Projeto Algodão que Aquece doa casacos para mais de 4 mil estudantes da zona rural na Bahia

Já na quarta edição, o projeto Algodão que Aquece alcançou a sua meta de doações. Nas últimas semanas, em que os termômetros chegaram a registar 7º graus na região, foram entregues mais de 4 mil casacos 100% algodão aos estudantes do Ensino Infantil e Fundamental.

Serão atendidas 49 escolas e 15 comunidades da zona rural nos municípios de Santana e Riachão das Neves, todos localizados no oeste da Bahia.

Por conta do inverno rigoroso para a região, a incidência da evasão escolar é observada pelos educadores nesta época do ano. Além de não terem roupas adequadas para se aquecerem, muitos alunos residem em povoados ribeirinhos e comunidades afastadas, locais geralmente desassistidos, onde as distâncias dificultam o acesso escolar. 

O Algodão que Aquece tem como objetivo demonstrar um olhar de carinho e um gesto de afeto com a doação dos agasalhos, máscaras de proteção e frascos de álcool em gel. A iniciativa também assume um pilar educativo, com a distribuição de material didático para as crianças e aula especial com os mascotes do projeto, Nina e Cadu.

A intenção é alertar os pequenos sobre o valor da educação na formação do cidadão, além de instruí-los de forma lúdica sobre a realidade local, como a importância do agronegócio, responsável pela movimentação econômica da região. 

“Os pais da maioria dessas crianças desenvolvem trabalho no campo, então, com a ajuda das professoras, Nina e Cadu explicam em uma aula bem divertida que os pais delas ajudaram na produção do agasalho que elas estão recebendo”, comenta Luciana Kappes, fundadora e diretora do Núcleo das Mulheres do Agro – Oeste da Bahia, que realiza o Algodão que Aquece desde 2018. 

A Sumitomo Chemical é uma das apoiadoras do projeto solidário. De acordo com Nairo Piña, Diretor de Marketing e Desenvolvimento de Mercado da Sumitomo Chemical LATAM e integrante do comitê de sustentabilidade da empresa, o Algodão que Aquece compactua com os valores de responsabilidade social abraçados pela companhia. “Este é um projeto que impacta positivamente a vida de muitas crianças, porque une a prática de inclusão com saberes pedagógicos, e defendemos que a educação, com certeza, é um dos eixos que pode transformar o mundo”, comenta.  

Além da Sumitomo Chemical, a iniciativa recebe o apoio da Abapa, FMC, Basf/FiberMax, Zanotto Cotton, D’Fibra, AvantiAgro e J&H Sementes.

Deixe uma resposta