Advogado especialista em cybercrimes explica se é possível ser milionário como trader

Cada vez mais as criptomoedas estão fazendo parte da rotina dos brasileiros. Ainda sem a regulamentação de um órgão oficial, tipo o Banco Central. Mas muita gente ainda nutre um certo receio quando se fala nestas aplicações. O que não quer dizer que isso seja errado, afinal, cautela sempre é bem-vinda em qualquer situação do cotidiano, ainda mais quando envolve o lado financeiro.


Atualmente, o que tem se observado também em grande evidência e cada mais comum são as tais das moedas digitais, como elas são conhecidas. Afinal, o uso delas pode render cifras milionárias, e inevitavelmente isso chama a atenção de todos. Na última semana, por exemplo, a Polícia Federal prendeu Glaidson Acácio dos Santos, apontado pela Polícia Federal como suspeito de uma organização criminosa que movimentou mais de R$ 38 bilhões com pirâmide financeira. Vale informar que tal valor não chega nem perto dos lucros Trilionários que alguns bancos têm no ano, pois um Trader profissional que atua no mercado de ações na B3 ou no mercado de Criptoativos, sabe que é possível um Trader profissional ganhar em operações em DayTrade o percentual de 10 ou 100% ao dia ou na semana ou ao mês e, já um amador ou curioso pode perder o equivalente.


Vale registrar que, os CPFs estão aumentando indiscriminadamente em cadastro de negociações na bolsa de valores brasileira (B3) que em 2021 atingiu a marca de 3,5 milhões de investidores, segundo dados da B3 (e noticiado no g1.globo.com no dia 06/04/2021) causando até suicídios por conta de perdas financeiras (conforme noticiado no site br.investing.com do dia 12/04/2021) cujo jovem formado em contabilidade perdeu 200mil reais operando no day trade da B3 e cometeu suicídio.


Da mesma forma, pessoas com liberdade financeira perdem em investimentos e a CVM ou o Banco Central não são punidos por isso, pois “dizem fazer parte do risco a perda”. Porém, os bancos e grandes instituições operam na bolsa de valores diariamente de forma que só confirma que o lucro nas operações quando feitas por pessoas capacitadas e conhecedoras das técnicas e do mercado elas geram sim lucros que podem ser exorbitantes.


Ainda assim, conforme lembra o advogado Dr. Anselmo Ferreira Melo Costa, é preciso ficar atento quando se encontrar frases chamativas como “Ganhe dinheiro rápido pela internet sem nenhum esforço”, “Dobre seus investimentos em meses”, “Pode confiar, não é pirâmide” ou afins. “Aí mora o perigo, afinal, muito provavelmente esta situação é de fato uma pirâmide financeira”, que não foi o caso da citada empresa investigada a G. A. S que, tem uma atuação onde terceiriza seus serviços de Trader por meio de um excelente profissionalismo que, por suas vez, pode sim ter feito em todos esses anos um grande percentual de lucro, assim como faz as conceituadas corretoras imobiliárias e bancos tradicionais com o dinheiro do povo brasileiro, onde eles pagam uma miséria de juros abaixo da inflação e aplica o dinheiro do povo nos mesmos moldes de terceirização de serviços com seus Traders profissionais com lucro de até um trilhão de reais anuais.


“Essas pessoas que prometem dinheiro rápido e com tamanha facilidade precisam ser observadas, pois o mercado financeiro não funciona assim. Existem maneiras de ganhar dinheiro sim com as criptomoedas, por isso é preciso observar de onde a pessoa conseguiu estes recursos. As moedas digitais podem dar um retorno interessante sim, por isso antes de julgar e condenar uma pessoa ou uma empresa através de uma reportagem na mídia, é preciso entender melhor como ela conseguiu isso”, observa.


Dr. Anselmo lembra que “na pirâmide, os primeiros integrantes são aqueles que lucram. O problema é que os rendimentos diminuem à medida que novos integrantes chegam. Chega um momento em que as pessoas investem, mas não tem o retorno financeiro prometido desde o início”, completa.


Mas, com as moedas digitais a situação é diferente: “Elas são novidades, o mercado tem aberto espaço cada vez maior a elas, e muita gente já tem feito transações com elas. Ainda que não tenha uma regulamentação dos órgãos oficiais, é possível observar que a falta de taxação permite um ganho efetivo de dinheiro com isso. Todo caso merece ser devidamente investigado dentro de um processo legal, por isso conclusões apressadas não podem dar certo”, completa o advogado.

Outra detalhe importante é que após investigações não se provou que a empresa vive de indicações, ou seja, nenhum cliente está obrigado a indicar outro, até porque a empresa não precisa de indicações, justamente pelo fato de ser uma empresa de consultoria em serviços de terceirização de Traders, eis que toda pirâmide financeira é fundamental sempre indicar alguém. Portanto, sem indicações, não é pirâmide, se fosse, então muitos bancos digitais que fazem divulgação para indicações de mais clientes seriam pirâmides.


Assim, diante dos acontecimento é mais do que a hora da CVM e o Banco Central criar novas regras para possível empresas terceirizarem operações de trader (como o caso da empresa investigada G.A.S ) e assim, com fiscalização essa terceirização ser uma realidade no brasil onde pessoas com formação e conhecimento do mercado terceirizam seus serviços de trader de forma regular e fiscalizada. Sendo este um bom comparativo com o que os bancos fazem com os consumidores que aplicam seus dinheiros no banco em CDI ou poupança e são “remuneradas por isso”, hoje de uma forma muito mais benéfica para os bancos do que para as pessoas físicas ou empresas que deixam seus investimentos “aplicados” em bancos tradicionais. Pois segundo a matéria da revista vocesa.abril.com.br com o título “parece cocaína, mas é day trade” diz que segundo pesquisa da FGV apenas cerca de 1% consegue viver do day trade, ou seja, se profissionalizar e obter lucros. Mais informações a respeito pode fazer sua pergunta pelo e-mail anselmocostamelo@gmail.com.

Deixe uma resposta