Alta do dólar e queda da bolsa – o que os especialistas dizem sobre isso?

Posted on Updated on

Após o feriado, com os mercados abrindo mais tarde, por volta de 13h, o dólar teve uma alta de 1,4%, fechando em R$ 3,83, a maior alta do ano, e a bolsa após vários recordes, fechou em seu menor nível desde 15 de janeiro, com 94.216,87 pontos, essas reações tem relação com a espera por alguma notícia sobre a Reforma da Previdência, que antes do feriado o Presidente Jair Bolsonaro (PSL) falou sobre a possibilidade de rever alguns pontos, como a idade mínima para as mulheres, deixando o mercado preocupado com a economia que estava prevista pela equipe econômica de R$ 1 trilhão em 10 anos. Especialistas do mercado financeiro, comentam sobre essas reações:

“O mercado trabalha com confiança, e sem nenhuma notícia sobre como ficará a proposta final da Reforma da previdência, o esperado é que não haja mudanças nos mercados, essa alta do dólar irá continuar, até que a proposta seja definida e enviada para votação, deixando assim o investidor mais tranquilo. O que também dependerá da força da Reforma, uma Reforma mais branda não trará confiança para os mercados”, explica Fernando Bergallo, Diretor de Câmbio da FB Capital.

“O problema do mercado doméstico está associado à agenda da Reforma da Previdência, que não é simples de ser formulada. O ritmo de organização da discussão no congresso ainda está lento e deve continuar a gerar preocupações. Então o mercado pode retomar seu ritmo de alta quando a agenda do congresso for acertada”, conta Pedro Paulo Silveira, Economista-Chefe da Nova Futura Investimentos.

“Com o feriado aqui no Brasil, deixando os mercados fechados e o noticiário esvaziado, a espera do investidor pela proposta da Reforma, fez com que a Bolsa sofresse uma leve queda, em decorrência das mudanças comerciais e a espera pelo desenrolar das negociações entre Estados Unidos e China teve um forte impacto no dólar, gerando essa alta, as mudanças devem ocorrer na próxima semana onde é esperado que ocorram movimentações sobre a Reforma da Previdência”, finaliza Daniela Casabona, Sócia-Diretora da FB Wealth.

Novas tendências para assessorias de imprensa

Posted on Updated on

Se você pensa em contratar uma assessoria de imprensa este ano é preciso estar atento as maiores tendências do setor para entender como a estratégia de divulgação da sua assessoria de imprensa vai te ajudar a alcançar resultados positivos.

Fake news, crise de credibilidade da imprensa, crescimento do mobile e morte dos veículos tradicionais. Esse é um resumo do cenário em que as assessorias de imprensa tiveram que atuar nos últimos anos.

E é com base nessas variáveis que você vai conhecer as seis maiores tendências de assessoria de imprensa para 2019.

Mídia tradicional no combate às fake news

Há poucos meses atrás o Brasil viveu momentos de muita tensão e polarização com as eleições de outubro de 2018. Muitas notícias falsas foram disseminadas na web e com isso os veículos tradicionais como jornais e revistas ganharam fôlego no combate às famosas fake news.

Embora o ano de 2018 tenha sido de fechamento de muitos títulos do Grupo Abril, maior editora de revistas do Brasil, como a Elle, Cosmopolitan e Casa Claudia, a mídia tradicional ainda exerce o poder de passar credibilidade ao leitor.

Estratégia de Divulgação com foco no mobile

É fato que grande parcela da população mundial não desgruda das telinhas do telefone na maior parte do tempo.

O celular é o dispositivo número 1 na hora de consumir informação e uma assessoria de imprensa moderna e atualizada percebe que o RP Digital, relacionamento com blogueiros e influencers, pode fazer toda a diferença para o sucesso de uma estratégia de divulgação.

De acordo com o relatório Digital in 2018 Global Overview, feito pelas plataformas digitais We Are Social e Hootsuite, 68% da população brasileira possui celular. Dessa parcela, existem 120 milhões de usuários ativos de aplicativos das redes sociais.

Os Micro influenciadores e As Redes Sociais

Pegando carona no consumo de informações via mobile, as redes sociais estão no topo do consumo. Ainda de acordo com o Digital in 2018 Global Overview, o brasileiro gasta mais de 3h por dia navegando nas redes sociais. E como a assessoria de imprensa pode aproveitar isso?

