Ceará avança na geração de empregos e é líder no Nordeste

O Estado do Ceará tem se destacado no Nordeste na geração de empregos. Em junho, houve contratação com carteira assinada em todos setores econômicos. O saldo geral foi de 9.717 novos empregos, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado essa semana pelo Ministério da Economia.

Além de liderar o ranking do saldo de empregos entre os nove estados do Nordeste, a geração foi bem distribuída nos setores de Serviços (4.060), Comércio (2.461), Construção Civil (1.367), Indústria (1.085) e Agropecuária (744). “O número mais expressivo vem do setores de comércio e serviços, que são os que impulsionam o nosso PIB, geram mais riquezas e  empregos para a população cearense”, ressaltou o secretário executivo de Trabalho e Empreendedorismo da Sedet, Kennedy Vasconcelos.

Fortaleza lidera o ranking dos municípios que mais geraram oportunidades de trabalho, com 4.820. Em seguida vem as cidades de Juazeiro do Norte (970), Icapuí (445), Eusébio (357), São Gonçalo do Amarante (334), Caucaia (309), Sobral (295), Maracanaú (182), Crato (155) e Horizonte (140). “A maioria desses municípios tem indústria forte e sabemos que por trás de uma indústria tem sempre uma série de empresas que prestam serviços ou que fornecem mercadorias. Isso gera um ecossistema positivo e as cidades naturalmente geram mais oportunidades”, disse Kennedy.

Outro dado do Caged que chama atenção é o acumulado dos últimos anos na geração de empregos.  Os anos de 2015, 2016 e 2017 tiveram saldo de empregos negativos. Já de 2018, 2019,  2020 e primeiro semestre de 2021, o Ceará conseguiu inverter a curva e conquistou saldos positivos. “Essa virada passa acontecer à medida que uma série de ações, fruto do esforço do Governo do Estado, passa a acontecer e torna melhor o ambiente para o empreendedorismo, o que repercute positivamente no saldo de empregos nos últimos anos”, afirmou o secretário executivo da Sedet.

Somente nos seis primeiros meses deste ano (janeiro a junho 2021), o saldo de empregos foi de 33.256. Para o secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior, até o fim do ano esse número será ainda maior pelo histórico do segundo semestre ter uma ativação mais forte da economia. O avanço da vacinação também vem contribuindo para o setor econômico se restabelecer. “Nós estamos vendo hoje o resultado de uma transformação da nossa economia a partir do Ceará Veloz, lançado pelo governador Camilo Santana em 2018. Um plano de governo que melhora a ambiência no sentido de criar oportunidades em todo Ceará. Nos faz buscar novas soluções, novas saídas para proporcionar melhorias na vida da população cearense”, afirmou Maia Júnior.

Deixe uma resposta