Notícias

Oi confirma patrocínio ao Prêmio eSports Brasil

Posted on Updated on

A operadora de comunicações e Internet Oi  vai patrocinar a maior premiação do Brasil para a comunidade e indústria de esportes eletrônicos, o Prêmio eSports Brasil, que em agora em 2018 realiza a sua segunda edição. O evento acontece dia 19 de dezembro, no recém reformado auditório Simón Bolivar no Memorial da América Latina, em São Paulo. A companhia será responsável por fornecer toda a infraestrutura de telecomunicação do evento, incluindo links de transmissão para TV.

“Nesta era de games e do entretenimento digital, a Oi está preparada para atender um público mais exigente, que tem diferentes demandas. Queremos estar do lado de todos os tipos de jogadores, e por isso, patrocinar um Prêmio como esse, que possui diversas categorias, faz todo sentido para a companhia”, diz Bruno Cremona, gerente de Patrocínios e Eventos da Oi.

Ceará participa de evento de artesanato em Milão (Itália)

Posted on Updated on

Onélia Santana: apoio ao artesanato cearense

Segue até hoje (9.12), em Milão, na Itália, a “L’ Artigiano on Feira”, 23ª Mostra Mercado Internacional do Artesanato. O artesanato cearense está sendo exposto e comercializado na feira, o maior evento mundial do segmento, somando, ainda, gastronomia e turismo. A participação do Ceará visa a promover e divulgar o trabalho dos artesãos do Estado com foco na ampliação de mercado, principalmente o europeu. A primeira-dama do Estado, Onélia Santana, o secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social, Francisco Ibiapina, o secretário adjunto do Esporte, Marcos Lage, e a coordenadora do Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Estado do Ceará (PDA), Amanaci Diógenes, estiveram na abertura do evento.

“Como cearense e filha do Cariri, berço da cultura do nosso Estado, fico muito orgulhosa em saber que nosso artesanato está ganhando o mundo. Esse reconhecimento é graças a uma política de investimentos do Governo do Ceará ao segmento artesanal. Para nós é uma responsabilidade grande dá continuidade ao sucesso que conquistamos durante esses quatros anos de gestão do governador Camilo Santana”, destaca Onélia Santana.

No stand cearense, o visitante tem acesso ao trabalho ao vivo do xilógrafo José Lourenço, além de produtos em diversas tipologias como areia colorida, argila, fibras vegetais, madeira, papel, metais, fios e tecidos (renda de bilro, labirinto, filé, tecelagem, crochê e bordado), entre outras que serão comercializadas durante os dias de evento. Cerca de 1.800 artesãos e entidades artesanais de todas as regiões do Estado serão beneficiados com as vendas das peças.

Para melhorar a qualidade do legítimo artesanato cearense, os produtos passaram pela Certificação da Autenticidade dos Produtos Artesanais e de Reconhecimento das Obras de Arte Popular Cearenses (Selo Ceart), que foi implantado em 2015. Entre os benefícios do Selo Ceart estão a garantia da autenticidade da produção artesanal e o reconhecimento das obras de arte popular; a consolidação dos canais de comercialização; o aumento da competitividade da produção artesanal; diferenciação dos produtos artesanais das peças elaboradas industrialmente, reconhecendo seu valor de tradição e cultura; proteção do artesanato cearense da falsificação e da concorrência desigual de produtos similares, além da promoção da confiança do consumidor facilitando a identificação do artesanato cearense. Foram certificados com o Selo Ceart 5.259 produtos artesanais, beneficiando diretamente 9.860 artesãos.

A Central de Artesanato do Ceará (Ceart) é vinculada à Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), órgão do Governo do Ceará, e responsável pelo Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Estado do Ceará (PDA), que é a política pública do Governo do Ceará destinada ao setor e tem o objetivo de valorizar o artesanato cearense preservando a cultura, o talento, a tradição e a arte popular de cada região do Estado. Dessa forma, desenvolve ações e projetos para qualificação de artesãos, apoia a comercialização, realiza a gestão da Central de Artesanato do Ceará (Ceart) e gerencia o Fundo Especial de Desenvolvimento e Comercialização do Artesanato (Fundart).