A assessoria de imprensa pode mapear quais micro influenciadores, pessoas que possuem uma quantidade considerável de seguidores nas redes sociais e não cobram tanto dinheiro para uma campanha de divulgação, podem trazer bons resultados.

Existem parcerias que podem ser feitas através de permutas, por exemplo. Cabe ao assessor ter o feeling para selecionar os micro influenciadores que agregarão valor a sua marca.

Afinal de contas quem é que não quer ter sua marca sendo divulgada para um público consideravelmente qualificado, ou seja, que verdadeiramente vai consumir o seu produto/serviço.

Storytelling e Assuntos/’Pautas’ que geram discussões

Mídia tradicional, Blogs e Influenciadores. Podemos colocar todos em um ‘mesmo saco’ quando o assunto é a busca de conteúdo que atraia audiência e gere mais alcance. .

Essa tendência é super importante para empresas/indivíduos que estão em busca de maior notoriedade e credibilidade em um determinado mercado de atuação. Converse com a assessoria de imprensa sobre os melhores temas e assuntos que, de fato, irão promover um debate entre a opinião pública.

Dentro dessa perspectiva é essencial que o assessor tenha habilidade de saber saber construir um bom Storytelling, ou seja saber contar histórias de maneira interessante, que desperte o interesse das mídias tradicionais quanto das mídias digitais.

Marketing de Conteúdo se funde a Assessoria de Imprensa

Um assessoria de imprensa que foca única e exclusivamente no disparo de press release, notas e follow up certamente estará fadada ao insucesso na hora de apresentar resultados ao cliente. É preciso produzir conteúdo relevante que vai além do viés institucional da empresa. O assessor traduz o problema ou necessidades dos clientes da sua empresa e transforma em conteúdo de qualidade.

É importante que, ao pensar no assunto do press release, automaticamente a assessoria de imprensa adapte esse mesmo conteúdo a um formato de blog post com hiperlinks e outros elementos de otimização para web.

Lembrando que conteúdo não é apenas texto. Pode ser foto, vídeo, infográfico… A ideia é que o assessor insira em sua estratégia a utilização do conteúdo em multiplataformas.

Menos Press Release e Mais Estratégia

Foi-se o tempo que o press release era um dos processos indispensáveis no relacionamento com a imprensa. É óbvio que esse material informativo facilita a vida do jornalista que recebe inúmeras sugestões diariamente.

Entretanto, o que faz a diferença no trabalho da assessoria de imprensa é saber aproveitar ao máximo o que existe de factual e posicionar o cliente com pautas de serviço, temas que aportam valor na vida das pessoas. É possível identificar assuntos relevantes para sociedade em qualquer tipo de negócio. Até mesmo empresas tradicionais e com soluções engessadas podem ajudar as pessoas a resolverem problemas do cotidiano.

Comitê Executivo de produtividade do TJCE define metas para 2019-2020

Posted on Updated on

O Comitê Executivo (Coex) Estratégico do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) se reuniu para definir metas de produtividade para o biênio 2019-2021. A reunião foi conduzida pelo chefe do Judiciário estadual, desembargador Washington Araújo.

No encontro, o secretário de Planejamento e Gestão do Tribunal, Sérgio Mendes, apresentou os resultados da produtividade de 2018. Conforme levantamento da Secretaria de Planejamento, mesmo tendo apresentado o menor orçamento e a menor despesa por habitante entre os tribunais estaduais de médio porte do país em 2017, bem como a segunda menor quantidade de servidores, o TJCE conseguiu, em 2018, reduzir a taxa de congestionamento e aumentar os índices de atendimento à demanda,e os de baixas e julgamentos por magistrado.

Em seguida, foram apresentadas projeções para os anos de 2019 e 2020. O estudo, desenvolvido pela Secretaria de Planejamento e Gestão do Tribunal, mostra melhoria significativa nos resultados da taxa de congestionamento e dos demais indicadores para os próximos anos, levando-se em consideração a seleção de mais juízes leigos e a contratação de estagiários de pós-graduação.

Também participaram da reunião os juízes auxiliares da Presidência, Luciano Lima e Alexandre Sá; a diretora do Fórum Clóvis Beviláqua, juíza Ana Cristina Esmeraldo; além dos superintendentes, secretários, assessores e servidores do Tribunal de Justiça.

