A Coluna do Roberto Maciel (sábado, 28.8): Pobres – cada vez mais pobres! – de nós

  • Estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística dá uma dimensão – pelo menos a presente, já que não pretende fazer projeções para o futuro – do que fomos transformados economicamente. Diz o IBGE que a renda média mensal do cidadão é agora de R$ 1.380,00. Antes da pandemia, esse valor chegava a R$ 1.439,00. Ou seja, abriu-se um buraco de quase R$ 60,00 no bolso do brasileiro – algo perto de 5%. É muito. Isso afeta demandas que envolvem alimentação, saúde, transporte, vestimenta, cultura, lazer e outras despesas básicas. O IBGE não ficou só nisso. Diz o órgão que 14% dos brasileiros que não eram considerados pobres em 2019 estão nessa situação em 2021.

Soma
Enquanto as condições de vida da população se degeneram drástica e aceleradamente, o presidente da República, a quem cabe zelar pelos interesses coletivos, espalha fake news, ameaça a democracia, tenta impor o voto impresso e busca desestabilizar o Poder Judiciário. Chega ao cúmulo de xingar de “otário” quem prefere comprar feijão a fuzil. E, pior, ainda encontra quem bata palminhas para ele.

Candidatos aproveitam cercadinho do Alvorada para fazer de Bolsonaro cabo  eleitoral - Portal Varada

Papo longo
Lula veio ao Ceará e, para horror de alas petistas mais à esquerda, conversou demoradamente com o ex-senador Eunício Oliveira (MDB). Há quem diga que Lula prometeu ao ex-presidente do Senado que o PT pode, se não apoiá-lo, pelo menos não atrapalhá-lo numa eventual candidatura a deputado federal em 2022.

Necessidade
Eunício teria ouvido isso com brilho nos olhos e saliva na boca. É que ele dorme, sonha e acorda pensando em se manter il capo do MDB cearense. Para preservar o poder inquestionável, teria de ser puxador de votos para o partido no ano que vem. Com um aceno positivo de Lula, a possibilidade se tornaria viável. Resta saber quem o PT escolheu para ter a reeleição sacrificada. Reflitamos: antes de ser reunir com o ex-senador, Lula conversou com o deputado federal José Airton Cirilo.

Justiça
E, no dia em que o presidente Jair Bolsonaro disparava mais uma ameaça à democracia, espalhando para apoiadores com quem conversa no portão do Palácio da Alvorada sugestões golpistas para 7 de setembro, a Justiça dava mais uma vitória a Lula. Uma magistrada do Distrito Federal disse que o petista não tem culpabilidade em processo movido contra ele – no caso, o do sítio de Atibaia (SP), cuja propriedade se tentava atribuir a Lula. foi a 17ª vez que isso aconteceu.

Astropoliticologia”
Coinciências há. E de sobra. Primeiro, o número de “livramentos” de Lula corresponde ao que Bolsonaro usou na eleição de 2018. Segundo: o sítio fica na mesma cidade onde um ajudante de Bolsonaro, o advogado Frederick Wassef, acoitava o miliciano Fabrício Queiroz, tido como gerente de “rachadinhas” no gabinete do filho 01 do presidente, Flávio Bolsonaro. Em terceiro lugar, a juíza que deu ganho a Lula se chama Polyanna – nome da personagem que sempre via o lado bom das coisas. Quarto ponto: o valor que o Ministério Público citou na ação como propina a Lula era de R$ 1,7 milhão (novamente os algarismos).

Para concluir, rodopiou pelas redes sociais o meme abaixo:

Eu, hein?

Casa imprópria
É do vereador Erivaldo Xavier (PSC), que se denomina “Cônsul do Povo”, um lapidar caso de clonagem na Câmara de Fortaleza. Ele quer que se destinem 5% das moradias populares de projetos habitacionais locais a mulheres vítimas de violência doméstica “e ofendidas por tentativa de crime de feminicídio”. Saiba: o tal do “cônsul” copiou, tijolo por tijolo, matérias que desde 2018 tramitam no Senado e em Aparecida de Goiânia (GO), Gravataí (RS), Palhoça (SC), Jacareí (SP) e outras cidades. Abrigou-se sob as telhas da apropriação do trabalho alheio.

Diga o que acha
Leitoras e leitores têm meios de acesso a esta Coluna e ao portal InvestNE. Opiniões, comentários, sugestões e aé discordâncias – por quê não? – podem ser remetidas para o e-mail portalinvestne@gmail.com ou para o número de WhatsApp +55 85 99855 9789. Ou pelo campo para comentários do site, bem abaixo desta nota.

Deixe uma resposta