Tem como objetivo promover o artesanato cearense com foco na geração de ocupação e renda e a inclusão social e produtiva do artesão. O setor artesanal promove ainda a inserção da mulher e do jovem na cadeia produtiva e comercial, fixa o artesão em seu lugar de origem e consolida a identidade cultural cearense. O programa hoje atende artesãos, grupos de produção e entidades artesanais em 90% dos municípios do Ceará, totalizando cerca de 42 mil cadastrados na Ceart.

O artesanato cearense é destaque no Brasil e tem o reconhecimento do governador Camilo Santana. Em 2015, o governador assegurou ao artesão cearense a isenção fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Foram beneficiados com a isenção fiscal mais de 40 mil artesãos no Estado. Em dezembro de 2017, o Ceará ganhou o novo Centro de Renderias da Prainha, em Aquiraz, mais um ponto comercialização do artesanato cearense, que também está em três lojas de Fortaleza: na Matriz, na Praça Luíza Távora; no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e no Shopping Rio Mar, além da loja localizada em Guaramiranga.

O Estado também garantiu a participação de artesãos em feiras locais, estaduais e nacionais e ainda internacional, quando o Ceará esteve na Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde, em Portugal, em 2017. A Ceart esteve em cerca de 240 eventos de promoção e comercialização do artesanato cearense deste 2015. Os artesãos cearenses passam por processo de capacitação constante. Foram capacitados e assessorados 14.919 artesãos com o intuito de aperfeiçoar o design dos produtos.

O investimento em capacitação e em ações e projetos que apoiam a comercialização estimulam as vendas dos produtos artesanais. No triênio 2015/2017 e até agosto de 2018 foram comercializados 257.066 peças artesanais, beneficiando diretamente 26.600 artesãos.

Fortaleza doa mais de 5 mil mudas

Posted on Updated on

A Prefeitura de Fortaleza, por meio do Horto Florestal Municipal Falconete Fialho (na foto), doou mais de 5 mil mudas para empresas e entidades distribuírem em eventos comemorativos e ações sociais em alusão ao meio ambiente e consciência ambiental durante o ano de 2018.

O principal objetivo desta ação da Prefeitura é levar às pessoas a oportunidade de ter mais contato com o verde realizando um plantio. “A doação de mudas virou uma tradição que os fortalezenses abraçaram. Planejamos toda a ação com a felicidade de saber que as mudas levarão mais verde e mais cuidado com a natureza para a vida de cada uma dessas pessoas”, afirma o superintendente da Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (UrbFor), Regis Tavares.

Entre as empresas e entidades que receberam as mudas temos a Ecofor Ambiental, Extra Farma, Instituto Beatriz e Laura Fiuza, Escola Daulia Bringel, Escola Paulo Freire, Óticas Vem Ver, diversas escolas estaduais e municipais, Banco Palmas, Projeto Social Pé na Rua, Paróquia Jesus, Maria, José, dentre outas.

Entre as mudas mais procuradas, estão as espécies ornamentais, utilizadas para embelezar jardins e interiores, como o mini lacre, jasmim branco, tumbérgia azul. Os interessados em retirar até duas mudas devem se dirigir ao Horto Florestal Municipal munidos de documento de identidade e escolher as espécies disponíveis.

Para receber a doação de mais de duas mudas, a pessoa deve entrar em contato com a UrbFor pelo telefone 3131-7660. Após avaliação do pedido, as mudas são doadas.

Tim muda estrutura organizacional

Posted on Updated on

A operadora de telefonia Tim mudou a estrutura organizacional. Agora, as diretorias de marketing, vendas, atendimento, mercado corporativo e mercado residencial, e os respectivos responsáveis, que passam a se reportar diretamente ao CEO Sami Foguel.

Paralelamente à nova estrutura, Pietro Labriola encerra o período de expatriação no Brasil, depois de três anos como Chief Operating Officer.

A evolução organizacional reforça a linha de proximidade às operações que Sami Foguel vem destacando desde a sua chegada à operadora: “Meu propósito é estar sempre presente nas diversas atividades da empresa e apoiar os colaboradores a desempenhar com excelência suas funções, com foco contínuo na melhor experiência do cliente” diz Foguel, CEO da TIM Brasil. “A TIM dispõe de um management de grande experiência, força e motivação para enfrentar com sucesso os próximos desafios. Um particular agradecimento a Pietro Labriola por ter contribuído no alcance de ótimos resultados nos últimos anos”.