OAB divulga relatório sobre violações de direitos no sistema carcerário do Ceará

Posted on Updated on

A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), por meio da Comissão de Direitos Humanos, numa ação conjunta com várias entidades, divulga relatório que sistematiza as denúncias de violações de direitos no sistema penitenciário do Ceará. “A sistematização das denúncias recebidas por diversos órgãos de proteção aos direitos humanos tem o objetivo de encaminhar para as autoridades as constatações e pedir a tomada de providências, destaca Virgínia Porto, presidente da Comissão.

O documento foi produzido a partir da escuta de familiares de presos, em audiência pública realizada pela OAB-CE, no dia 23 de janeiro de 2019. É também fruto de uma atuação articulada de diversos atores da sociedade civil e do Poder Público, coordenada pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (CEDH). O relatório foi formulado em razão da dificuldade de gestão das inúmeras denúncias de violações de direitos, recebidas por diversas instâncias, desde o início dos ataques, no dia 02 de janeiro desde ano.

Constatações

A comissão constatou que as condições para a eclosão da crise da segurança pública que o estado do Ceará vem enfrentando já estavam dadas

e vinham se agravando nos últimos anos, conforme já vinham alertando especialistas na área e organizações da sociedade civil. A política eminentemente repressiva de caráter ostensivo, a despeito de passar uma maior sensação de segurança à população ou fazer diminuir os ataques, não se sustentam a longo prazo e não vão à raiz dos problemas. Além do que tem provocado violências e arbitrariedades dentro e fora do sistema prisional. A população, especialmente a periférica, tem sofrido as conseqüências de modo mais cruel, já que os ataques se deram, sobretudo, nos bairros da periferia e afetaram serviços públicos como transporte e coleta de lixo, e por outro, é essa parcela da população, especialmente a juventude, os principais suspeitos e detidos como responsáveis pelas ações criminosas, sendo muitas vezes alvo de operações e apreensões ilegais e arbitrárias.

Questiona-se a política adotada no interior das unidades desde o início deste ano, pautada na restrição de direitos e nos famigerados procedimentos, além do já exposto quanto à legalidade e indícios de práticas de tortura, é preciso que se pergunte o que se quer fomentar quando se direciona a todos/as os/as presos/as massificada, não individualizada e de isolamento, como se estivessem todos em uma unidade de segurança máxima? Parte-se do pressuposto de que a crise da Políticas de Segurança Pública e a Penitenciária tem raízes bastante profundas que vem crescendo ao longo de muitos anos e que, portanto, não há solução mágica, ou seja fácil e rápida para a questão. Por outro lado, percebe-se que o foco dado ao longo desses anos, eminentemente repressor, não tem obtido resultados – e a crise atual prova isso- e, portanto, precisa ser corrigido.

Recomendações

Ante a todo o exposto, e considerando o que se propõe o presente Relatório, a OAB-CE apresentou as seguintes recomendações, de cunho emergencial, compreendendo que outras medidas, sobretudo as de médio e longo prazo, devam ser agregadas a esta:

