Dia da Cachaça celebra economia, história, cultura e tradição

A cachaça nasceu há mais de 500 anos e tem data especial para ser celebrada no país: hoje, 13 de setembro, o Dia da Cachaça. A BR-ME, que nasceu para evidenciar o que há de melhor em produtos e serviços nacionais, aproveita a oportunidade para lançar uma campanha específica para comemorar a data.

A ação, com o mote repaginar o consumo da cachaça, será realizada até 20 de setembro, com descontos especiais no e-commerce da empresa BR-ME: um cupom de 7% off em todos os rótulos disponíveis da bebida no período.

Com o tema Cachaça: Novos momentos, olhares e sabores, a campanha também mostra o potencial da produção brasileira em estados das regiões Sul e Sudeste, com muitos produtores regionais e forte identidade cultural.

“Queremos trazer motivos para que o brasileiro enxergue a cachaça como o gin, por exemplo. A ideia é agregar valor, mostrar diversidade, o que diferencia cada uma e o que é ideal para cada gosto”, explica a diretora de Marketing e Eventos, Isabela Pimentel.

Pedro Henrique de Moraes Cellia, proprietário da Princesa Isabel, produtora de destilados do Espírito Santo e parceira da BR-ME, comenta que a cachaça é símbolo cultural genuinamente brasileiro. “Consumir essa bebida é uma forma de exercer a brasilidade e cada vez mais de forma elaborada e moderna”, acrescenta. Segundo ele, como drink também é sucesso garantido.

A produção da cachaça é uma relevante atividade econômica. É a segunda bebida alcoólica mais consumida no Brasil e a terceira no mundo. No mercado nacional, a indústria da cachaça conta com cerca de 40 mil produtores, sendo 98% de pequenos e microempresários, com a capacidade de geração de 600 mil empregos diretos e indiretos, segundo dados do CBRC (Centro Brasileiro de Referência da Cachaça).

No País são mais de 4 mil marcas de cachaça disputando o mercado, com exportação de 1% de sua produção anual, sendo que 50% dessas exportações é de cachaça a granel. Ainda segundo o CBRC, a produção anual de cachaça no Brasil gira em torno de 1,4 bilhão de litros, em que cerca de 70% é industrial e os 30% restantes, de alambique.

Felipe Jannuzzi, sócio executivo e especialista em destilados da BR-ME, é também autor de um dos guias mais importantes no assunto, o Mapa da Cachaça, projeto reconhecido e premiado pelo Ministério da Cultura, que reúne muitos destes pequenos produtores brasileiros. Entre os destaques do Mapa, estão cidades como Paraty (RJ), Morretes e Jandaia do Sul (PR), Municípios da Estrada Real- Caminho Velho (MG), Turvolândia, Indaiabira e Aiuruoca (MG), Luis Alves (SC), Serra Negra (SP), Linhares e Vitória (ES).

A Revolta da Cachaça – O Dia da Cachaça faz referência à data em que a corte portuguesa assinou a permissão para a comercialização da bebida no Brasil, em 1661. Proprietários de alambiques e cana de açúcar se revoltaram contra a proibição da venda da bebida e cobrança de impostos e lideraram movimento que resultou na Revolta da Cachaça.

Deixe uma resposta