Serasa: 63% dos brasileiros acham que crédito será importante na retomada econômica

A busca por crédito durante e pós-pandemia tem revelado tendências. Para entender o comportamento e a percepção dos brasileiros neste cenário, a Serasa, em parceria com a Opinion Box, realizou o estudo “O papel do crédito em um momento de retomada”, que constatou que para 63% dos brasileiros é clara a importância do crédito na retomada econômica como um todo, mesmo com a percepção de que as taxas estão mais altas no momento.

O levantamento constatou, ainda, que 79% dos entrevistados utilizaram algum tipo de crédito durante a pandemia, e o cartão de crédito foi a fonte mais utilizada por 62% dos brasileiros para, principalmente, comprar itens essenciais como higiene pessoal e alimentos. Observou-se, ainda, que 3 em cada 10 brasileiros tiveram que usar algum tipo de crédito por seis ou mais vezes durante o período. Entre aqueles que pretendem utilizar crédito no pós-pandemia, o cartão de crédito continuará a ser a fonte mais procurada de recursos, sendo buscado principalmente em bancos tradicionais e digitais. Segundo o estudo, a tomada de crédito neste segundo momento visa, ainda, a compra de itens essenciais e o pagamento de dívidas.

De acordo com Amanda Rapouzo, gerente da Serasa, o estudo reforça a tendência de que o brasileiro precisará de crédito para recomeçar e a dúvida será escolher a melhor alternativa com tantas opções no mercado. “Acreditamos que uma vida financeira saudável só é possível se você for capaz de identificar a melhor alternativa para o seu caso. O Serasa eCred, marketplace de crédito da Serasa, vem para democratizar o acesso ao crédito e ajudar nesta decisão. Seja em grandes bancos ou em bancos digitais, é importante que o consumidor tenha uma clara visão das ofertas que ele tem ao seu dispor e possa escolher o que melhor se adequa ao seu perfil e orçamento”, explica.

O aumento expressivo no tráfego de internet no Brasil registrado no último ano também é refletido em como os consumidores têm se informado: meios digitais como sites, aplicativos, serviços de busca e redes sociais têm sido a principal fonte de informação sobre crédito. Além disso, 37% dos que tiveram crédito recusado em alguma instituição viram bancos digitais como uma alternativa para acesso ao recurso. 6 em cada 10 pessoas consideram que plataformas digitais têm melhores condições de pagamentos e facilidade de busca.

Equidade de gênero também é um ponto de atenção dentro da concessão de crédito: enquanto quase metade dos homens (48%) têm o limite do cartão de crédito superior a R$3.600, apenas 41% das mulheres estão nessa categoria. Amanda Rapouzo explica que isso pode ser reflexo da disparidade salarial ainda existente no país, além da desigualdade entre homens e mulheres ainda existente.

A pesquisa “O papel do crédito em um momento de retomada” ouviu 2.068 pessoas em todas as regiões do país entre 22 de junho e 2 de julho de 2021. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o intervalo de confiança é de 95%.

Deixe uma resposta