Leilão solidário conclui campanha de doações

Posted on Updated on

Para marcar encerramento da Campanha Amigos em Ação 2018, a Alessandro Belchior Imóveis realiza hoje (8.12), a 15ª edição do tradicional Leilão Filantrópico de Obras de Arte Amigos em Ação, no Hotel Gran Marquise, a partir das 12 horas, sob a condução do leiloeiro João Paulo Ferreira da Montenegro Leilões. Durante o evento serão leiloadas as 88 obras de arte que estão expostas desde o dia 14 de novembro e segue até 06 de dezembro na CDL de Fortaleza.

O leilão tem o objetivo de arrecadar fundos para manutenção das obras assistenciais do projeto Amigos em Ação, que beneficia anualmente entidades filantrópicas cearenses com doações de alimentos. O leilão valoriza artistas já celebrados, mas também abre espaço para talentos recém-descobertos das artes plásticas cearenses, todos unidos em prol da solidariedade. Entre os nomes que contribuíram neste ano, estão artistas como Arivânio Alves, Cecília Bichucher, Milton da Costa, Mano Alencar, Vando Figueirêdo,Totonho Laprovítera, Ascal, Sergei de Castro, Francisco Bandeira, Almeida Leite, Adriano Paz, Hirma Castro, Tarciso Viriato, Vlamir de Sousa, Welton Silva, Expedito Lima, J. Pinheiro, Geraldo Sérgio Teixeira, Fabiano Chaves, Ferreirinha, Sandra Montenegro, entre outros.

Todos os anos um artista plástico doa o direito do uso de imagem de uma obra de arte para a identidade visual da campanha. Esse ano, a obra tema desenvolvida foi um abstrato óleo sobre tela do artista plástico cearense Antônio Bandeira, datado de 1956. A homenagem ao artista, que deixou sua marca na história da arte nacional, acontece no ano seguinte em que se completou cinco décadas de sua morte. “Sem-título” de Antônio Bandeira ilustra todas as peças de divulgação, folders, cartazes, camisas e convites da campanha.

Em paralelo ao Leilão Filantrópico, a Campanha Amigos em Ação vem mobilizando os conselheiros e associados para a arrecadação de gêneros alimentícios. A expectativa dos organizadores é atingir a meta de 25 toneladas de alimentos não perecíveis. Este ano, cinco instituições serão beneficiadas com as doações: Lar Torres de Melo, Creche São Judas Tadeu, Associação Maria Mãe da Vida, Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza e Lar Amigos de Jesus que receberão um troféu de reconhecimento de seus trabalhos.

Como forma de agradecimento, o Amigos em Ação irá revelar e homenagear com o Troféu Amigos em Ação, os três maiores doadores da campanha em 2018. O movimento Amigos em Ação conta com a colaboração de 1600 empresários de diversos setores e a dedicação voluntária dos diretores e conselheiros do projeto no desenvolvimento da campanha. Cada participante tem que doar, no mínimo, 60 Kg de alimentos não perecíveis. Nos seus 27 anos de existência, o Amigos em Ação já arrecadou e doou mais de 420 toneladas de alimentos não perecíveis beneficiando mais de 100 entidades filantrópicas e comunidades carentes. Nas edições de 2015, 2016 e 2017 foram arrecadados quase 73 toneladas de alimentos.

Prefeitura de Fortaleza capacita micros e pequenos empreendedores

Posted on Updated on

Para apoiar micros e pequenos empreendedores locais no aperfeiçoamento dos negócios, a Prefeitura de Fortaleza promove mensalmente, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE), capacitações gratuitas como parte do Programa de Empreendedorismo Sustentável.

Neste mês de dezembro, são ofertadas capacitações para áreas como: Marketing e Vendas; Empreendimentos Econômicos Solidários; Primeiros Passos para Montar seu Negócio; Liderança e Gestão de Pessoas; Como Precificar Seu Produto; Como Aumentar e Gerenciar Suas Vendas; Empreendedorismo e MEI; Estratégias Mercadológicas entre outras. Cada oficina tem duração de duas a três horas, com até 20 vagas por turma.

