Governo do Ceará entrega brinquedocreche e anuncia 150 novos equipamentos

As crianças da Unidade de Acolhimento Tia Júlia Primeira Infância, em Fortaleza, agora podem brincar e aprender em um espaço lúdico pensado para o desenvolvimento delas. O governador Camilo Santana (PT) entregou a brinquedocreche da casa.

Essa é a 36ª brinquedocreche entregue pelo Governo do Ceará. O equipamento faz parte do Programa Mais Infância Ceará, idealizado pela primeira-dama Onélia Santana. A entrega também marca o início das atividades em alusão ao mês da Primeira Infância, comemorado em agosto. “Já foram entregues a 35 municípios, e agora serão mais 150 brinquedocreches. Todos os municípios receberão pelo menos uma brinquedocreche. Da mesma forma, todos os municípios estão recebendo brinquedopraças, e todos os municípios acima de 50 mil habitantes estão recebendo a Praça Mais Infância, que é uma praça completa”, anunciou Camilo Santana, ressaltando que o Mais Infância Ceará comemora seis anos neste mês.

A brinquedocreche estimula a criatividade, socialização, afetividade, autoestima, raciocínio lógico, desenvolvimento das capacidades motoras, memória, percepção, imaginação e senso de organização das crianças por meio do ato de brincar. Na oportunidade, Onélia Santana explicou a necessidade do brincar para o desenvolvimento infantil. “É importante o brincar. A neurociência aponta e aprova que a criança brincando ela está se desenvolvendo integralmente. A partir disso, nós criamos um pilar dentro do Programa Mais Infância Ceará, que é o Tempo de Brincar. Então, hoje, o Governo do Estado entrega 150 brinquedocreches. São oito brinquedos lúdicos, interativos e aconchegantes, que vão dar oportunidade para o desenvolvimento dessas crianças. Para nós é uma alegria iniciar o mês de agosto com essas atividades”, garantiu.

Para isso, o equipamento conta com casinha petit, escorregador reto, tabela de basquete com bola, túnel lúdico, gangorra três lugares, piscina com bolinhas, toca 3 em 1, trave gol com bola, livros de literatura (kit com 40 livros) e jogos pedagógicos inclusivos — infantil e estante em formato de casinha, em MDF, com gaveteiro.

A titular da SPS, Socorro França, registrou a importância das políticas públicas que garantem avanços para a Primeira Infância. Ela destacou como avanço a política da Família Acolhedora, aprovada recentemente, e que reforça o vínculo das crianças acolhidas por outras famílias com a comunidade e parentes. “Poucos são os estados que têm a política da Família Acolhedora que o Governo do Ceará acaba de aprovar. Isso vai ser extremamente importante”.

Acolher e desenvolver
Administrado pela SPS, a Unidade de Acolhimento Tia Júlia Primeira Infância começou a funcionar no dia 12 de abril deste ano. Com capacidade para até 20 crianças, de zero a sete anos, a casa conta com quatro quartos, banheiro, cozinha, área de lazer com piscina e lavanderia. Atualmente, são acolhidas 18 crianças. Para Lígia Dodd, coordenadora da casa, o novo espaço fortalece o cuidado com o desenvolvimento das crianças. “É um espaço muito rico em aprendizado, com lousa magnética, brinquedos e novos recursos. Recurso muito interessante são os livros. Eles trouxeram bastantes livros, até em braille. Conseguimos acessar muitas crianças dessa forma, desenvolvendo elas. A gente tem o desafio de ensiná-las a brincar, a cuidar e a dividir também. Mas para as crianças é incrível, conseguimos ver nos olhinhos delas”, afirmou.

A equipe responsável pelo acolhimento é composta por cuidadores, enfermeiras, terapeutas ocupacionais, psicólogas, assistentes sociais e fisioterapeutas, além de cozinheiras, auxiliares de serviços gerais e motoristas. Todas as crianças em idade escolar estão matriculadas na rede pública de ensino.

Além da Unidade de Acolhimento Tia Júlia, sete unidades são administradas diretamente pela SPS, sendo três em Fortaleza e outras quatro regionalizadas nos municípios de Jaguaruana, Ararendá, Caririaçu e Itaitinga. Além dessas, quatro unidades são administradas de forma indireta. As 12 unidades somam 137 crianças e adolescentes acolhidos, entre eles há aqueles em manutenção do vínculo familiar e outros com o poder familiar destituído.

Deixe uma resposta