Com retração de 0,7%, comércio registra primeira queda em três meses

Pela primeira vez em três meses, a movimentação do consumidor no comércio físico apresentou queda em agosto deste ano, com relação ao mês anterior, segundo o Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian. A retração foi de 0,7%, puxada principalmente pelo setor de Veículos, Motos e Peças, que caiu 4,7% e teve o segundo mês consecutivo de números negativos. Os demais segmentos também tiveram redução, sendo a maior delas em Tecidos, Vestuário, Calçados e Assessórios. Veja os dados completos abaixo:

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, a alta da inflação e a falta de insumos para alguns setores – como no caso dos veículos, motos e peças – foram os responsáveis pela queda nas vendas. “O recuo da atividade do comércio em agosto sinaliza que o país ainda enfrenta desafios por conta do alto desemprego e do aumento dos preços, por isso as pessoas estão restringindo as compras apenas ao essencial”, comenta.

Análise Anual
No comparativo entre agosto deste ano e o mesmo mês de 2020, o índice registrou aumento de 4,3%, o menor crescimento do ano em termos de variação interanual. A recuperação com relação ao tombo de 12% do ano passado é parcial e sofre com a retração dos segmentos de Combustíveis e Lubrificantes (-8,6%) e Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (-7,8%).

Deixe uma resposta