Futuro das Telecomunicações no Brasil é tema de simpósio em Brasília

A TelComp – Associação Brasileira das Prestadoras de Serviço de Telecomunicações Competitivas – vai promover um Simpósio, em Brasília, nesta terça-feira, 31 de agosto, para apresentar ao meio político (Congresso, Governo Federal – Ministérios – e Agências Reguladoras) a sua nova agenda de trabalho, que está sendo definida em meio a movimentações importantes que podem modificar todo o setor e às vésperas da chegada da tecnologia 5G, que deve mudar paradigmas.

Além de apresentar dados sobre as Operadoras Competitivas, atualizados pela consultoria Teleco, os temas dos debates serão:

“O papel das Competitivas no Brasil, desafios e oportunidades”, às 11h30, com representante da CCTCI (Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática), deputado Aliel Machado; da Anatel, Emmanoel Campelo (online); do Ministério das Comunicações, Pedro Lucas da Cruz Pereira Araújo; do Senado, Vanderlan Cardoso; e das associadas da TelComp, Megatelecom e Telecall, Carlos Eduardo Sedeh e Cleber Ajuz, respectivamente.

“O papel das Competitivas no leilão do 5G”, com palestra do Presidente da Anatel, Leonardo Euler, às 14h35.

“As barreiras, sugestões de aperfeiçoamento e expectativas das Competitivas frente ao Leilão do 5G”, com presença do Deputado Vitor Lippi, relator do grupo de trabalho e da subcomissão do 5G na Câmara; do senador Esperidião Amin; do Gabriel Fiuza, secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério da Economia; da Cristiene Evaristo, gerente Regulatório da Algar; e Rui Gomes, da Um Telecom, representantes da TelComp, às 15h15.

“O papel das Competitivas no agronegócio e na IoT”, com representante da Anatel, Abraão Balbino Silva; do deputado Jerônimo Goergen, membro da Frente Parlamentar do Agronegócio; de José Gontijo, diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital do MCTI; do Joaci Medeiros, coordenador do Instituto da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA); Tomas Fuchs; da TelComp; e André Martins, da NLT, às 16h30.

A palestra de encerramento será feita pelo secretário de Radiodifusão do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, às 17h40.

A TelComp, que completou 20 anos em 2020, também vai se reunir para aprovar um plano estratégico de atuação e representatividade da Associação, que vem adquirindo novas e diferentes atividades à frente das empresas, em uma sociedade a cada dia mais digital e tecnológica.

Hoje a Associação reúne mais de 70 operadoras de diferentes perfis, que no mercado situam-se, em termos de porte, abaixo das 4 grandes e acima dos provedores regionais (ISPs). As empresas associadas são chamadas de Competitivas e atuam em diferentes segmentos de mercado e de tecnologia como cabos submarinos, data centers, MNOs e MVNOs, Redes de Transporte e Redes Metropolitanas, com presença nacional ou regional.

Nos primeiros 20 anos de atuação, a Associação focou-se em alguns temas regulatórios Como Portabilidade Numérica, Regulação por Poder de Mercado, Desregulamentação para Prestadores de Pequeno Porte, Simplificação Regulatória, Direito de Passagem, entre outros.

“Percebemos agora a necessidade de repensar a trajetória para os próximos 20 anos, à luz da nova realidade de mercado e do perfil das Associadas. E uma das iniciativas é a aproximação com o Congresso, vis-à-vis nosso histórico de relacionamento focado no Executivo (Nacional e Municipais), para mostrar a agenda das operadoras competitivas e a importância delas para a sociedade digital (indústria 4.0, agronegócio com uso de IoT, logística etc.), já que são a base da conectividade e o suporte da economia dos dados em todas as atividades”, diz Luiz Henrique Barbosa, presidente da TelComp.

Deixe uma resposta