A Coluna do Roberto Maciel (20.7, terça-feira): O padre e os “cristãos”

  • Morando há 50 anos no Brasil, o padre de origem italiana Lino Allegri fez e faz história no Ceará. Pessoas honestas, democráticas e sintonizadas com causas sociais o respeitam e admiram – sentimentos que nutrem também em relação ao irmão dele, também padre, Ermano. Lino Allegri tornou-se um combatente progressista experimentado em diferentes batalhas. Mostrou verdadeiro empenho cristão pela saúde pública, pelos direitos humanos, pela habitação popular, pelo saneamento, pelo emprego e renda, pela alimentação, contra a violência e pela paz. Não é apenas reconhecido dessa forma no Brasil, mas no mundo todo. Há muitos textos em universidades e outras instituições internacionais que o citam em considerações diversas. Pelo esforço que empreende, Lino encontrou não só o apoio – viu diante de si, também, incompreensões e ameaças.

Outros
É o que se passa agora. Atuante na Paróquia da Paz, no rico bairro da Aldeota, em Fortaleza, o coerente Lino está sendo ameaçado por fascistas ao vivo e em redes sociais. Gente que, acredite!, frequenta missas, comunga e reza pela salvação de almas. Gente que acha que, mostrando os dentes e rosnando, é capaz de intimidar um padre destemido. É bom que se saiba: Lino Allegri já encarou desafios de enfrentar traficantes, milicianos, faccionados e outros bandidos. Já colocou grileiros para correr. Já peitou policiais corruptos. Até perdeu a conta dos debates que travou, e ganhou, em fóruns políticos.

Comprovação

Educação em Tempos de Crise | Jatai Direito

Com retardo compatível com os tempos atuais no Brasil, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, divulgou o primeiro estudo de impactos causados pelo vírus no ensino. Chama-se “Pesquisa Resposta Educacional à Pandemia de Covid-19 no Brasil”. O levantamento analisa a educação básica e aponta que nove entre 10 escolas (90,1%) não retornaram às atividades presenciais no ano letivo de 2020. É gravíssimo. Afinal, não se tem aí apenas um recorte do momento, mas também um elemento a partir do qual pode-se projetar o dano causado à nação pela incidência do vírus num campo estratégico. A isso, soma-se a escandalosa decisão do governo federal de menosprezar a violência da pandemia e a importância das vacinas.

De mal a pior
O estudo do Inep destaca, ainda, o profundo abismo social que se acentua nas condições das escolas. Diz lá que o ensino privado fechou 70,9% das escolas no ano passado, enquanto na rede pública o corte foi mais intenso, fechando 98,4% das escolas federais, 97,5% das municipais e 85,9% das estaduais. O mais grave é que não se nota nas retóricas oficiais nada, absolutamente nada, que indique preocupação com o tema – menos ainda sinalização de que se busca solução.

Prejuízos
Observação do presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Vitor de Angelo, à Agência Senado: “Quanto mais rápido retomarmos as atividades presenciais, ainda que em um formato híbrido, melhor será a situação, embora não ideal. Quanto antes a pandemia passar e pudermos voltar a uma normalidade, com 100% dos alunos em sala de aula, melhor será o contexto para ensinar e para aprender. Então, certamente o prolongado período sem aulas, ou de aulas presenciais combinadas com atividades remotas, trouxe sérios prejuízos para a aprendizagem no Brasil”. Você pode aprofundar informações sobre o caos educacional em https://www12.senado.leg.br/noticias/infomaterias/2021/07/pandemia-acentua-deficit-educacional-e-exige-acoes-do-poder-publico.

Como é que é?
Já abordamos esse assunto na Coluna, assim como nos espantamos com a visão bolsonarista-otimista que tem prosperado em empresas e fachadas ricas de Fortaleza. Dizem, faixas, apliques e pinturas, que “Vai Dar Certo”. Mais uma vez, diante da desolação nas escolas e na economia, diante da perda de 545 mil vidas, perguntamos: o que é que vai dar certo?

UNIMED FORTALEZA CONTA A HISTÓRIA POR TRÁS DA CAMPANHA #VAIDARCERTO

De volta
Referência em cursos pré-vestibulares em Fortaleza desde a década de 1980, o secretário do Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno, está de volta ao magistério – do qual, a rigor, nunca saiu, mas teve de abrir pausas por conta das atividades na política e em outras funções públicas. Pois bem: Bruno vai ministrar o curso “O Mundo Asiático”, tratando de História, Geografia, Economia, Política e Cultura, de 2 de agosto a 13 de dezembro.

Bem ali
Para quem acha que a Ásia é muito longe, é bom lembrar que as relações do Brasil com países como China, Japão e Coréia do Sul estão cada vez mais próximas. Há interesses mútuos extremamente relevantes. O episódio desgastante em que os então ministros da Educação e das Relações Exteriores e o deputado Eduardo Bolsonaro atacaram virulentamente o governo chinês, com péssimos reflexos para o Brasil, é exemplo disso.

Impulso
Esta semana tem uma marca relevante para o Ceará. É que o Governo do Estado firmou os primeiros contratos do programa de microcrédito produtivo orientado, chamado de “Ceará Credi”. A ação, que virou uma espécie de “menina dos olhos” do governador Camilo Santana (PT), prevê R$ 100 milhões de investimentos e já conta com cerca de 30 mil pessoas inscritas. Os cadastrados estão tendo as informações analisadas. Os créditos variam de R$ 500,00 a R$ 5 mil.

Medida
Soma R$ 3.604.795,72 o investimento que a Prefeitura de Fortaleza vai fazer para urbanizar a Lagoa do Papicu. Não se trata apenas de uma obra cosmética, capaz de embelezar a área. É, sim, uma medida que pode resolver parte dos alagamentos que se verificam na região em épocas chuvosas. E é também uma demanda antiga: desde as gestões de Juraci Magalhães, entre as décadas de 1990 e 2000, a comunidade requer providências.

Teto
O aprazível município de São Benedito vai ganhar um imóvel para chamar de seu. Trata-se de casa na qual será instalado o Setor de Arrecadação da Secretaria de Finanças. O Governo do Ceará, também interessado em melhorar a receita local, é que está doando o bem.

São Benedito (Ceará) – Wikipédia, a enciclopédia livre

Coluna da Hora
Está no ar no podcast da Coluna da Hora live com o deputado estadual Salmito Filho (PDT). Ex-vereador, Salmito fala sobre os desafios da socidade de, passada a pandemia, retomar a normalidade. E trata também de propostas em tempos de pandemia. Todas as entrevistas da Coluna da Hora estão nas principais plataformas de áudio.

Você pode escolher os conteúdos e as plataformas:

BREAKER https://www.breaker.audio/coluna-da-hora-roberto-maciel

GOOGLE https://www.google.com/podcasts?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy81Nzk0NGNlMC9wb2RjYXN0L3Jzcw==

RADIOPUBLIC https://radiopublic.com/coluna-da-hora-roberto-maciel-G4OwnD

SPOTIFY https://open.spotify.com/show/7K2jicVkzRVoePNumXUTIw

Sua opinião vale muito
Os leitores têm canais livres com o Portal InvestNE e com a Coluna do Roberto Maciel. Nosso e-mail é portalinvestne@gmail.com e o número de WhatsApp é +55 85 99855 9789.

Deixe uma resposta