Topless

Varejo cearense tem “leve sinal de recuperação”, segundo o Ipece

Posted on Updated on

O comércio de varejo comum no Ceará registrou em janeiro deste ano queda de 0,5% em relação a dezembro de 2017 (ajustada sazonalmente). Já o varejo nacional verificou variação positiva de 0,9% na mesma comparação. Mas, quando comparado com janeiro de 2017, o varejo estadual avançou 2,5% e o nacional, 3,2%, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE. Os dados estão na publicação Enfoque Econômico – Desempenho do Varejo Cearense em janeiro de 2018, lançada pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), da Secretaria de Planejamento e Gestão do Ceará.

Com o resultado, o varejo cearense apresentou leve sinal de recuperação frente a duas quedas sucessivas observadas para o mesmo mês em anos anteriores, mas não alcançando o patamar do volume de vendas observado em janeiro de 2016. Já o varejo nacional teve recuperação mais robusta, superando as vendas de janeiro 2016. No acumulado em 12 meses, verifica-se que o volume de vendas do varejo comum no Ceará ainda registrou recuo de 1,3%, influenciado pelos resultados negativos observados nos primeiros meses do ano de 2017. Mas, a partir de maio deste ano, o varejo comum estadual passou a apresentar os primeiros sinais de recuperação nas suas vendas.

Os números do varejo ampliado, que adiciona também os resultados das vendas das atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Materiais de construção, foi bem mais favorável em janeiro de 2018, frente ao começo do ano de 2017, tanto para o estado do Ceará (crescimento de 5,1%) quanto para o Brasil (crescimento de 6,5%). Diferente do ocorrido no varejo comum, as vendas do varejo ampliado cearense registradas em janeiro de 2018 já ultrapassaram o volume de vendas registrado em janeiro de 2016. No acumulado de doze meses também foram observadas variações positivas de 4,6% para o Brasil e de 2,4% para o Ceará, respectivamente.

As atividades com os maiores avanços no varejo cearense foram as de Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (+20,2%); Veículos, motocicletas, partes e peças (+18,9%); Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+6,2%); Móveis e eletrodomésticos (+4,8%); Tecidos, Vestuário e calçados (+1,8%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (+1,6%). Por outro lado, as vendas cearenses de Combustíveis e lubrificantes registraram queda de 21,8%, influenciada pela alta nos combustíveis seguida pela de Material de construção (-7,4%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (-4,2%).

Nordeste em dossiê

Posted on Updated on

O Portal InvestNE traz para os leitores mais um subsídio de informações regionais. Trata-se do Dossiê Nordeste, produzido pela Universidade de São Paulo, com base em indicares econômicos e sociais.

Confira em https://www.revistas.usp.br/eav/article/download/8971/10523.

Artigo: Comércio varejista – Indicadores apontam para crescimento, por Fabiano Mapurunga

Posted on Updated on

O texto abaixo é de Fabiano Mapurunga, CEO da Go Partners Consultoria em Finanças e Negócios e mestre em Administração com ênfase em Finanças. O autor também tem MBA em Gestão de Negócios e MBA em Gestão Financeira e Controladoria.

Estamos presenciando uma retomada do crescimento na economia cearense, sendo esta alavancada pelo comércio, pela indústria de transformação e pela agropecuária. Para o Ipece (Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará), o nosso Estado aponta um avanço econômico que pode chegar a 4%, enquanto que o Brasil caminha para 2,8%. Estamos sendo recorrentes em crescimento acima da média nacional. Segundo o mesmo instituto, o PIB (Produto Interno Bruto) cearense, que é a soma de todas as riquezas produzidas no Estado, cresceu 3,24% no 4 o trimestre de 2017, no comparativo com igual período do ano anterior. Para o Brasil o crescimento do PIB, chegou apenas a 2,1%, com igual período de comparação. O Ipece também aponta que o Comércio Cearense representa 15% do total do PIB local, logo boa parte deste crescimento se deve ao mesmo, o qual teve um avanço no segundo trimestre, chegando no quarto semestre ao patamar de 5,8%.