  1. Que a Secretaria de Administração Penitenciária garanta o fornecimento de água potável e alimentação sadia para todos os internos bem como organize as refeições com a adequação nutricional e provisão de dietas específicas para atendimentos de questões médicas e religiosas;
  2. Que a Secretaria de Administração Penitenciária garanta o suprimento de vestuário e materiais de higiene básica em quantidade suficiente para todos os internos;
  3. Que a Secretaria de Administração Penitenciária proveja colchões aos/as presos/as;
  4. Que a Secretaria de Administração Penitenciária coordene um processo de construção de um planejamento interinstitucional de segurança preventivo e interventivo da unidade com participação do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Conselho Penitenciário do Estado do Ceará, Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Tortura e da Ordem dos Advogados do Brasil;
  5. Que a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) investigue as denúncias de uso excessivo da força e arbitrariedades nos procedimentos realizados nas unidades prisionais do Ceará;
  6. Que a Secretaria de Administração Penitenciária, Poder Judiciário, Defensoria Pública e Ministério Público realizem uma ação articulada para análise dos processos dos presos nas unidades prisionais da RMF, como também para aqueles que foram transferidos o interior do Estado para essas unidades, visando dirimir a demora processual e a superlotação das unidades;
  7. Que a Secretaria de Administração Penitenciária realize a assistência aos familiares e visitantes de presos transferidos do interior do Estado para as unidades da Região Metropolitana de Fortaleza, de modo a assegurar a visita social;
  8. Que a Secretaria de Administração Penitenciária instale câmera de videomonitoramento das áreas comuns das unidades prisionais
  9. Que sejam vedadas as sanções disciplinares coletivas e ilegais e que o Ministério Público instaure procedimento para investigar possíveis casos de abuso de poder e tortura;
  10. Que a Secretaria de Segurança Pública instaure procedimentos investigatórios das mortes ocorridas no Sistema Prisional nesse período e que seja acompanhados pelo Ministério Público;
  11. Que seja instituída uma política para fornecimento de insumos complementares como ventiladores, televisores, livros, dentre outros, de modo que os/as presos/as possam ter acesso de modo regrado e controlado;
  12. Que a Secretaria da Administração Penitenciária forneça informação clara e segura sobre a situação dos/das presos/as para seus familiares;
  13. Que a Defensoria Pública reforçe a assistência jurídica aos/as presos/as e acusado, desde o momento da apreensão, passando pela audiência de custódia, até a execução da pena;
  14. Que haja a efetiva criação e instalação do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Ceará pelo Governo do Estado;
  15. Que o Conselho Estadual de Direitos Humanos, dado sua missão institucional, seja chamado a participar da construção, planejamento e monitoramento das políticas (planos e programas) Prisional e de Segurança Pública.

Declaração de Imposto de Renda tem início nesta quinta-feira (7.3)

Posted on Updated on

O contribuinte precavido já está preparado para a declaração do imposto de renda que está com prazo mais curto esse ano. Iniciando nesta quinta-feira (7 de março), a declaração segue até o dia 30 de abril e é obrigatória para contribuintes brasileiros que ganham mais que o teto-base estipulado pelo fisco do governo federal.

Em 2019 o procedimento traz algumas novidades que devem ser observadas com atenção pelo declarante. “A principal mudança em relação ao ano passado é que será exigido CPF para qualquer dependente. No ano passado a exigência era apenas para crianças acima de oito anos, então é importante que pais que tenham dependentes sem CPF providenciem logo”, aponta Daniel Carvalho, contador e sócio da Rui Cadete Consultores.

A declaração é feita a partir do programa gerador do Imposto de Renda 2019, cujo download pode ser feito por meio da página da Internet da Secretaria da Receita Federal. No entanto, o ideal é ter o auxílio de um especialista para que a declaração seja feita sem erros e dentro do prazo estabelecido. “O profissional capacitado consegue fazer todas as análises necessárias para não gerar problemas de malha fiscal junto à Receita Federal ou até mesmo evitar problemas de créditos junto a bancos ou outras instituições financeiras”, destaca Daniel.

Os contribuintes que se adiantarem têm o benefício de realizar uma consulta antecipada durante o período de transmissão de inconsistências da declaração e para realizar sua retificação sem cair na malha fiscal. Além disso, os que começarem a declarar ainda no início de março são recompensados com o pagamento antecipado da restituição do Imposto de Renda, caso exista. Esse pagamento começa em junho e segue até dezembro para os que não caíram na malha fina. Por outro lado, os que se atrasarem ou que não realizarem a declaração estão sujeitos à multa mínima de R$ 165,74 até 20% do imposto devido.

Quem deve declarar

Devem declarar os contribuintes que tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 e os que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superiores a R$ 40.000,00. Além disso, quem também realizou venda de bens e direitos (imóveis, veículos, ações) com ganho de capital, teve a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro de 2018, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00. Os que tiveram, em 2018, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural também precisam declarar imposto.

Abracem esclarece sobre atividades de coaching

Posted on Updated on

A Associação Brasileira de Coaching Executivo e Empresarial (Abracem) listou uma série de assuntos acerca do coaching. é uma entidade jurídica, sem fins lucrativos, formada por profissionais experientes da área de Recursos Humanos, que promove, divulga e exerce esta atividade em um elevado nível de excelência técnica, relacional e ética.

A Abracem tem como foco incentivar o estudo, a pesquisa e o desenvolvimento do Coaching Executivo e Empresarial em todos os seus aspectos.

