Traçar estratégias diminui custos e aumenta lucro de drogarias

Dados do Sebrae destacam que 24,4% das micro e pequenas empresas fecham as portas antes de completar dois anos de funcionamento. Considerando um período de quatro anos, o índice de falência é de quase 50%. Os principais fatores para isso são a falta de planejamento estratégico e o não levantamento de informações do mercado em que estão competindo. É por isso que um plano de ação é importante. Traçar estratégias ajuda a diminuir os custos de uma empresa e aumentar os lucros, principalmente no ramo farmacêutico.

Para drogarias, um plano de ação é uma espécie de manual, com um cronograma que engloba atividades diárias e metas que devem ser alcançadas a curto, a médio e a longo prazo. Esse plano deve ser seguido pela gestão farmacêutica e implantado na cultura do negócio.  

“É o plano de ação para drogarias que permite que o estabelecimento busque superar metas, garantindo o sucesso do empreendimento. Além disso, o plano de ação serve para reduzir os riscos de más decisões que podem trazer reflexos no fluxo de caixa do negócio e comprometer a saúde financeira da empresa”, explica Carlos Soccol, diretor de marketing da MyPharma, startup especializada que auxilia farmácias nas vendas e-commerce com ferramenta especializada para loja virtual. 

Com metas traçadas, fica mais fácil evitar que as decisões posteriores saiam do que foi pré-estabelecido no plano de ação. “Estar no mercado significa competir. Por isso, é importante que o plano de ação para drogarias não tenha apenas o objetivo de sobreviver no mercado, mas crescer e ter competitividade”, reforça. 

Como montar um plano de ação para drogarias

Para montar um plano de ação para farmácias e drogarias, é preciso que todos os sócios estejam reunidos e algumas perguntas precisam ser respondidas, como, por exemplo; onde estou; em que lugar eu quero chegar e como eu quero chegar lá.  Se essas perguntas forem respondidas com facilidade pelos sócios, isso quer dizer que todos têm uma visão nítida de como está o mercado farmacêutico. Desta forma, traçar um plano de ação pode ser uma tarefa mais simples.

Em caso de dificuldade, é preciso fazer uma análise aprofundada, para entender os objetivos do negócio. As respostas dessas três perguntas vão nortear o plano de ação para a drogaria.  O primeiro passo para traçar o planejamento estratégico de uma drogaria é definir missão, visão e valores da empresa. A missão engloba o porquê da existência do estabelecimento. Já a visão se trata de onde seu negócio quer chegar em alguns anos. Os valores são os princípios que devem estar presentes na atuação da empresa. 

Depois dessa definição, é preciso traçar os objetivos estratégicos para o ano. “Se for o primeiro ano da empresa no mercado farmacêutico, você pode definir esses objetivos por meio de uma boa pesquisa de mercado, além de projeções de crescimento. Se não for o primeiro ano da empresa, os objetivos podem ser definidos a partir dos resultados do plano de ação do ano anterior ou a partir de feedbacks da equipe e dos consumidores”, reforça Soccol. 

Feedback e metas

A definição dos objetivos estratégicos não parte do “feeling” do gestor, mas de dados objetivos e de feedbacks do negócio. E esse feedback precisa ser colhido com colaboradores e com clientes, por meio de questionários e de pesquisas de satisfação. Depois disso, a dica é definir metas específicas e pontuais. Se, por exemplo, um dos objetivos específicos for o aumento de 30% nas vendas da linha de verão, algumas das metas seriam: garantir que sejam oferecidos produtos dessa linha para todos os clientes que entram na loja, ter pontas de gôndolas dedicadas a essa linha, ter placas indicando a necessidade de uso diário desses produtos e deixar o produto carro-chefe da linha disponível para consulta no caixa e no checkout da farmácia.  

“O importante é que cada objetivo específico tenha metas que devem ser alcançadas para o sucesso do plano de ação. Entender os resultados passados é fundamental para definir um plano de ação para a drogaria.  Além de estar atento para as tendências e, principalmente, investir no mercado farmacêutico online, que se tornou destaque nos últimos anos e, em 2020, teve um crescimento de 137%”, conclui Carlos Henrique Soccol.

Deixe uma resposta