Ceará ultrapassa 14 mil conexões de geração própria de energia solar

Mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) aponta que Ceará ultrapassou 14 mil conexões de geração própria de energia solar em telhados e pequenos terrenos. A região possui 206,3 megawatts (MW) em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

A potência instalada de geração própria de energia solar no Ceará coloca o estado na nona posição do ranking nacional da Absolar. Segundo a entidade, o território cearense responde sozinho por 3,4% de todo o parque fotovoltaico brasileiro na modalidade.

O estado possui 14.422 conexões operacionais, espalhadas por 181 cidades, ou 98,4% dos 184 municípios da região. Atualmente, são cerca de 18.397 consumidores de energia elétrica que já contam com redução na conta de luz e maior autonomia e segurança elétrica.

Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou ao Ceará a atração de mais de R$ 1 bilhão em investimentos, geração de mais de 6 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 343,1 milhões aos cofres públicos.

Para Jonas Becker, coordenador estadual da ABSOLAR no Ceará, o estado é atualmente um importante centro de desenvolvimento da energia solar. “A tecnologia fotovoltaica representa um enorme potencial de desenvolvimento sustentável, econômico e social para os cearenses, com geração de emprego e renda, atração de investimentos privados e colaboração no combate às mudanças climáticas”, comenta.

De acordo com a entidade, o marco legal para a geração própria no Brasil, previsto no Projeto de Lei nº 5.829/2019, deve ser votado no retorno do recesso parlamentar e fortalecerá a segurança de suprimento elétrico em tempos de crise hídrica e bandeira vermelha na conta de luz. O PL é de autoria do deputado federal Silas Câmara e relatoria do deputado federal Lafayette de Andrada.

“Por isso, é fundamental o apoio da sociedade organizada e das empresas locais no sentido de estabelecer um arcabouço legal, transparente, justo e que reconheça os benefícios da energia solar na geração distribuída no País”, acrescenta Becker.

Para o presidente executivo da entidade, Rodrigo Sauaia, a energia solar fotovoltaica terá função cada vez mais estratégica para o atingimento das metas de desenvolvimento socioeconômico e sustentável em todos estados brasileiros, sobretudo neste momento de crise hídrica e aumento na conta de luz dos brasileiros. “A tecnologia fotovoltaica é essencial para a recuperação da economia após a pandemia, sendo a fonte renovável que mais gera empregos no planeta”, conclui Sauaia.

Deixe uma resposta