Olimpíadas de Tóquio são as mais caras da história

As Olimpíadas de Tóquio são consideradas as mais caras em volume financeiro já investido por um país. O Japão investiu mais de 28 bilhões de dólares, quase 30% a mais que a segunda competição mais cara já produzida (Rússia, em 2014), e mais que duas vezes a média gasta pelos outros países (12 bilhões de dólares).

É o que revela um estudo divulgado pela plataforma CupomValido.com.br, que reuniu dados do Comitê de Olimpíadas Internacional e Statista.

O Brasil não ficou muito para trás. Com as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, o país ficou na quarta posição com um dos maiores gastos, totalizando 13,7 bilhões de dólares.

Por que as Olimpíadas de Tóquio saíram tão caro?

O alto custo pode ser explicado principalmente por dois motivos.

O primeiro está relacionado ao orçamento previsto inicialmente para o investimento nas olimpíadas. Como existem diversas variáveis, o orçamento está sujeito a incertezas, que resultada em grandes estouros de gastos.

Desde 1960, todas as olímpiadas realizadas, sem exceção, tiveram um gasto superior que orçamento inicial planejado. No caso de Tóquio, houve um aumento de três vezes o custo inicial planejado.

O segundo pode ser explicado pela postergação do evento pelo COVID, com data inicialmente programada para 2020.

Estima-se que o Japão teve perda de mais de 5,7 bilhões de dólares, com gasto adicionais com manutenção, custo com cancelamentos e reorganização do evento. 

Além do custo para produção do evento sair maior, a receita caiu significativamente, pois mais de 800 mil ingressos foram reembolsados por solicitações de cancelamento dos compradores.

A pandemia afetou também o método de preferência para assistir as olimpíadas. Diferentemente dos anos anteriores que a preferência era assistir o evento no local, neste ano 59,8% das pessoas preferiram assistir de casa, contra 7,6% no local do evento.

Grande parte da população ainda é contra a realização das olimpíadas num panorama de contaminações da covid-19. Segundo a pesquisa, 57% da população é contra a realização das Olimpíadas de Tóquio, e no Brasil este número é ainda maior, 68% da população é contraria.

Medalhas feitas de celular

Diferentemente de todas as olimpíadas, as medalhas das de Tóquio foram confeccionadas a partir de celulares e outros aparelhos reciclados, como câmeras, notebooks e videogames.

O Japão realizou uma campanha na qual foram arrecadadas 78 toneladas de equipamentos e 6,2 milhões de telefones usados.

Isso resultou em 32kg de ouro puro, 3.500kg de prata e 2.200kg de cobre, que depois foram utilizados para a fabricação das medalhas.

Um fato curioso, é que a medalha de ouro contém 550 gramas de prata e somente 6 gramas de ouro. No total a medalha de ouro vale R$4.109, a de prata R$2.288 e a de bronze R$21 (cobre é um material extremamente barato).

Lembrando que este é o custo levando em consideração somente os preços dos metais utilizados na fabricação. É possível encontrar medalhas nos sites de leilões por até R$ 250 mil. No entanto, para muitos atletas, o preço de uma medalha é impagável.

Novas modalidades esportivas

As Olimpíadas de Tóquio terão 33 modalidades de esportes, e 22 na Paraolimpíadas. O atletismo é o esporte mais popular, seguido de beisebol e futebol, respectivamente.

Recentemente foram adicionadas as modalidades karatê, skate, escalada esportiva e surfe. Nas Paraolimpíadas, foram recentemente adicionados o badminton e taekwondo.

No total 11.500 atletas irão participar das olimpíadas, sendo o atletismo o esporte com mais participantes, no total são 1.900 atletas. Esportes aquáticos e ciclismos seguem em segunda e terceira posição, com 1.410 e 528, respectivamente.

Deixe uma resposta