Startup Diligente conquista o selo Cubo Itaú

O mês de julho marca o início de uma nova história na trajetória da startup Diligente, plataforma colaborativa para contratação de correspondentes jurídicos, pois o aplicativo conquistou o selo de qualidade do Cubo Itaú, mais relevante hub de startups da América Latina. “Receber este selo consagra a grande virada de posicionamento da nossa plataforma no mercado de soluções de inovação e tecnologia”, afirma Herton Götz, presidente do Conselho da Diligente. 

Considerada o ‘Uber dos advogados’, a plataforma surgiu de uma necessidade de um escritório de advocacia para contratar diligências de cópias na cidade de São Paulo. “Era muito demorado e burocrático encontrar um profissional para este serviço. A partir desta dificuldade, surgiu a ideia de criar a plataforma, que hoje reúne inúmeros escritórios e departamentos jurídicos do país para contratação dos mais diversos tipos de diligências jurídicas, como audiências, despachos e até mesmo diligências em órgãos da administração pública”, explica Pedro Vale, co-fundador da Diligente. 

Já com a operação consolidada, os gestores do aplicativo comemoraram aquilo que, segundo eles, será a grande arrancada do serviço. “Estamos muito confiantes com a geração de visibilidade que o selo Cubo nos trará. O reconhecimento da Redpoint eventures e do Itaú traz o aval e a confiança de que a nossa operação já foi amplamente avaliada e validada, requisitos buscados pelas empresas de grande porte”, afirma Bruna Zandonadi, uma das fundadorasda Diligente. 

No mercado desde 2017, a Diligente realiza a conexão instantânea de profissionais autônomos às demandas de diligências solicitadas por escritórios de advocacia e departamentos jurídicos. “Somos uma plataforma colaborativa para contratação de advogados correspondentes em todo território nacional, que permite fazer de forma simples a gestão e o pagamento de diligências de escritórios que atuam com contencioso de massa, tudo online, gerando uma economia de tempo e custo na operação desses escritórios”, completa Bruna. 

Hoje, com a inteligência de dados acumulada, principalmente quando o assunto é geolocalização dos correspondentes jurídicos, a Diligente consegue reunir a incrível marca de 10 mil profissionais cadastrados na sua base. 

Bruna destaca que o backoffice especializado em contencioso de massa é um dos grandes diferenciais da plataforma. “Com o uso da tecnologia, somos capazes de escalar serviços tradicionais da velha economia, como de logísticas jurídicas. Isso permite, por exemplo, que um escritório ou departamento jurídico que contrata inúmeras diligências por mês, realize um único pagamento, que é dividido e repassado de forma automática para todos os advogados correspondentes contratados.” 

A startup, que já recebeu aportes de investidores externos, diz que o que contribuiu para o seu crescimento exponencial foi a destinação desses investimentos no desenvolvimento de integração com os principais sistemas de gestão de processos do país.

Para o economista Ricardo Amorim, o aplicativo “permite uma aceleração e um aumento de produtividade brutal”. A menção foi feita durante a palestra de abertura da FENALAW, a maior feira de negócios jurídicos da América Latina.

Seleção 

O processo seletivo do Cubo Itaú para startups é rigoroso e contínuo. Durante a avaliação são observados critérios, por exemplo, se a empresa realmente desenvolve uma solução útil para problemas reais, além de levar em consideração a escalabilidade, as oportunidades de mercado, a atratividade de investimento e se existe um alinhamento entre as culturas da startup e a vigente no ecossistema do Cubo.

Em 2020, as startups da comunidade levantaram mais de R$ 1 bilhão de reais e alcançaram, em média, o triplo do faturamento, além de um crescimento em 48% na geração de empregos, se comparado ao ano anterior.

Para o advogado Bruno Souza,  sócio do escritório Urbano Vitalino Advogados, especializado em contencioso de volume, com mais de 180 mil processos ativos no Brasil, a Diligente é uma plataforma inovadora, com controle extremamente rígido dos advogados credenciados, propiciando uma gestão eficiente para a administração de todos os atos processuais, bem como organização na distribuição dos pagamentos.

Alexandre Zavaglia, um dos pioneiros em projetos de Ciência de Dados na área do Direito e no uso de técnicas de inteligência artificial, acredita que a plataforma tem um grande diferencial ao utilizar tecnologia avançada para a experiência dos usuários e o monitoramento de cada uma das etapas dos trabalhos, com a grande preocupação com a qualidade dos prestadores de serviços, em um modelo financeiro que privilegia o conceito de plataforma e de distribuição das receitas.

Responsabilidade social

O posicionamento da Diligente no mercado não visa apenas o benefício dos grandes escritórios de advocacia, mas também a geração de oportunidades para profissionais autônomos.

Para Leandro Götz, co-fundador da plataforma, “o modelo de economia colaborativa permite que profissionais independentes utilizem a tecnologia a favor do acesso ao trabalho, transformando o conceito de empregabilidade em um futuro de ocupação e renda como forma de geração de valor e inclusão, impulsionando a economia e reduzindo drasticamente a desigualdade e o desemprego.” 

De acordo com Lara Tiburcio, advogada cadastrada na plataforma como prestadora de serviços, a Diligente abriu portas que ela jamais imaginou ao gerar oportunidade de trabalho e renda, ainda mais no período da pandemia. “Tenho orgulho em dizer que sou uma Diligente“, declara Lara. 

“A Diligente deixou de ser apenas um projeto e se tornou um conceito real de trabalho. A mudança cultural no mundo jurídico já é realidade e estamos muito felizes em fazer parte dessa transformação“ complementa Pedro Vale, co-fundador da plataforma.

Deixe uma resposta