Pandemia evidencia necessidade de investimento em saúde privada e pública

A pandemia de covid-19 que afeta o país e o mundo, mostrou como os sistemas de saúde privado e público podem ser complementares para o atendimento da população. Empresas privadas, como a Instruaud, reforçaram a parceria com o Estado, mobilizando pessoal e insumos para o atendimento além dos próprios clientes. A empresa, de Porto Velho (RO), está em processo de expansão para todo o território nacional, usando um sistema inédito de capitalização por meio de tokens digitais.

De acordo com os dados da empresa, a maioria dos atendimentos de transportes terrestre e aéreo em 2020 foi para pacientes graves com o novo coronavírus: em média 68% e 83%, respectivamente. Ao todo, foram registradas mais de 8 mil remoções terrestres e 205 aéreas somente no ano passado.

“Foi sem dúvida o maior desafio nesses nove anos de Instruaud e que ainda estamos vencendo. Tudo só foi possível graças ao perfil empreendedor e inovador que alimenta a nossa empresa, nossas frotas de ambulâncias são novas e equipadas com o que há de mais moderno no segmento de transporte de pacientes de UTI”, explica a CEO da Instruaud, Carla Ferreira Macedo. Além disso, ela comenta que atualmente eles estão preparados para todos os tipos de transporte de baixa a alta complexidade.

Este número demonstra a necessidade não somente de complementaridade dos sistemas privado e público de saúde, mas também evidenciou a necessidade de investimento no atendimento em saúde, em ambas as esferas. “É uma área que cresce naturalmente e a pandemia veio para dar um desafio ao setor. Mas a demanda é crescente, quanto mais atendimento se tem, mais se usa”, comenta.

CRYPTOASSET INSTRUAUD

Ela também observa que a própria pandemia estimulou o crescimento e a necessidade de mobilizar recursos para a expansão. Desta forma, no mês de junho, a Instruaud lançou uma novidade no ramo de blockchain: o  CryptoAsset Instruaud – o primeiro projeto do país de compra de token digital no segmento de saúde.

O principal objetivo da tokenização é gerar recursos para a abertura de novas unidades da Instruaud em todas as capitais do país – movimentando a economia brasileira e gerando novos postos de emprego. “Além disso, a ideia é democratizar o investimento, ou seja, o comprador não terá preocupação jurídica com a empresa, pois não é uma sociedade, mas é um investidor que tem o direito de acompanhar tudo que será feito com a venda desse token”, explica Carla. “Estamos, de fato, democratizando o acesso, pois pessoas físicas e jurídicas poderão comprar o token”, conclui. 

O comprador interessado no token Instruaud pode adquirir o ativo de forma simples pelo site da empresa (www.instruaud.com). A reserva é feita com preenchimento de um cadastro. Além disso, o regulamento do ativo determina que o comprador precisa necessariamente divulgar o token em suas redes sociais para ter direito aos benefícios patrimoniais da empresa, calculado em até 6% do faturamento líquido, nos termos do WhitePaper e do regulamento do projeto.

A primeira unidade que deverá ser aberta com a venda do token IAUD será  a de Manaus (AM). Carla conta que para a capital do Amazonas, a Instruaud pretende atender não somente com os serviços atuais de transporte terrestre e aéreo, mas também das chamadas “ambulanchas”. “Hoje a Instruaud é referência na região, quem quer um transporte rápido e de qualidade, nos procura. E queremos levar esse modelo de negócio para todas as unidades”.

Deixe uma resposta