A representatividade do comércio varejista em nossa economia vem merecendo cada vez mais atenção, devido ao seu constante aumento em volume de negócios como aponta a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a qual indica que o volume de vendas deste setor cresceu 5,1% no comparativo entre janeiro deste ano e o mesmo período do ano passado. Embora esse indicador tenha suas concentrações em alguns subsegmentos como, no caso, os equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, que apontaram um aumento na ordem de 20,2%, no geral, ele demonstra que a atividade empresarial no comércio varejista cearense vem em ascensão.

A importância do nosso varejo é tamanha para o país que, somos um dos Estados que compõem a base de análise para a construção do Índice Nacional do Comércio Varejista. Logo os reflexos do nosso fluxo comercial estão amparando a taxa de crescimento nacional, de tal sorte que nós devemos cada vez mais nos apropriarmos de informações que nos possam ajudar a tomar decisões assertivas sobre o rumo das nossas atividades comerciais.

Reforço que o nosso varejo, frente a sua representatividade tanto na economia local, quanto nacional, deve se apropriar de informações mais técnicas para lhe apoiar no seu caminho de crescimento. Exponho aqui uma breve análise que faço sobre a pesquisa mensal realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC) da Fecomércio Ce, que se dá sempre em relação ao mês anterior ao de sua publicação, intitulada “Pesquisa Mensal do Comércio Varejista”, a qual me apoio apenas em uma pequena amostra de alguns indicadores que podemos, claramente, nos utilizar para tomada de decisões estratégicas em nossos atividades comerciais, a fim de termos melhores resultados:

Tomando como base para analítica os Indicadores de vendas do comércio varejista da região metropolitana de Fortaleza no mês de janeiro de 2018, seguem como exemplos, algumas considerações gerenciais sobre os dados:

1 – Houve um aumento de 11,2% no volume de vendas totais no comércio varejista em janeiro de 2018 frente ao mesmo período do ano de 2017. Tendo sido este volume composto por 38,7% de vendas à vista, 44,3% de cartão de crédito e 2,5% de em cheque pré-datado.

Observação Gerencial: Dentre outras considerações, tais dados apontam para a importância que o comércio varejista deve dar ao uso da modalidade cartões de crédito para suas vendas, onde os gestores devem procurar cada vez mais estar atentos ao quanto estão pagando de taxas de administração, de aluguéis das maquinetas e, dependendo do caso, de taxas de antecipações das vendas, junto às administradoras. Pois esta modalidade de venda, vem cada vez mais ganhando espaço, e caso tais cuidados não sejam tomados, poderá haver um sério comprometimento nas suas margens de lucros esperadas.

2 – Alguns segmentos em especial tiveram mais relevância na variação do seu volume de vendas no período como: Lojas de eletroeletrônicos e informática com 16,5% de variação, farmácias, perfumarias e produtos óticos com 14,1% de variação e lojas de materiais de construção com 16,2% de variação. Já para os segmentos de móveis e eletrodomésticos tivemos uma variação negativa na ordem de – 8,1%

Observação Gerencial: Aos gestores destes segmentos cabe fazer um comparativo entre o seu aumento/ redução de faturamento e o seu aumento/ redução de lucro, para entender se houve realmente uma evolução em sua eficiência operacional. Ainda podemos fazer um cruzamento de informações entre a representatividade das vendas por forma de pagamento, a exemplo do que vimos da representatividade da venda em cartão de crédito, para entender os reflexos dos custos sobre a operação. Os segmentos em variação negativa, podem avaliar com seu corpo comercial os apontamentos que julgam ter contribuído para essa variação negativa, e prontamente construir uma estratégia de reversão com indicadores voltados para as necessidade de caixa da empresa.

São apenas dois exemplos de como podemos dispor das informações que alguns institutos, a exemplo do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC) da Fecomércio-CE, aqui citado, ao qual sempre recorro em meus planejamentos. Precisamos cada vez mais nos munirmos de informações para termos as rédeas do crescimento do nosso comércio sempre em nosso controle.

