A Coluna do Roberto Maciel (sábado, 4.9): Maria da Penha e uma gigantesca diferença de caracteres

Tem tudo a ver com caráter, princípios e moral. Veja só: o deputado Jessé Lopes (PSL) é conhecido na Assembleia Legislativa de Santa Catarina por um comportamento que pode facilmente ser enquadrado entre aberrações que, nutridas por ódio e violência, foram premiadas com mandatos em 2018. Hostil, agressivo, sem modos, é um encrenqueiro que trata mal e ameaça colegas (lembra alguém?). Não só. Nesta semana, recebeu no gabinete que usa, bancado por dinheiro do contribuinte, o economista colombiano Marco Antonio Heredia Viveros – ninguém menos do que o condenado por tentar matar duas vezes a então esposa, a farmacêutica cearense Maria da Penha Fernandes. Por isso, a Justiça meteu Viveiros na cadeia por bons anos, sentenciando-o também à reprovação social.

Sem qualificação
Jessé publicou foto com o agressor nas redes sociais e, sorridente, escreveu o seguinte:

O deputado estadual Jessé ainda fazer graça com um crime que comoveu gente no mundo inteiro. Desemereceu a dor, o sofrimento e o sentimento alheios. Marco Antonio Viveros foi condenado sob a acusação de atirar, deixando Maria da Penha paraplégica, e de eletrocutá-la. Diante do repúdio de quem perde tempo seguindo-o na redes, o deputado catarinense voltou a postar dizendo que recebeu o criminoso porque “queria conhecer outra versão”, alegando que não confia em feministas.

A parte que me toca
Admito aos amigos leitores que até quis xingar aqui nesta Coluna Jessé Lopes de idiota, mas preferi não ser injusto com os idiotas.

Aluguel social
Enquanto o bolsonarismo investe com os chifres contra a humanidade e a justiça, fazendo rapapés para um criminoso que tentou matar a mulher, o que restou comprovado pela Polícia e pelo Ministério Público, com decisão judicial de prendê-lo, a Prefeitura de Fortaleza sancionou lei que cria o Aluguel Social Maria da Penha – uma homenagem a uma referência das lutas pelos direitos humanos e um cuidado com mulheres vítimas de violência. Disse o prefeito José Sarto (PDT): “O Aluguel Social Maria da Penha veio para apoiar a proteção à mulher sob o regime jurídico. Isso simboliza o tamanho do nosso compromisso em proteger essas pessoas mais vulneráveis. Com a lei, esperamos contribuir com uma política efetiva de proteção, pautar esse debate, reverter índices e encorar que mais mulheres denunciem”.

Sarto assina um documento em seu gabinete

Dignidade
A vereadora Larissa Gaspar (PT) é autora de projeto de indicação que previne a pobreza menstrual em Fortaleza. O texto, já aprovado pela Câmara, estabelece que a Prefeitura deve distribuir gratuitamente absorventes íntimos a mulheres carentes. Larissa conversou comigo no projeto Coluna da Hora. Confira:

É preciso falar
Durante longos anos, a Imprensa viveu sob o receio de que noticiar casos de suicídio estimularia atos semelhantes. É um axioma jornalístico para o qual não há estudo nenhum. Nada dá sustentação a essa “verdade”. Pois bem: a Câmara de Fortaleza e a Assembleia do Ceará estão engajadas na campanha Setembro Amarelo. Trata-se de ação compartilhada para prevenir casos do gênero. E a Imprensa continua, mixurucamente, omissa.

É preciso falar
Durante longos anos, a Imprensa viveu sob o receio de que noticiar casos de suicídio estimularia atos semelhantes. É um axioma jornalístico para o qual não há estudo nenhum. Nada dá sustentação a essa “verdade”. Pois bem: a Câmara de Fortaleza e a Assembleia do Ceará estão engajadas na campanha Setembro Amarelo. Trata-se de ação compartilhada para prevenir casos do gênero. E a Imprensa continua, mixurucamente, omissa.

Eletrizante
Por falar em Câmara, leva o jamegão do vereador Luís Sérgio proposta para que a Prefeitura de Fortaleza instale patinetes elétricos na Avenida Beira Mar. O parlamentar, que copiou a matéria de outras cidades, não diz de onde deve sair o dinheiro para tal empreitada.

Diga aí
O acesso a esta Coluna e ao InvestNE é livre. E os leitores podem manter contato por intermédio do e-mail portalinvestne@gmail.com e do número de WhatsApp: +55 85 99855 9789. Ou por meio do espaço para comentários do site, logo abaixo desta nota.

Deixe uma resposta