Como e porque empresas de RH agregam valor para candidatos em processos seletivos

O Relatório Tendências Globais de Capital Humano 2021, divulgado pela Deloitte, com as maiores tendências da área de Recursos Humanos, contou com a participação de 55 mil líderes do mundo todo e revelou que, com o surgimento da Covid-19, os gestores de Recursos Humanos estão mudando suas prioridades e passaram a adotar novas formas de operar. O estudo aponta que, para as empresas se tornarem verdadeiramente humanas, elas necessitam focar em primeiro lugar na prosperidade, e não apenas na sobrevivência, como acontecia anteriormente.

Nesse sentido, a humanização e a empatia estão se tornando valores ainda mais fortes no meio corporativo e as organizações de RH, cada vez mais, se encaixam na definição de negócio de impacto social. A Carpediem RH, uma das maiores empresas de RH do Brasil, é uma das protagonistas nessa área e assume papel de liderança, com vários cases no segmento.

Desde o início da pandemia, a consultoria vem auxiliando os candidatos que passam por processos seletivos na empresa. “Nosso objetivo é valorizar o ser humano em sua totalidade, promovendo a escuta e atuando no sentido de ajudá-lo em seu aprimoramento pessoal e profissional”, diz Aliesh Costa, psicóloga e CEO da Carpediem RH. “Não se trata apenas de preencher vagas, nós queremos, cada vez mais, ser reconhecidos como uma empresa que apoia a transformação da vida das pessoas através do trabalho”, conclui.

A CEO e especialista em carreiras e mercado de trabalho relata que muitos candidatos não dispõem de um ambiente tranquilo para as entrevistas de emprego porque, em muitos casos, moram com familiares e em casas com poucos cômodos. Ou, então, conforme ela, não têm à disposição o equipamento e a internet ideais para utilizarem no processo remoto. “Quando um cenário assim se apresenta para nossa equipe, temos consciência de que nosso papel é ter empatia, em primeiro lugar, com esses candidatos e conduzir de forma a ajudá-los na construção de um ambiente mais favorável”, diz.

A CEO conta, por exemplo, que já houve ocasião em que uma mãe precisou realizar a entrevista com o filho no colo, pois não tinha com quem deixar a criança. “Nossa analista demonstrou compreensão com a situação e a candidata pôde realizar as atividades propostas, sem qualquer constrangimento”, explica.

No mais, a Carpediem RH tem desempenhado, sempre que possível, um papel consultivo junto àqueles que buscam uma oportunidade de emprego, mas que não estão familiarizados com as tecnologias envolvidas no processo seletivo remoto. Assim, os analistas de RH da empresa orientam os candidatos sobre a luz e o ambiente ideais, bem como disponibilizam manuais sobre a utilização do aplicativo onde será realizado o processo remoto – tais como Google Meet ou Zoom, por exemplo.

Os analistas e executivos da Carpediem RH instruem sobre vestimenta e como se preparar para uma entrevista online, dando dicas sobre a postura ideal, ângulos de câmera, linguagem a ser utilizada e outras recomendações importantes que impactam no resultado da performance dos candidatos a vagas.

Outro ponto importante diz respeito a manter os candidatos informados sobre o processo seletivo, dando feedbacks. “Com isso, reforçamos nossa parceria com o candidato, em uma postura de empatia e acolhimento, o que é uma prioridade absoluta na Carpediem RH”, diz Aliesh.

E as mensagens valem também para os casos em que é necessário dar um feedback negativo, quando o candidato não foi escolhido para a vaga, por exemplo. “Muitos ficam frustrados em não receber nenhum retorno, por isso, temos sempre este cuidado”, explica a CEO. “Nessas situações, trabalhamos com um discurso cuidadoso e motivacional. Dessa forma, estimulamos a pessoa para que ela continue tentando outras oportunidades e também demonstramos nosso respeito”, conta Aliesh.

Veja, a seguir, o que a Carpediem RH têm feito para agregar valor para os candidatos:

  • Assume uma postura de acolhimento, empatia e parceria;
  • Instrui os candidatos sobre os processos à distância, com dicas sobre como se preparar para a entrevista, além da iluminação, vestimenta e ambiente ideais;
  • Orienta sobre como instalar e utilizar aplicativos de videoconferência;
  • Mantém os candidatos informados sobre as etapas do processo seletivo;
  • Dá feedbacks, inclusive negativos, com cuidado e empatia, motivando o candidato e evitando que ele se frustre por não ter recebido qualquer retorno.

Deixe uma resposta