Instituto EDP abre inscrições do Edital 2020 para seleção de projetos sociais

Posted on Updated on

Projetos de apoio ao Esporte, Cultura, Saúde, Educação e ao idoso, que estejam interessados em receber incentivo para fins de desenvolvimento ou expansão, terão até 30 de setembro para se inscreverem no edital do Instituto EDP, organização que coordena as ações socioambientais do Grupo EDP.

As inscrições podem ser feitas pelo portal https://bussolasocial.com.br/institutoedp. Serão destinados mais de R$ 7 milhões de reais por meio de verba direta e incentivada às iniciativas.

Poderão se candidatar propostas para as áreas de concessão das distribuidoras da EDP em São Paulo e Espírito Santo, além das regiões onde estão os empreendimentos da Empresa, Tocantins, Ceará e Amapá, além do Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul, estados que têm a presença da EDP Renováveis. Para participar da seleção, as organizações deverão preencher o cadastro no portal, sendo que os projetos incentivados, deverão anexar cópia do Diário Oficial da União com a aprovação do Projeto na respectiva Lei de incentivo, com data para captação de recursos. Para os projetos culturais incentivados, serão aceitos apenas projetos para o Ceará, Rio Grande do Norte e do Rio Grande do Sul.

O processo de seleção será realizado em quatro etapas: adequação aos critérios gerais de elegibilidade, avaliação qualitativa e classificação pelo comitê de seleção, visitas técnicas e de negociação, e análise documental. O resultado do edital será divulgado em 17 de novembro.

Conheça a categoria dos projetos:

* Projetos Culturais  

Para participação na categoria Projetos Culturais é necessária aprovação prévia na Lei Federal de Incentivo à Cultura, (Lei n° 8.313/91 – artigo 18), devidamente comprovada por cópia da publicação da aprovação do projeto junto ao Ministério da Cultura no Diário Oficial da União. 

Prioridade: Formação Artística e Cultural. Apenas projetos dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e do Rio Grande do Sul.

* Projetos Esportivos 

Para participação na categoria Projetos Esportivos é necessária aprovação prévia na Lei Federal de Incentivo ao Esporte (Lei 11.438/06), devidamente comprovada por cópia da publicação da aprovação do projeto junto ao Ministério do Esporte no Diário Oficial da União. 

Prioridade: Formação Esportiva. 

* Projetos Sociais voltados à Criança e ao Adolescente 

Para participação na categoria Projetos Sociais de Atenção à Criança e ao Adolescente é necessária aprovação prévia na Lei Federal nº 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente, devidamente comprovado conforme exigências do órgão responsável (Municipal, Estadual ou Federal). 

Prioridade: Formação Cultural e Esportiva.

* Projetos Sociais voltados ao Idoso 

Para participação na categoria Projetos Sociais de Atenção ao Idoso é necessária aprovação prévia na Lei Federal nº 10.741/03 – Estatuto do Idoso, devidamente comprovado conforme exigências do órgão responsável (Municipal, Estadual ou Federal) Prioridade: Saúde e Acolhimento.

* Projetos voltados à Saúde – PRONON

Para participação na categoria de Projetos voltados à Saúde – PRONON é necessária aprovação prévia ou comprovação do pedido na Lei Federal nº 12.715/12, PRONON, devidamente comprovado conforme exigências do Ministério da Saúde.

Prioridade: Combate ao Câncer Infantil.

* Projetos voltados à Saúde – PRONAS

Para participação na categoria de Projetos voltados à Saúde – PRONAS é necessária aprovação prévia ou comprovação do pedido na Lei Federal nº 12.715/12, – PRONAS devidamente comprovado conforme exigências do Ministério da Saúde.

Prioridade: Saúde e Acolhimento.

* Projetos com verba direta

Para participar da categoria de Projetos com verba direta, não há necessidade de aprovação prévia, porém, só serão aceitos projetos de organizações sociais sem fins lucrativos.

Prioridade: Educação (Formal e Inclusão Digital) e Desenvolvimento Local.

Os projetos apresentados devem ter duração mínima de seis meses e máxima de 12 meses, devendo iniciar no ano de 2020.