Para participar, basta apresentar identidade (RG), CPF e comprovante de residência. Os interessados devem se dirigir às Salas do Empreendedor nas Secretarias Regionais Vapt Vupt Messejana e Antônio Bezerra, Casa de Economia Solidária (Ecosol) ou no Espaço do Artesanato da SDE, que fica localizado na avenida Santos Dumont, 2.500, loja 17, bairro Aldeota.

Esta é mais uma ação do Programa Fortaleza Competitiva, que engloba um pacote de medidas de estímulo à criação de um cenário qualificado para novos negócios, desenvolvimento econômico, geração de emprego e rend apoiar os micros e pequenos empreendedores locais no aperfeiçoamento do seu negócio, a Prefeitura de Fortaleza promove mensalmente, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE), capacitações gratuitas como parte do Programa de Empreendedorismo Sustentável.

Artesanato do Ceará busca mais espaços na Europa

Posted on Updated on

Onélia: artitulação pelo artesanato

Começou sábado (1º) e segue até domingo (9.12), em Milão, na Itália, a “L’ Artigiano on Feira”, 23ª Mostra Mercado Internacional do Artesanato. O rico e legítimo artesanato cearense está sendo exposto e comercializado nessa que é a maior feira mundial dedicada ao segmento artesanal, gastronômico e de turismo. A participação do Ceará no evento tem o intuito de promover e divulgar o trabalho dos artesãos do Estado com foco na ampliação de mercado, principalmente o europeu.

A primeira-dama do Estado, Onélia Santana, o secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social, Francisco Ibiapina, o secretário adjunto do Esporte, Marcos Lage, e a coordenadora do Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Estado do Ceará (PDA), Amanaci Diógenes, estiveram na abertura do evento.

“Como cearense e filha do Cariri, berço da cultura do nosso Estado, fico muito orgulhosa em saber que nosso artesanato está ganhando o mundo. Esse reconhecimento é graças a uma política de investimentos do Governo do Ceará ao segmento artesanal. Para nós é uma responsabilidade grande dá continuidade ao sucesso que conquistamos durante esses quatros anos de gestão do governador Camilo Santana”, destaca Onélia Santana.

No estande cearense, o visitante tem acesso ao trabalho ao vivo do xilógrafo José Lourenço, além de produtos em diversas tipologias como areia colorida, argila, fibras vegetais, madeira, papel, metais, fios e tecidos (renda de bilro, labirinto, filé, tecelagem, crochê e bordado), entre outras que serão comercializadas durante os dias de evento. Cerca de 1.800 artesãos e entidades artesanais de todas as regiões do Estado serão beneficiados com as vendas das peças.

Para melhorar a qualidade do legítimo artesanato cearense, os produtos passaram pela Certificação da Autenticidade dos Produtos Artesanais e de Reconhecimento das Obras de Arte Popular Cearenses (Selo Ceart), que foi implantado em 2015. Entre os benefícios do Selo Ceart estão a garantia da autenticidade da produção artesanal e o reconhecimento das obras de arte popular; a consolidação dos canais de comercialização; o aumento da competitividade da produção artesanal; diferenciação dos produtos artesanais das peças elaboradas industrialmente, reconhecendo seu valor de tradição e cultura; proteção do artesanato cearense da falsificação e da concorrência desigual de produtos similares, além da promoção da confiança do consumidor facilitando a identificação do artesanato cearense. Foram certificados com o Selo Ceart 5.259 produtos artesanais, beneficiando diretamente 9.860 artesãos.

A Central de Artesanato do Ceará (Ceart) é vinculada à Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), órgão do Governo do Ceará, e responsável pelo Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Estado do Ceará (PDA), que é a política pública do Governo do Ceará destinada ao setor e tem o objetivo de valorizar o artesanato cearense preservando a cultura, o talento, a tradição e a arte popular de cada região do Estado. Dessa forma, desenvolve ações e projetos para qualificação de artesãos, apoia a comercialização, realiza a gestão da Central e do Fundo Especial de Desenvolvimento e Comercialização do Artesanato (Fundart).

