Empresa usa #TikTok como ferramenta de comunicação interna e engaja equipes

No início da pandemia, o TikTok relatou 188 milhões de novos usuários – um aumento anual de 70%. É agora a sétima maior plataforma em número de usuários, à frente de outras surgidas há muito mais tempo, como Snapchat, Pinterest e Twitter. E embora seja verdade que o TikTok é voltado principalmente a usuários mais jovens, o número de adultos que aderiram a ele cresce a cada dia.

Tamanho sucesso levou a keeggo, parceira de empresas e startups na transformação digital, a usar o TikTok nas suas estratégias de comunicação interna para engajamento de seus profissionais. “Trabalhamos vídeos no Tik Tok com uma comunicação divertida e rápida para abordar o feedback dos chefes, por exemplo. Com vídeos curtos, aumentamos o potencial de engajamento desse conteúdo e, com isso, tivemos um alcance alto entre nossos colaboradores. Além disso, uma particularidade do TikTok é que o usuário não consegue rolar o feed sem assistir a todo o vídeo, o que assegura o view e a participação. Aqui na keeggo a gente é movido por tecnologia, mas sempre olhando para nossos talentos e colocando as pessoas no centro”, explica Christiane Beatrisse, Gerente de Marketing e Branding.

Para aumentar ainda mais o engajamento dos funcionários, a empresa concede bonificações em dinheiro para as postagens mais criativas. E o uso da plataforma vai além, também podendo ser um meio de envolver clientes de forma mais ousada. “Funciona para nós como uma marca em vários níveis: estamos alinhando nossos valores fundamentais e engajando nossas equipes, dando aos nossos profissionais a chance de envolver os clientes de forma divertida e atrevida, o que demonstra a personalidade da keeggo. Somos uma das primeiras empresas no Brasil a usar o TikTok dessa forma”, destaca Christiane.

Desafios da comunicação interna na pandemia

O ano de 2020 foi um ano agitado para as equipes de comunicação interna. Durante a pandemia, o volume de e-mails enviados aos funcionários aumentou mais de 100%, de acordo com pesquisa da Ragan. Em vez de desacelerar, o ritmo das mensagens internas tende a aumentar, na medida em que as empresas confiam a suas equipes de comunicação a condução da transição das rotinas de trabalho em home office para o presencial ou para regimes híbridos.

Além do volume maior de e-mails internos, durante a pandemia os colaboradores tiveram aumento em cerca de 45% de encontros e reuniões virtuais. O resultado após mais de um ano são relatos de sensação de sobrecarga e exaustão – mais de 54% dos colaboradores relataram que se sentem sobrecarregados, e quase 40% estão exaustos, segundo a pesquisa. “Esse aumento na fadiga das mensagens ocorre em um momento preocupante. À medida que a atenção diminui e as necessidades aumentam, os comunicadores internos precisam ser criativos para alcançar seus colegas”, finaliza Christiane.

Deixe uma resposta