Sobre o IEDP

Desde que foi fundado em 2008, o Instituto EDP investiu mais de R$ 100 milhões em projetos socioculturais, que beneficiaram cerca de três milhões de pessoas, em cerca de 400 programas espalhados por todo o País. Somente em 2018,  iniciativas apoiadas pela organização favoreceram 80 mil moradores das comunidades do entorno das áreas de atuação da Companhia. O Instituto EDP tem como responsabilidade estruturar os investimentos e as iniciativas sociais da EDP em frentes ligadas à valorização da Língua Portuguesa, à educação, ao desenvolvimento local com geração de renda, ao empreendedorismo e ao voluntariado, por meio do esporte, cultura e saúde.

Com gestão compartilhada, startups melhoram engajamento e cultura da inovação

Posted on Updated on

O que faz cada vez mais algumas empresas, consideradas tradicionais, se conectarem, e até se espelharem, nas startups? Certamente porque estas últimas conseguem promover ações de maneira muito mais rápida e isso facilita a cultura da inovação.

Essa busca por novidades e melhorias na gestão vai além da criação (ou adoção) de apps ou produtos, ela passa por um novo modelo de gestão, que contempla a readequação de processos internos e a maneira como as lideranças das empresas lidam com seus funcionários.

Na gestão compartilhada, os líderes deixam de ser os únicos a decidirem. Os colaboradores passam a ter voz para dar sugestões e a fazer parte da tomada de decisão. A hierarquia, portanto, deixa de existir.

Nesse modelo de administração, os líderes valorizam as contribuições da equipe e isso traz retorno positivo para a empresa. Dessa forma, é estabelecida uma cultura que estimula a inovação.

A Mutual é uma fintech (startup de tecnologia para serviços financeiros) que adota a gestão compartilhada. Todas as decisões de negócio são sempre tomadas por um comitê de liderança que tem o CEO e mais 4 diretores. Todos esses diretores, por sua vez, têm o papel de engajar e dar voz ativa aos seus times para que possam também opinar. Isso gera um sentimento de pertencimento e motiva os funcionários a realmente vestirem a camisa da Mutual. Uma ideia de um colaborador, por exemplo, já aumentou o ticket médio de investidores (quem empresta dinheiro) em 40% na plataforma de empréstimos entre pessoas da fintech.

Outro exemplo de sucesso é da Comprovei, startup de tecnologia para logística. Com cerca de 20 funcionários, o CEO e os 3 diretores se reúnem toda sexta-feira com os funcionários e a pauta é sempre ouvir novas ideias de como os produtos, processos internos e até o relacionamento com os clientes podem ser cada vez melhores. Nessas reuniões, os funcionários são encorajados a darem suas opiniões e a não ter medo de errar, mesmo que suas sugestões não sejam adotadas pela startup ou que alguma outra ideia sugerida anteriormente não tenha dado certo após ser utilizada ou testada. Além do maior engajamento para resolver desafios do negócio, desde processos internos até problemas enfrentados por clientes, outro importante resultada verificado pela startup foi o “turnover 0” após essa iniciativa.  

E, para facilitar a cultura da colaboração nas empresas, existem até aplicativos especializados em dar voz aos funcionários (e aos clientes também). Ele permite que as pessoas contribuam de forma coletiva com ideias para inovar em produtos, serviços e processos. O app da startup Waggl permite que os colaboradores deem sua opinião, sempre de forma anônima. O objetivo é ajudar a liderança a otimizar a análise das ideias sugeridas e a promover uma maior interação dos times em direção à solução de um determinado desafio da empresa. 

Cresce número de pedidos de orçamentos para obras corporativas

Posted on Updated on

Indicadores da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que, depois de um primeiro semestre de queda, a confiança na indústria melhorou em agosto: o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu para 59,4 pontos. Com a alta de 2,9 ponto em relação a junho, o índice está 4,9 pontos acima da média histórica. O ICEI-Construção, que aponta a confiança na construção civil, apresenta 58,5 pontos em agosto; sete a mais que no mesmo período de 2018. De acordo com a CNI, a pesquisa confirma que os empresários do setor esperam o crescimento do nível de atividade, dos novos empreendimentos e serviços, das compras de insumos e matérias-primas e do número de empregados nos próximos meses.

Fundada há mais de 50 anos, a A.Yoshii atua na construção e incorporação de empreendimentos imobiliários residenciais nos estados de Paraná e São Paulo, além de atender grandes construções industriais em variados segmentos da economia em todo país, como: usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio e energia. Destacam-se os projetos desenvolvidos para o Colégio Marista em Brasília (DF), fábrica da Honda em Sumaré (SP), PUCRS em Porto Alegre (RS), Brose do Brasil em São José dos Pinhais (PR) e Centro de Tecnologia Klabin (CTK) em Ortigueira (PR). Entregue recentemente e com mais de 4.000 metros quadrados, o CTK recebeu o prêmio da principal competição de design internacional, realizada anualmente, A’ Design Award 2018-2019, na categoria Arquitetura, Construção e Design de Estruturas.