Tem o objetivo de promover o artesanato cearense com foco na geração de ocupação e renda e a inclusão social e produtiva do artesão. O setor artesanal promove ainda a inserção da mulher e do jovem na cadeia produtiva e comercial, fixa o artesão em seu lugar de origem e consolida a identidade cultural cearense. O programa hoje atende artesãos, grupos de produção e entidades artesanais em 90% dos municípios do Ceará, totalizando cerca de 42 mil cadastrados na Ceart.

O artesanato cearense é destaque no Brasil e tem o reconhecimento do governo de Camilo Santana (PT). Em 2015, o governador assegurou ao artesão cearense a isenção fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Foram beneficiados com a isenção fiscal mais de 40 mil artesãos no Estado. Em dezembro de 2017, o Ceará ganhou o novo Centro de Renderias da Prainha, em Aquiraz, mais um ponto comercialização do artesanato cearense, que também está em três lojas de Fortaleza: na Matriz, na Praça Luíza Távora; no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e no Shopping Rio Mar, além da loja localizada em Guaramiranga.

O Estado também garantiu a participação de artesãos em feiras locais, estaduais e nacionais e ainda internacional, quando o Ceará esteve na Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde, em Portugal, em 2017. A Ceart esteve em cerca de 240 eventos de promoção e comercialização do artesanato cearense deste 2015. Os artesãos cearenses passam por processo de capacitação constante. Foram capacitados e assessorados 14.919 artesãos com o intuito de aperfeiçoar o design dos produtos.

O investimento em capacitação e em ações e projetos que apoiam a comercialização estimulam as vendas dos produtos artesanais. No triênio 2015/2017 e até agosto de 2018 foram comercializados 257.066 peças artesanais, beneficiando diretamente 26.600 artesãos.

Unilab disponibiliza 444 vagas

Posted on Updated on

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) lançou edital com 444 vagas para cursos de Graduação, nos campi do Ceará e Bahia. O edital se refere ao Sistema de Seleção Utilizando o Resultado do Enem (Sisure) 2018.2 e ao Processo de Seleção de Estudante Estrangeiro (PSEE) 2018 relativo ao ingresso de 2018.2.

As vagas estão distribuídas entre os cursos de Administração Pública, Agronomia, Enfermagem, Engenharia de Computação, Engenharia de Energias, Humanidades e Letras – Língua Portuguesa, no Ceará, e Humanidades e Letras – Língua Portuguesa, na Bahia, com ingresso no período letivo de 2018.2.

A seleção consistirá no aproveitamento de resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), referentes aos últimos cinco anos (2013 a 2017). Haverá bonificação de 10% sobre a Nota Final para os candidatos que tenham cursado integralmente o Ensino Médio em escolas públicas.

Será aceita uma única inscrição para cada candidato, que concorrerá a uma só vaga. O resultado final sai amanhã (7 de dezembro de 2018), junto com a convocação para a pré-matrícula. Já a pré-matrícula e matrícula curricular na coordenação do curso ocorrem de 10 a 12 de dezembro.

A Unilab realizará nove reuniões de chamada pública de pré-matrícula para manifestação presencial de interesse na matrícula, convocando os candidatos em até três vezes o número de vagas disponíveis, por curso, conforme quadro de vagas constante do edital.

Artesãos relatam na Câmara dificuldades do ofício

Posted on Updated on

Parlamentares e representantes de entidades ligadas ao artesanato destacaram, nesta quarta-feira (5), a importância de iniciativas de apoio à atividade. Eles participaram de audiência pública promovida pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados. O evento debateu os 20 anos do projeto “Artesanato Solidário”.

Idealizado pela ex-primeira dama da República Ruth Cardoso (falecida em 2008), o ArteSol atua na valorização e promoção do artesanato tradicional brasileiro, por meio de estratégias focadas na sustentabilidade ambiental, econômica, social e cultural de comunidades de baixa renda.

Participantes do debate na Câmara relataram as principais dificuldades enfrentadas pelo artesanato brasileiro.

