Livro trata da economia comportamental aplicada ao dia-a-dia

A economia comportamental estuda os efeitos dos fatores neuropsicológicos nas decisões de indivíduos e de instituições no segmento econômico. Esta linha de atuação é alvo de estudo do consultor, professor universitário e doutor em Ciências Sociais, José Balian.

Conhecida também como neuroeconomia, as dinâmicas mentais nos processos de escolhas das pessoas permitem que tenham uma percepção de erros e acertos quando o assunto é finanças, tanto pessoal como nos negócios. Para aproximar a realidade de quem quer conhecer mais sobre o tema, o professor Balian lança, pela editora Taygeta, a obra Economia para os negócios e finanças pessoais.

Um dos pontos mais examinados pelo autor é como este comportamento se aplica no dia a dia. Ou seja, como o conhecimento pode ser usado para equilibrar o caixa, viver melhor e ainda ter dinheiro para investir. Segundo Balian, grande parte das decisões relacionadas ao orçamento pessoal está ligada ao lado racional do cérebro e que, frequentemente, o ser humano considera as relações entre as coisas, ele mesmo e os outros, ou seja, o próprio contexto.

Esta parece ser a forma como o cérebro humano está programado para pensar. Será importante desmontar alguns preconceitos em relação à tomada de decisões com base em critérios puramente racionais e repensar profundamente sobre o que faz mover as pessoas que nos rodeiam. (Economia para os negócios e finanças pessoais, p. 311)

Balian dividiu a obra em quatro partes. Na primeira apresenta conceitos básicos de economia para compreender, interpretar e analisar a realidade econômica. Na segunda, dedica-se a compreender a atuação do governo e a forma com que se pode contribuir para o debate atual e importância de se posicionar.

Na terceira, une a experiência acadêmica e de mercado com um panorama sobre macroeconomia; gestão de preços; teorias econômicas E, por último, traz tudo o que aprendeu com a vasta experiência em consultoria e ensina o leitor a organizar suas finanças pessoas com base na economia comportamental.

Deixe uma resposta