Evandro Leitão anuncia ações do Cadastro Solidário no Interior e concurso na AL

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Evandro Leitão (PDT), adiantou que, nas próximas semanas, o Cadastro Solidário, iniciativa que visa a realizar o cadastramento da população para a vacinação contra a Covid-19, vai ser expandido para 14 macrorregiões do Estado.

O anúncio foi feito em entrevista do chefe do Poder Legislativo ao programa Conexão Assembleia, da rádio FM Assembleia (96,7MHz). Na oportunidade, Evandro informou ainda sobre a retomada do concurso da instituição no próximo semestre.

A ação de cadastramento integra o Pacto Contra o Coronavírus no Ceará, formado pela Assembleia Legislativa e 15 entidades representativas da economia cearense, instituições públicas e sociedade civil organizada, que buscam unir esforços no sentido de sensibilizar a população cearense em relação aos cuidados diante da pandemia de Covid-19 e facilitar o cadastramento para a vacinação.

De acordo com Evandro Leitão, após ações do pacto realizadas em Fortaleza, com o cadastro de vacinação para a população da Barra do Ceará e o seu entorno, além da mobilização da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) em agilizar o processo de cadastramento, o projeto pretende agora percorrer 14 municípios das 14 macrorregiões do Estado.

“Nós vamos fazer esse trabalho, a partir das próximas semanas, junto à Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) e à Câmara dos Vereadores desses municípios, levando toda uma estrutura para fazer esse cadastramento de vacinação da população, buscando controlar e combater a pandemia”, comunicou o presidente.

As diversas contribuições dadas pelo Legislativo estadual no período de pandemia foram lembradas pelo presidente, como as matérias aprovadas pela Casa que possibilitaram a oferta de vale-gás, assim como a isenção de água e de energia para as pessoas mais afetadas pela pandemia; bem como a do vale-alimentação para alunos da rede pública de ensino, entre outras. “Foram diversas matérias importantes aprovadas pela Assembleia e que buscaram amenizar a vida de milhares de cearenses impactados pela pandemia”, reforçou.

A iniciativa do Poder Legislativo de arrecadar alimentos para a população mais vulnerável nesse momento também foi lembrada. “Nós percebemos que nas esquinas e sinais existe um contingente enorme de pedintes, em uma proporção muito maior do que antes da pandemia. E isso nos chamou a atenção no sentido de unir esforços junto ao setor produtivo para arrecadar alimentos e ajudar essa população”, apontou. Ele comentou que, com a articulação da Assembleia, foram arrecadadas 33 toneladas de alimentos, que foram doados para diversas entidades de assistência social.

No mesmo sentido, o presidente da AL acrescentou que já foi aprovado pela Casa projeto que autoriza a compra e distribuição de cestas básicas para famílias de todo o Ceará que estejam em maior situação de vulnerabilidade social, enquanto perdurar o estado de calamidade pública. “Nós criamos um critério para contemplar essas famílias, que é o relativo ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios cearenses. Quanto menor o IDH, mais pobre é o município. E, até o final desse mês de julho, nós pretendemos distribuir 10 mil cestas básicas nos municípios cearenses de menor IDH”, pontuou. Para o parlamentar, “é uma forma que a Assembleia tem de se mostrar sensível e contribuir em um momento de imensa dificuldade”.

O Núcleo de Responsabilidade Social (NRS) está nessa perspectiva, sendo implementado para prestar um olhar diferenciado nas questões do meio ambiente e da vida humana em si, pontuou Evandro Leitão. “Ele vem somado com o fortalecimento de outras áreas, como o Departamento de Saúde e Assistência Social e a Procuradoria Especial da Mulher, buscando criar estruturas que fortaleçam vínculos entre a Casa e as comunidades do entorno, fazendo com que as pessoas tenham dignidade maior e se sintam recepcionadas e bem acolhidas pelo Poder Legislativo”, avaliou o presidente.

CONCURSO DA AL

Evandro Leitão informou ainda que o concurso da AL vai acontecer na segunda quinzena de novembro, com data ainda a ser definida. “Após adiamentos por conta da pandemia, nós vamos realizar esse concurso, disponibilizando 100 vagas de nível médio e superior para a população cearense”, assinalou, complementando que até o final do seu mandato como presidente a intenção é realizar outro concurso.

“O objetivo é incorporar uma nova força de trabalho para o Poder Legislativo, proporcionando uma renovação de profissionais que mantenham a Assembleia crescendo, projetando-se e prestando um bom serviço à população cearense”, enfatizou o presidente. Evandro Leitão abordou ainda os projetos do Poder Legislativo que buscam “humanizar” as ações da Casa, aproximando o Parlamento da sociedade.

O parlamentar comentou também sobre as adaptações que a Assembleia Legislativa teve que realizar para manter as suas atividades em funcionamento, com a prestação de serviços à população, durante os períodos de isolamento social mais rígido. “Nós tivemos que fazer algumas adequações, já que não poderíamos parar nossos trabalhos por completo. Então, mesmo com a Casa fechada por alguns períodos, mantivemos os nossos trabalhos internos, com a realização de reuniões e sessões plenárias por meio de plataformas virtuais, sem gerar uma descontinuidade nos processos decisórios”, observou.

Ainda conforme o presidente, com a melhoria gradual dos indicadores da pandemia, foi possível retomar aos poucos a atividade presencial de alguns setores da Assembleia, com adaptações. “No Departamento de Saúde e Assistência Social, por exemplo, nós criamos o Telemedicina, que faz o atendimento de pessoas virtualmente, sem a necessidade de ser presencial”, citou.

Durante a entrevista, o primeiro vice-presidente da Casa, deputado Fernando Santana (PT), questionou sobre qual o sentimento de assumir um desafio da importância que é presidir o Poder Legislativo do Estado. Evandro Leitão respondeu que o sentimento primeiramente é de gratidão aos 45 colegas que o colocaram nessa posição e também que se trata de uma grande responsabilidade. “É necessário ter muita sensibilidade para estar nessa posição, de saber ouvir as críticas, de saber se policiar, preservando as nossas convicções e linhas ideológicas de pensar, mas sempre respeitando as opiniões contrárias. Somos uma casa plural e, em um regime democrático, é essencial ouvir e respeitar a opinião contrária”, acrescentou.  

Deixe uma resposta