Bolsa Família pode ter reajuste

Posted on Updated on

Da Agência Brasil, com texto de Marcelo Brandão e Yara Aquino:

O novo ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, disse que o reajuste do programa Bolsa Família ainda não foi definido, mas que pode ser anunciado em maio ou ainda este mês: “as propostas estão colocadas, há uma discussão ainda dentro do governo para definição dos percentuais, da forma de fazer esse reajuste e acredito que ainda em abril ou maio teremos essa definição e o anúncio do reajuste do Bolsa”.

Beltrame tomou posse (…) como chefe da pasta, no lugar de Osmar Terra. O antigo ministro chegou a dizer que o reajuste seria anunciado em março, o que acabou não ocorrendo. Beltrame acrescentou que o governo pensa em um reajuste maior que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

“Estamos trabalhando com percentuais acima do IPCA, que é 2,95%, não temos ainda uma definição. Construímos vários cenários para apresentar ao presidente temer e à equipe econômica e em breve acredito que tenhamos uma definição”. Em junho de 2016, o governo – com Temer ainda como interino na presidência – reajustou o programa em 12,5%.

Ceará planeja investir mais de 1% da receita tributária em C&T

Posted on Updated on

O Governo do Ceará vai destinar 1,01% da receita líquida do Estado com impostos para ações de Ciência e Tecnologia. O repasse representará, no final de 2027, mais de R$ 3 bilhões. A informação, tornada pública pelo governador Camilo Santana (PT), garantiu novo fôlego ao setor, tido como estratégico para o desenvolvimentos.

Abaixo, trecho de texto publicado pelo Governo cearense:

Investir em C&T e tornar o conhecimento científico acessível aos cearenses têm sido uma aposta do Governo. Para o alcance desse propósito, várias ações estão sendo colocadas em prática pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), que em 2018 completa 25 anos de existência.

O trabalho da Secitece é realizado na Capital e no Interior em conjunto com suas instituições vinculadas: Uece, UVA, Urca, Nutec, Funcap, ITIC e Centec. As iniciativas incluem lançamentos de editais de apoio à Inovação a exemplo do InovaFIT; concessão de novas bolsas de estudo para pós-graduação; e o incentivo ao empreendedorismo digital dos jovens, por meio do programa Corredores Digitais, dentre outras.

Soma-se a isso as ações de popularização da Ciência e Tecnologia, passando pela infância, adolescência até a fase adulta, como os projetos Ciência Itinerante e Ciência na Praça, que levam, para locais públicos, experimentos e atividades lúdicas que despertam a curiosidade e desmistificam o saber científico. A qualificação profissional de jovens e adultos também é foco da Secitece, com cursos promovidos no Universidade do Trabalho Digital (UTD) e nos Centros Vocacionais Tecnológicos (CVT).

Leia mais neste link.

Ciro na CDL de Fortaleza

Posted on Updated on

O ex-governador, ex-prefeito de Fortaleza, ex-ministro e ex-deputado federal Ciro Gomes (PDT) apresenta, no próximo dia 12, às 18h30min, palestra sobre a conjuntura política nacional e os desafios que estão postos para o Brasil. O evento está marcado para o auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL de Fortaleza).

O presidente da entidade, Assis Cavalcante, diz que a expectativa é de que com a experiência política que tem nas gestões de Itamar Franco e Lula, Ciro possa colocar em perspectiva caminhos a serem traçados para o desenvolvimento do País.

Prefeitura de Fortaleza investirá em abrigo para animais

Posted on Updated on

O prefeito de Fortaleza em exercício, Salmito Filho (PDT), presidente da Câmara Municipal, visitou o terreno cedido pela Prefeitura para ampliação dos serviços do Abrigo São Lázaro e construção de uma clínica veterinária popular e pet shop para vendas de produtos de baixo custo. Os valores arrecadados com a venda dos produtos serão revertidos para o próprio abrigo.