Confira:

Cenários Nacional e Internacional

  • Crescimento de coaches
    Segundo Rosa Krausz, Coach Executiva e Empresarial, Fundadora e atual Diretora Científica e de Formação da ABRACEM, a primeira consideração a ser feita é que coaching é um campo de atividades aberto, não legalizado, nem controlado por nenhuma entidade oficial ou oficiosa, nem nacional, nem internacional.

“Por esta razão, não há como considerar que existe um grupo minimamente homogêneo de pessoas que caibam sob um único guarda-chuva. Com o tempo, foram criadas várias ramificações como coaching de vida, coaching de casais, coaching para adolescentes ou coaching para estudantes”, diz Rosa.

Embora exista demanda para este tipo de serviço, o único segmento que apresenta algumas características em comum é o Coaching Executivo e Empresarial. “Trata-se de uma especialidade que tem hoje um lugar conquistado na academia e conta, inclusive, com cursos de pós-graduação na Inglaterra e na Austrália”, explica a executiva.

  • O mercado
    Há coaches de vida que cobram R$ 50,00 por hora, enquanto outros, que atendem empresas e executivos, chegam a cobrar R$ 2.000,00 por sessão de 50 minutos. Os preços variam também segundo a região.

Observa-se um crescimento quantitativo, porém, com relativa perda de qualidade em virtude da banalização e da distorção promovida por certos meios de comunicação a respeito do real significado do que seja coaching

Um levantamento realizado em 2017 pelo Sherpa Coaching Survey, nos Estados Unidos, indica que o índice de confiança em processos de coaching nos últimos 4 anos decresceu de 104 para 72, provavelmente em virtude destas distorções.

“Outro ponto que também sinaliza esta falta de confiança vigente no mercado é o fato de as pessoas recorrerem à sua rede de relacionamento para encontrar um coach, como indica o Sherpa Coaching Survey, reforça Rosa.

Em 2016, um levantamento realizado pela ICF, com aproximadamente 15 mil pessoas relacionadas ao coaching, colheu dados sobre os futuros obstáculos previstos. O maior obstáculo foi justamente a falta de formação dos que se autodenominam coaches, com 44% de indicações, seguido da confusão do mercado com 28% e a saturação do mercado com 10%. Estes dados se aplicam também à realidade brasileira atual

Diferenças da Psicologia

  • Coaching x transtornos de comportamento
    Liana Gus Gomes, Coach Executiva e Empresarial, Psicóloga e Presidente da ABRACEM, acredita ser importante diferenciar processos de coaching de processos de psicoterapia. “O coaching não é uma profissão regulamentada e nem de exclusividade dos profissionais de saúde mental, como o psicólogo ou psiquiatra, por exemplo. Sendo assim, problemas de ansiedade ou depressão, se assim diagnosticados, devem ser tratados por profissionais capacitados e habilitados para tal, como os citados acima”.

No entanto, de acordo com Liana, os processos de coaching podem aliviar sintomas nesta área, se estes estiverem, de alguma forma, vinculados aos temas que o processo de coaching está abordando. “Dizemos que processos de coaching podem ter efeitos terapêuticos, mas não são processos de psicoterapia”, afirma.

  • Psicologia comportamental
    O coaching é um campo de ação transdisciplinar e influenciado por várias áreas do conhecimento, como a sociologia, a administração, a andragogia e a psicologia. Neste sentido, segundo Liana, as linhas teóricas da psicologia são uma base teórica bastante importante para a atuação do coach. “Cabe ressaltar que, de acordo com a formação do coach, este irá basear e sustentar sua atuação a partir da linha teórica com a qual se identifica e domina”.

Entre as linhas, há diversas: Psicologia Positiva, humanista, psicodinâmica, entre outras. Liana conta que a Teoria Cognitivo Comportamental é uma das abordagens teóricas que mais se utiliza. Sob esta perspectiva, o coach pode gerar maior reflexão, contribuindo para que o coachee (seu cliente) tenha maior autoconsciência de seus pensamentos e, como consequência, a forma como se sente e se comporta.

“Neste sentido, ambos os processos buscam maior autoconsciência e autonomia, mas com focos diferentes que podem se potencializar mutuamente, desde que respeitados os limites de cada um deles”.

