Sesc-CE faz intervenção artística em alusão ao Setembro Amarelo

Saúde mental é um estado de bem-estar em que a pessoa é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a comunidade, de acordo com definição da Organização Mundial da Saúde (OMS). Durante a pandemia, essa foi uma das situações mais afetadas em decorrência das restrições impostas pela Covid-19. 

Como resultado dessa instabilidade emocional, segundo o estudo One Year of Covid-19, realizado pela Ipsos para o Fórum Econômico Mundial com 30 países, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano.  

Para conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde mental, em destaque a prevenção ao suicídio, o Sesc Fortaleza promove uma série de intervenções que unem educação em saúde e arte. A programação faz parte da Campanha Setembro Amarelo – Valorização da vida prevenção ao suicídio, realizada pelo programa de Educação em Saúde, que acontece nos dias 15, 16 e 18 de setembro. 

Em parceria com o Metrofor, a equipe do Sesc Fortaleza realiza uma intervenção com o artista Apolinário Alves, conhecido como Chaplin Cearense, entregando cartas e mensagens de apoio, assim como material informativo, nesta quarta e quinta-feira, 15 e 16, nas estações José de Alencar, Parangaba, Papicu e Conjunto Esperança, assim como dentro dos trens.  

Nos dias 16 e 18 de setembro, a atividade acontece no Shopping RioMar Fortaleza durante a vacinação contra a Covid-19 com as pessoas que aguardam na fila. A ação acontece em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. Segundo Marília Bessa, enfermeira do Sesc Fortaleza, a intervenção pretende sensibilizar a população para explicar melhor os sintomas de agravamento da saúde mental e também como buscar ajuda. “Precisamos orientar as pessoas esse grave problema que pode atingir a qualquer um de nós, voltando o olhar para o outro. Seja em casa ou no trabalho, podemos ajudar com uma palavra de apoio ou uma orientação profissional nessa luta pela prevenção do suicídio”, afirma. 

Falar é a melhor solução 

Pedir ajuda ou procurar um atendimento com profissional especializado podem contribuir para melhorar o estado emocional. O Centro de Valorização da Vida (CVV), por meio do telefone 188, é um canal permanente de apoio. Além disso, em caso de tentativas de suicídio tanto o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), pelo telefone 192, ou o Corpo de Bombeiros, pelo 193, devem ser acionados. 

Mais informações: (85) 3270-5400.

Deixe uma resposta