Selic a 6,25%: CDB supera poupança como investimento com pior rendimento

Com a taxa Selic elevada a 6,25%, conforme decisão do Copom (Comitê de Política Monetária), como fica o rendimento dos investimentos em renda fixa? Para saber o impacto desta medida, o Yubb (https://yubb.com.br/), maior buscador de investimentos do país, realizou um levantamento com projeções dos principais ativos. Como destaque, pela primeira vez no ano, os CDBs dos bancos grandes superaram a poupança nova como o tipo de investimento com a pior rentabilidade.

Confira o levantamento completo:

 Rendimento BrutoRendimento LíquidoRendimento Real
** Poupança nova* 4,38%4,38%-3,67%
Poupança antiga*6,17%6,17%-2,01%
Tesouro Selic6,15%4,92%-3,17%
CDB banco médio8,00%6,40%-1,80%
CDB banco grande4,92%3,94% -4,07%
LC8,61% 6,89% -1,35%
LCA*6,03%6,03% -2,14%
LCI*6,27%6,27%-1,92%
RDB8,36%6,69% -1,53%
Debênture Incentivada*9,29%9,29%0,86%

* Investimentos isentos de imposto de renda

** Em 2012, o Banco Central redefiniu a remuneração da poupança para novos investidores.

Para projeções de rendimento líquido, foi utilizada a alíquota de 20,00% de imposto de renda referente a prazos de vencimento entre 181 e 360 dias.

A inflação para 2021 foi baseada no Relatório Focus de 20 de setembro de 2021.

Para Bernardo Pascowitch, fundador do Yubb, o Copom se encontra em uma posição desafiadora, já que precisa estimular o crescimento econômico do País, ao mesmo tempo em que ainda lida com os estragos causados pela pandemia:

“Não é uma tarefa fácil: a alta dos juros contribui para o controle inflacionário, mas desestimula a recuperação econômica e a redução do desemprego. Por outro lado, os juros mais baixos aceleram a alta dos preços, mas contribuem para o avanço da economia”, explica.

E como fica para o investidor? Bernardo explica que o cenário de instabilidade exige uma atuação em diferentes ativos.“A diversificação do portfólio é mais necessária do que nunca. A renda fixa continua sendo a melhor alternativa para a reserva de emergência e para investimentos de curto prazo, mas para ganhos acima da inflação o investidor precisará assumir mais riscos em renda variável”, conclui Bernardo.

Deixe uma resposta