Counseling e Mentoring

  • O que é o counseling
    Segundo Yara Leal de Carvalho, Coach Executiva e Empresarial, Psicóloga e Diretora da ABRACEM, o counseling é um processo de interação entre o counselor e uma pessoa que está passando por uma crise, cujo objetivo é apoiar o cliente a tomar decisões de caráter pessoal ou profissional. O objetivo é analisar possibilidades de ação, ajudando o cliente por meio de aconselhamento, encorajamento e apoio emocional.
  • O que é o mentoring
    Mentoring envolve uma pessoa experiente que ajuda outra em um momento de carreira anterior. “O mentor é um guia que possui vasta experiência no campo de atuação do mentee. Atualmente, ainda temos a mentoria reversa, onde um jovem que, por exemplo, domine tecnologia ofereça mentoring para um executivo mais maduro e experiente”, conta Yara.
  • O que é tutoring
    A tutoria e o mentoring podem ser considerados sinônimos em algumas situações, sendo que o termo tutor é mais usado na área pedagógica, onde determinado número de alunos pode ter um tutor que vai acompanhar o seu desenvolvimento acadêmico. A tutoria é realizada com base na experiência do tutor e em benefício do desenvolvimento dos tutorados.
  • Como essas especializações se diferenciam do coaching
    De acordo com Yara, coaching é um processo estruturado, não diretivo, que se orienta do presente para o futuro (do estado atual para o estado desejado), no qual o coach estabelece uma parceria com o cliente a fim de ajudá-lo a atingir seus sonhos e objetivos. “Por meio de perguntas e reflexões, o profissional incentiva a mudança, a ação e o aprendizado, para que o cliente obtenha respostas novas e eficazes na realização daquilo que deseja”, finaliza Yara.

Os melhores investimentos de Renda Fixa com R$ 1 mil

Posted on Updated on

Renda Fixa é um tipo de investimento em que as pessoas conhecem ou podem prever a rentabilidade, antes mesmo de realizar a operação. Investir em Renda Fixa é o mesmo que emprestar dinheiro para alguém, só que nesse caso você estará emprestando dinheiro para o emissor, que pode ser um banco, uma empresa ou o próprio governo, e em contrapartida o investidor recebe uma remuneração por emprestar esse dinheiro, os juros. Diferentemente da renda variável, por exemplo como a Bolsa de Valores, onde a rentabilidade não é garantida e é possível ter algum prejuízo, pois esse tipo de investimentos oscila de acordo com situações cotidianas, políticas e econômicas, que fazem o mercado perder ou ganhar confiança.

A cultura brasileira de guardar dinheiro na poupança é muito ultrapassada, pois é um dinheiro que não irá crescer e a Renda Fixa é uma alternativa para casos assim, em que o investidor tem receio de outras aplicações, como a bolsa de valores, por exemplo. Na Nova Futura Investimentos, o Economista e Operador de Renda Fixa, André Alírio, explica que é possível conseguir boa rentabilidade com títulos privados, como a LCI que é um título oferecido eventualmente pela corretora, que tem uma maior vantagem, pois é isenta do imposto de renda, e chega a ter rendimento de 97% do CDI no prazo de um ano. Todos os CDBs e LCs oferecidos pela corretora, são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), o que traz segurança para aporte até R$ 250 mil por instituição financeira. “Investir em títulos de Renda Fixa, é uma oportunidade de ver o dinheiro crescer, com baixo riscos, o que acaba atraindo investidores mais conservadores. No Brasil temos uma taxa de juros relativamente alta, o que melhora a relação de risco e retorno, beneficiando os investimentos em Renda Fixa que passam a render mais”, finaliza André Alírio.

Um dos grandes diferencias da Renda Fixa é que sua carteira é dinâmica, tendo exposição a diversos ativos ao mesmo tempo, sendo algo simultâneo. Além de ser possível diminuir, significativamente, os riscos, a Renda Fixa contém também ativos com liquidez muito atrativa, já que alguns podem ter seu regaste solicitado a qualquer momento.

Coema-CE abre consulta pública sobre reformulação do licenciamento ambiental

Posted on Updated on

O Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) do Ceará está recebendo manifestações em consulta pública para a proposta de resolução que reformula as regras do licenciamento ambiental. O objetivo é atualizar a resolução que está em vigor há quatro anos, a fim de dar mais clareza e segurança jurídica às decisões da Semace e dos empreendedores. O documento está disponível no site da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), autora da propositura.

