SMS pirata: como essa prática pode prejudicar o seu negócio?

Artigo de Carlos Secron, fundador da Pontaltech, empresa especializada em soluções integradas de voz, SMS, e-mail, chatbots e RCS:

O SMS é um canal de comunicação muito versátil, sendo altamente eficaz no envio de mensagens rápidas, curtas e de forma praticamente instantânea. Com tamanha força e presença dentre as empresas, muitos golpistas estão buscando carona no sucesso desse tipo de mensagem e ofertando pacotes não homologados pela Anatel. O SMS pirata é uma evolução dessa fraude que, se não for combatida, pode trazer consequências drásticas para o seu negócio.

No Brasil, o sistema de mensageria curta para fins corporativos é contratado diretamente em cada operadora por meio do A2P (Application to Person). São os únicos meios oficiais de disparo desse tipo de comunicação, com rígidas restrições e monitoramentos como forma de garantir a segurança dos dados trafegados. Porém, com o passar dos anos, muitas empresas fraudadoras desenvolveram rotas não oficiais desse meio, entregando um serviço altamente atrativo, mas que, na prática, prejudica a comunicação oficial das companhias.

As organizações criminosas oferecem seu serviço a um preço muito menor do que o usual do mercado. Em um primeiro momento, o pacote parece completamente verossímil, mas com o passar do tempo, deixam de enviar parte das mensagens acordadas. Ou ainda, enviam uma certa quantia por meio de rotas clandestinas. Segundo o site oficial de combate à essa fraude, a estimativa é de que o SMS pirata provoque perdas anuais de mais de R$ 200 milhões às operadoras móveis.

As consequências dessa prática podem ser desastrosas, principalmente quando essas rotas também são utilizadas para fraudes bancárias, como o phishing voltado ao SMS. Isso faz com que, ao receber uma mensagem suspeita de um mesmo remetente, o cliente pode associá-lo a uma tentativa criminosa e desprezar sua comunicação. Qualquer campanha feita por esse sistema pode ser severamente prejudicada em sua performance nessa situação.

Para piorar, muitos criminosos podem criar uma rede sistêmica entre si, desenvolvendo e misturando rotas de forma que tenham acesso a todos os dados coletados. O risco de vazamento de informações pode ser enorme, especialmente entre empresas de grande porte ou com uma ampla operação.

Estamos vivendo a pior fase do SMS pirata, com o crescente aumento de chipeiras (dispositivo usado para fazer disparo em massa do SMS pirata), contratos internacionais (com golpes sendo praticados por empresas de outros países) e outros meios de fraude desse sistema de mensageria. Muitos clientes possuem dificuldade em distinguir os serviços oficiais dos não seguros, principalmente porque na maioria das vezes, a perda de mensagens enviadas só é notada depois de um longo tempo. Diante desse cenário, a única forma de evitar esse risco é por meio de uma busca e análise minuciosa das empresas a serem contratadas.

Somente os brokers (empresas que possuem contrato com as operadoras) são confiáveis para este tipo de serviço. Busque por uma organização séria, com uma marca de credibilidade no mercado. Evite qualquer intermediário e desconfie sempre dos preços muito baixos. Lembre-se: o barato pode sair muito caro. Com esses cuidados, as chances de você ser vítima deste crime se reduzem a zero.

Em um momento no qual presenciamos grande ocorrência dessas fraudes e, ainda, uma maior dificuldade em combatê-lo, a conscientização sobre a escolha da empresa certa é a melhor medida preventiva. É necessário divulgar este risco, esclarecer todas as dúvidas e, acima de tudo, orientar para a melhor tomada de decisão. A transparência e suporte durante todo o processo são características indispensáveis que não devem ser deixadas de lado neste momento.

Deixe uma resposta