A presidente da Central Veredas, entidade que reúne nove associações do noroeste de Minas Gerais, Maria Cleide Gomes do Nascimento Assis, explicou que um dos principais entraves é a necessidade de capital de giro, pois os artesãos precisam do produto final para ganhar dinheiro. “Eles próprias correm atrás da matéria-prima, enquanto, em qualquer outra forma de ofício, a pessoa tem parte do incentivo financeiro para trabalhar”, disse.

Colaboradora da Central Veredas e secretária de Cultura e Turismo de Unaí (MG), Luciana Risolia Navarro Cardoso Vale, acrescentou que as fiandeiras – profissionais de produzem tecidos de forma artesanal – demoram cerca de seis meses para concluir um trabalho e, só a partir daí, têm a possibilidade de serem remuneradas.

Maria Cleide informou que a Central Veredas se organiza por meio de uma rede solidária, que compartilha toda a matéria-prima, desde a fibra até o corante extraído de folhas, frutos ou flores das plantas do cerrado. Ela reclamou da falta de reconhecimento nacional da atividade: “Estou desde 2004 nessa jornada e não é fácil. Temos pessoas capacitadas, somos conhecidos internacionalmente por conta do nosso trabalho, mas nacionalmente não conseguimos o mesmo reconhecimento”, comentou.

Alunos da Unifor (CE) têm destaque em evento sobre arbitragem e mediação empresarial

Posted on Updated on

Estudantes do curso de Direito da Universidade de Fortaleza (Unifor) conquistaram prêmios em cinco categorias da I Competição Estadual de Arbitragem e Mediação Empresarial (Compeam), que foi realizada pelo Instituto Jusdialogus, na Assembleia Legislativa do Ceará, e teve como tema principal “Avanços, interfaces e gestão de conflitos empresariais”.

A Competição se desenvolveu a partir de um caso fictício em que os estudantes atuavam como advogados, negociadores ou mediadores (tanto em arbitragem como em mediação) das partes em conflito. Os competidores eram avaliados por suas habilidades orais por profissionais com reconhecida experiência nestas matérias. Os alunos da Unifor receberam prêmios nas seguintes categorias: Melhor Mediador(a), Melhor Equipe Mediandos, Destaques Advogado Requerente e Advogado Requerido e Melhor Orador(a) da Competição.

O evento abrangeu palestras, workshops, conferências e moots da competição, promovendo o diálogo entre profissionais e estudantes de Direito e áreas afins, em contexto estadual, priorizando temas que trouxeram visibilidade às novas dinâmicas para a atuação dos profissionais nas empresas.

Entre os orientadores das equipes de alunos de Direito da Unifor na competição, Léa Barsi é mestranda em Direito e Gestão de Conflitos pela mesma instituição e mediadora certificada pelo Conselho Nacional de Justiça. Em conjunto, alunos e orientadores estudaram o caso para aplicação no evento.

“Era um caso bem complexo, então, estivemos juntos estudando, detalhando e partilhando antecipadamente o litígio. Percebi o desenvolvimento e crescimento deles quando de suas atuações, eis que se apropriaram dos personagens e desenvolveram não só um brilhante conteúdo técnico, mas também uma superação de si mesmos na desenvoltura de seus papéis. Uma experiência riquíssima, preparatória para a futura vivência profissional”, destaca a professora Léa Barsi.

Suelena Grangeiro, aluna do 7º semestre de Direito, fez parte da equipe que ganhou o melhor destaque mediandos. Ela ressalta a experiência de participar de um evento que oferece um campo vasto de práticas. “Foi engrandecedor participar, uma vez que entramos em contato nas aulas com muito dos conteúdos, mas na prática existe a questão da ansiedade e é aí que percebemos que somos bem assessorados pelos professores porque eles nos passam em sala de aula como enfrentar essas situações e, de fato, conseguimos colocar em prática a teoria ensinada”, declara.

Janete Mourão, aluna do 6º semestre, destaque melhor mediadora, vai levar do evento os feedback que recebeu. “Quando fazemos a sessão simulada temos a oportunidade de aprendizagem grande como futuros profissionais, os professores e mestres presentes corrigem as falhas na hora e vão apontando os pontos fracos e fortes. Temos a chance de melhorar e aplicar em seguida. Recomendo que todos participem das próximas edições por ser muito válido para o futuro profissional”, afirma.