As sugestões podem ser enviadas por qualquer interessado pelo e-mail coema@semace.ce.gov.br, até 10 de março. As contribuições serão analisadas pelo grupo de trabalho do Coema responsável por revisar a proposta, antes da votação, marcada para a sessão do colegiado do dia 4 de abril.

Audiência pública
De acordo com o secretário do Coema e superintendente da Semace, Carlos Alberto Mendes, que coordena o GT, “também fará uma audiência pública, no dia 14 de março, para discutir com a sociedade a minuta de resolução e colher novas sugestões ao texto”. O grupo é formado por representantes de 13 das 37 entidades com assento no colegiado. Oito reuniões já foram realizadas, desde janeiro.

A proposta simplifica os procedimentos para obter uma licença de operação, amplia prazos de vigência e a prerrogativa de renovação por autodeclaração. As novas regras seguem a legislação federal e não relaxam o rigor em relação aos empreendimentos de maior potencial poluidor-degradador. O documento foi elaborado, depois de uma série de encontros técnicos com representantes dos segmentos produtivos.

Caucaia (CE) se integra a evento nacional de artesanato

Posted on Updated on

A Prefeitura de Caucaia, por meio da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura (Secult), está participando da Feira Nacional de Artesanato e Cultura no Ceará (Fenacce) 2019. O evento se realiza até hoje (7 de abril), no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza.

A Secult participará na condição de expositora e no apoio a diversas manifestações de arte e cultura de Caucaia. Um stand será reservado para a difusão e comercialização de produtos oriundos de nossos artistas, com artesanato e apresentações culturais.

Duplicatas eletrônicas oferecem mais agilidade

Posted on Updated on

A duplicata é um título de crédito. Uma empresa faz uma venda a prazo, emite a nota fiscal e a partir da nota emitirá também a duplicata. Sua emissão é facultativa, e esse documento servirá para fazer a cobrança futuramente. Alem disso, são utilizadas pelas empresas para receberem de uma vez só o dinheiro referente a uma compra parcelada. Atualmente esses títulos tem que ser validados em cartórios para que sejam aceitos nos bancos, e assim o vendedor consiga resgatar o dinheiro em uma única parcela. Com as duplicatas eletrônicas, o processo se torna mais ágil.

“O que mudará com a duplicata eletrônica será que, após sua emissão, esse documento deve ser registrado numa certificadora e dessa forma, as informações registradas da duplicata ficarão públicas, passíveis de terem a veracidade conferida, sendo assim quando a empresa for ao banco fazer a antecipação dos recebíveis, como a duplicata já estará registrada numa certificadora, agilizará o processo de aceitação, pois as informações já estarão disponíveis para a consulta.” explica o Economista-chefe da DMI Group.

A circulação de duplicatas eletrônicas deve se difundir no Brasil após a sanção do PL 13.775/18 no mês passado, pelo Presidente Michel Temer. “Este sistema, em nossa visão, tornará mais rápidas as transações comerciais e o processo de concessão de crédito a pequenas e médias empresas. As operações eletrônicas, contando com regulamentação adequada, possuem menor risco de fraude e geram dados que podem ser cruzados com outras informações, o que resulta na adequada mensuração do risco de crédito. Isto pode contribuir também para a queda da taxa de juros ao tomador”, comenta o Economista-Chefe Daniel Xavier, da DMI Group.

Constituída em 2011 a DMI Group é uma empresa focada na estruturação e gestão de fundos de Private Equity, no entanto, possui também sob gestão Fundos Multimercados e de Direitos Creditórios. Habitualmente investe em companhias que possuam nichos diferenciados de mercado e apresentem alta expectativa de retorno.

Com um patrimônio sob gestão de US$ 600 milhões, a DMI Group estuda investimentos em empresas de capital aberto e fechado. A expertise do grupo é a fusão e aquisição de empresas de um mesmo setor, visando sua consolidação e posterior venda a um player estratégico, turnaround em companhias com problemas financeiros, ou processo de IPO no Brasil e no exterior. Atualmente a DMI Group conta em seu portfólio com a Companhia de Transporte de Gás (CTG), Vapor Energia, Bio5 e Orion Energia.