empreender no segmento de educação?

“Acredito que a pandemia vai impulsionar a demanda por reforço escolar no Brasil inteiro. O modelo escolar tradicional, que já não era tão eficiente há algum tempo, não é suficiente para o processo de alfabetização das crianças. Acredito que o setor terá muita demanda”, diz Borges que acaba de abrir a franquia em São José dos Pinhais, no interior de São Paulo.

O jovem conciliará o trabalho da franquia home office com outro negócio próprio também recentemente aberto, o de distribuidora de bebidas.

Volta Redonda/RJ

Paula Tonioni Cunha, de 39 anos sabe muito bem o caminho de empreender na área de educação. Professora há 16 anos, atualmente é gestora em um colégio estadual em Volta Redonda (RJ). Ela também administra, junto a sócios, três empresas próprias de curso pré-vestibular.

Segundo ela, que é formada em ciências biológicas, a escolha de abrir uma franquia Monitorias se deu ao fato de ter algo próprio, sem contar com sociedade no negócio.

“Sou apaixonada pela educação e empreendedorismo. Concilio meu trabalho tendo planejamento, e meus cargos me possibilitam flexibilidade. Ter um negócio home office foi algo que me atraiu para abrir a franquia”, enfatiza a recém-franqueada da Monitorias em Volta Redonda (RJ).

Deixe uma resposta