Startup de atendimento ao cliente cresce quatro vezes com suporte de ferramentas

A Home Agent, primeira operação de atendimento do Brasil baseada totalmente remota, teve um aumento na demanda por seus serviços durante os primeiros meses da pandemia do novo coronavírus, recebendo uma média de 30 pedidos de propostas nos primeiros dez dias da pandemia. Para atender essa repentina demanda, a empresa destaca que a plataforma Pipedrive, plataforma global de CRM e gestão de vendas, foi uma parceira fundamental para o gerenciamento das atividades do time e das oportunidades de negócios. 

“No início da pandemia, tivemos um aumento expressivo na solicitação de nossos serviços. Com a integração da plataforma da Pipedrive com outras ferramentas – como a que opera o nosso canal de “fale conosco”, por exemplo – conseguimos administrar todo o pipeline de novos negócios e acompanhar o desenvolvimento de um jeito muito mais eficiente”, afirma Fabio Boucinhas, CEO da Home Agent. 

A agilidade de um CRM em nuvem permitiu que a startup redesenhasse o funil de vendas rapidamente. Além disso, após ter estruturado todo o seu processo e passado a operar com uma equipe de vendas dedicada, os negócios da Home Agent aumentaram quatro vezes em menos de um ano e meio. “Por sermos um time pequeno, optamos por uma plataforma que traz inúmeras funcionalidades e oferece uma interface intuitiva e fácil de usar, o que contribui para o treinamento da equipe”, complementa Boucinhas. 

Período crítico impulsionou mudanças no setor

Durante a pandemia, a automação de vendas desempenhou um papel importante para garantir bons resultados na área. Segundo pesquisa realizada pela Pipedrive com profissionais do setor, 67% dos vendedores que usam esse tipo de ferramentas atingem suas metas. O percentual de entrevistados que as usam aumentou de 51% em 2019 para 63% em 2020. 

Além da desaceleração do mercado, com 45% dos entrevistados lutando para conseguir oportunidades de negócios, o trabalho remoto trouxe desafios para gerenciamento de equipes. Com isso, a área de vendas precisou se digitalizar, dos entrevistados que trabalham em casa, 83% usam algum sistema de CRM. 

Para Diogo Silva, executivo sênior de contas da Pipedrive, o maior desafio das PMES é melhorar a maneira de transmitir informações aos operadores e clientes. Ao centralizá-las em uma plataforma de CRM, a empresa consegue ter uma visão completa do negócio, acessando as informações de maneira mais simples e conseguindo reportá-las rapidamente. 

O executivo afirma que é importante escolher uma plataforma que se encaixe nas necessidades da empresa e nas metas planejadas e lista algumas dicas que podem ajudar no processo: 

  1. Escolher uma plataforma com interface simples: interfaces muito complexas atrapalham as tarefas do dia a dia e criam uma barreira na adoção do CRM. Além disso, quanto mais simples for a interface, mais fácil será treinar a equipe. 
  2. Procurar por integrações: ao buscar um CRM, é preciso levar em consideração quais são as ferramentas mais utilizadas na rotina da área e confirmar se o CRM escolhido tem integração com elas. Quanto mais integrações, mais centralizadas estarão as informações dos clientes e mais fácil será o controle do pipeline.
  3. Avaliar o custo-benefício: é importante ponderar quais são as funcionalidades que o plano oferece, para não optar por um serviço mais acessível mas que não atende as necessidades da área.
  4. Focar na geração de leads: mapear os perfis de clientes e impulsionar a geração de leads é um ponto forte em uma ferramenta, além de garantir contato de possíveis consumidores e trazer informações valiosas para a elaboração de planos de negócios.

“A digitalização mudou a maneira como os clientes interagem com as empresas. A tecnologia é uma ferramenta poderosa para otimizar a carga de trabalho, bem como para gerar e fechar negócios com mais agilidade. Não se trata apenas de vender, mas sim de uma mistura de experiência, conhecimento, resolução de problemas, empatia e capacidades de comunicação”, conclui o especialista.

Deixe uma resposta