O novo equipamento ocupará área de 5 mil metros quadrados e contará com recepção, salas para atendimento veterinário, salas de cirurgia e recuperação. O novo abrigo também terá espaço de convivência com tapiocaria, cachorródromo e sala de educação ambiental onde estudantes de escolas publicas e privadas poden para aprender sobre a importância do bem estar animal. A previsão de entrega é janeiro de 2019. “A parceria com a Prefeitura fortalece a sociedade civil que sempre se articulou sozinha em defesa dos diretos dos animais de pequeno porte de Fortaleza. Será a primeira clínica de proteção a animais de pequeno porte da nossa cidade e isso sem dúvida é um passo muito importante”, destacou Salmito.

A ONG é hoje o maior abrigo de animais de Fortaleza, com trabalho totalmente voluntário para promover o bem-estar de cães e gatos abandonados na cidade. Recentemente, a Prefeitura firmou um convênio com o abrigo para o repasse anual no valor de R$ 100 mil.

Fortaleza quer atrair turistas dos EUA

Posted on

Fortaleza, capital do Ceará, será tema de ação promocional da Embaixada do Brasil nos Estados Unidos, destacada como destino turístico para os norte-americanos. A agenda está definida para o segundo semestre deste ano. Esse foi o resultado imediato de audiência do prefeito Roberto Cláudio com o embaixador brasileiro nos EUA, Sérgio Amaral, quando trataram de projetos que ampliam as relações comerciais entre os dois países, tendo por base a cidade de Fortaleza que passará a ter voos diários ligando Brasil e Estados Unidos, antes do final deste ano.

“Ficamos muito felizes com os resultados do nosso encontro, porque já vislumbramos ganhos efetivos para a cidade de Fortaleza naquela que é uma vocação natural da cidade por meio da indústria do turismo. Vamos reunir agências de viagem e promotores da atividade turística para promover nossa Capital como destino turístico para os norte-americanos”, afirmou o prefeito Roberto Cláudio. Outra ação também tratada durante o encontro é a semana de promoção econômica que a Embaixada brasileira faz todo ano, no mês de setembro, para promover a economia, fortalecendo os laços comerciais entre os dois países, a partir de uma região, estado ou cidade específica do Brasil.

“Já demonstramos o interesse de que a agenda dessa atividade, que envolve ações de promoção econômica por meio da Embaixada do Brasil nos EUA, em 2019, possa contemplar Fortaleza e o Estado do Ceará. No que encontramos concordância e apoio por parte do embaixador Sérgio Amaral e estamos confiantes que possamos concretizar essa parceria”, disse o prefeito Roberto Cláudio.

As novas oportunidades de negócios para Fortaleza, especialmente, na área do turismo, também foram consideradas, principalmente, por conta da inauguração, no próximo dia 03 de maio, do hub aéreo do Grupo Air France – KLM/Gol, em Fortaleza, ligando o Brasil à Europa.

Na ocasião, Sérgio Amaral destacou a posição estratégica da cidade em relação aos Estados Unidos e à Europa e a potencialidade da cidade para o mercado internacional.

Outro compromisso da agenda na viagem aos Estados Unidos levou o prefeito de Fortaleza a um encontro com dirigentes do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Reunido com o diretor executivo para o Brasil do BID, José Guilherme Reis, na sede do Banco, em Washington D.C, o prefeito tratou sobre a execução, neste ano, do Programa de Fortalecimento de Inclusão Social e Redes de Atenção (Proredes), que teve financiamento do BID, no valor de US$ 65,475 milhões, aprovado no final de 2017.

Na reunião, foi discutido o projeto de qualificação de gestão na área da Saúde para a execução do Proredes, que tem como objetivo promover a redução da desigualdade social, implementando mecanismos e ações que contribuam para o pleno desenvolvimento da juventude de Fortaleza, especialmente favorecendo jovens em áreas de risco e vulnerabilidade social, por meio de investimentos que garantam a integridade dos cuidados à saúde, melhoria do acesso a serviços especializados de média e alta complexidade e hospitalização de jovens e suas famílias.

No encontro, o prefeito também apresentou o andamento dos projetos financiados pelo BID nas áreas de Transporte Público Urbano e Habitação, em Fortaleza.

Após a reunião com o diretor José Guilherme Reis, o prefeito Roberto Claudio encontrou-se com o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, que elogiou os projetos executados em Fortaleza. O prefeito também participou de reunião com o responsável pelo Setor Social do BID, Marcelo Cabrol, com quem tratou sobre o Programa Cresça com o Seu Filho, que tem como foco a assistência à primeira infância, em trabalho coordenado pelo gabinete da primeira dama, Carol Bezerra.

Outro compromisso do prefeito de Fortaleza nos EUA foi a reunião com diretores da Bloomberg Harvard City Leadership Initiative, quando Roberto Claudio tratou da parceria conjunta da Harvard Kennedy School e da Harvard Business School com a Bloomberg Philanthropies, responsável por programas de educação executiva para prefeitos e equipes de liderança em 240 cidades do mundo.

Em 2017, Roberto Claudio foi o único prefeito do Brasil convidado para participar do programa. A reunião, realizada no Ash Center for Democratic Governance and Innovation, em Cambrigde (Boston), cidade onde está localizada a Universidade de Harvard, permitiu que o prefeito Roberto Claudio compartilhasse as experiências de gestor municipal, com as ações de governo, após a participação no Programa, que ainda está em andamento

Diálogo e novos cálculos

Posted on Updated on

A comissão mista do Congresso Nacional que trata da Medida Provisória que muda o cálculo dos encargos financeiros sobre os financiamentos de operações de crédito não rural com recursos dos Fundos Constitucionais do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste está intensificando as análises. O tema é fundamental para estados com vocação agrícola. E a pauta deve ser debatida com representantes do Ministério da Fazenda, do Banco do Brasil e da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Conforme plano de trabalho já aprovado, a comissão mista também deverá ouvir representantes do Ministério da Integração Nacional, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Goiás, da Confederação Nacional da Agricultura, do Banco do Nordeste e do Banco da Amazônia.

A MP 812/2017 modifica o cálculo dos encargos financeiros (juros) não rurais, à exceção do financiamento estudantil, com recursos dos fundos constitucionais. Com a mudança, o governo pretende estabelecer critério objetivo para o cálculo, levando em consideração as desigualdades regionais, segundo explicou o Banco Central em nota sobre a matéria.

Os encargos serão baseados no cálculo da Taxa de Longo Prazo (TLP), ou seja, serão compostos pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e por taxa de juros real prefixada mensalmente. Além disso, serão consideradas as diferenças regionais por meio do Coeficiente de Desenvolvimento Regional (CDR), de fatores de ponderação por tipo de operação e de um benefício de adimplência.

O texto do governo determina que as taxas de administração dos bancos responsáveis pelos fundos serão reduzidas gradativamente de 3% ao ano em 2018 até 1,5% ao ano em 2023. As novas regras começaram a valer para operações contratadas a partir de 1º de janeiro de 2018.

Instrumentos de financiamento da Política Nacional de Desenvolvimento Regional, os fundos constitucionais são formados por 3% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados. Os recursos são utilizados na implementação de políticas de desenvolvimento regional e de redução das desigualdades inter-regionais do país, visando ao crescimento econômico e social das regiões.

Prefeito de Fortaleza apresenta nos EUA projeto s de mobilidade

Posted on

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), apresentou hoje (3/4), na sede do World Resources Institute (WRI), em Washington (EUA) o modelo de Mobilidade Urbana de Fortaleza. A apresentação íntegra a série “Seminário de Pesquisas sobre Cidades” do WRI.

Os sistemas de compartilhamento de carros e de bicicletas (Bicicletar, Mini-Bicicletar, Bicicleta Integrada, Bicicleta Corporativa); investimentos em energia limpa e renovável; melhorias na infraestrutura de ciclovias e ciclofaixas e medidas de segurança nas estradas são alguns dos temas abordados.

Antes da apresentação, transmitida ao vivo pela internet, o prefeito de Fortaleza foi recebido pelo presidente e CEO do WRI, Andrew Steer, e pelas diretoras de Urban Efficiency & Climate, Emma Stuart, e do Energy Program, Jennifer Layke.

O prefeito cumpre até quinta-feira (5/4) agenda na capital norte-americana.