Segundo o gerente técnico comercial do grupo A.Yoshii, Evandro Zagatto, o índice de intenção de investimentos aumentou no primeiro semestre de 2019, em relação ao mesmo período do ano passado. Este resultado foi influenciado pelo cenário político e econômico brasileiro, que apresentou mudanças significativas no comportamento das empresas contratantes. “Esse panorama tem despertado a curiosidade de todos, principalmente quando o assunto é investimento, o que demonstra que as empresas estão ‘desengavetando’ seus projetos e pensando em expansões ou ampliações. No entanto, em posse dos orçamentos, ainda aguardam o melhor momento para investir. Ou seja, existe a vontade ou necessidade de crescer, porém, ainda existe insegurança com relação ao melhor momento em fazê-lo”, explica.

Diferenciais

O compromisso com o tempo de entrega levou a A.Yoshii a conquistar a confiança do mercado. A empresa se orgulha de nunca ter atrasado uma obra e de, muitas vezes, ter entregado com antecedência. “A A.Yoshii assume este compromisso: prazo respeitado, cliente valorizado. Além disso, nossa equipe de Qualidade busca garantir as melhores práticas em todas as etapas de nossos projetos. Obtemos a rastreabilidade de materiais e serviços executados, realizamos todos os ensaios de controles tecnológicos e dimensionais aplicáveis. Atendemos todos os requisitos normativos legais e específicos do cliente, atestando qualidade de nossos trabalhos através da elaboração de data books que são entregues no final de cada obra”, detalha Evandro.

Em todas as obras, a construtora possui uma equipe especializada em saúde, segurança e meio ambiente, garantindo a proteção da integridade física de todos os colaboradores. A principal meta em segurança é acidente zero. Para isso, a empresa atua de forma sistemática para proteger a vida, além de seguir a legislação trabalhista e normas regulamentadoras.

Além de segurança do trabalho, capacitação técnica e gestão de pessoas, o prazo de entrega é um diferencial nas obras da A.Yoshii. De acordo com Zagatto, “por conta da cultura interna presente na empresa, nossos colaboradores atuam para que todas as obras sejam entregues até mesmo antes do prazo. Este é um compromisso que assumimos com nossos clientes”, celebra o gerente técnico comercial.

Instituto Diageo inscreve para programa gratuito de formação de bartenders

Posted on Updated on

O Instituto Diageo está com inscrições abertas em Fortaleza (CE) para o seu programa Learning for Life, que oferece formação profissional gratuita na função de bartender. O programa é destinado a jovens de baixa renda, de ambos os sexos e realiza inscrições até o dia 20 de setembro. Promovido em parceria com a Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), a Escola de Vida, Sabor e Arte (EVISA) e o Instituto de Desenvolvimento Social e da Cidadania (IDESC), constitui-se em porta de acesso para jovens trabalharem com coquetelaria em bares e restaurantes ou até empreenderem nessa área que passa por grande expansão, ligada ao turismo e à gastronomia.

Para se candidatar ao processo seletivo, é preciso ter entre 18 e 29 anos, ter ensino médio concluído ou em andamento, estar em trabalho informal ou desempregado e ter renda familiar de até quatro salários mínimos. Para se inscrever, os interessados devem comparecer à Rua Valdetário Mota, 970, bairro Papicu, com a seguinte documentação: cópia do RG ou CNH, comprovante de matrícula ou de conclusão do ensino médio, comprovante de endereço e carteira de trabalho. 

O curso será realizado no período de 30 de setembro a 6 de dezembro, com aulas de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h, na EVISA. No Learning for Life, os participantes recebem mais do que aulas teóricas e práticas. Também debatem valores de cidadania e cooperação, aprendem a importância de o bartender conscientizar sobre o consumo responsável de bebidas alcoólicas; e terminam o programa com uma vivência prática em bares e restaurantes. Outras informações podem ser obtidas via telefone (85) 3101-2731. 

Programa social

O Learning for Life é desenvolvido no Ceará desde 2012 e já formou 695 bartenders. No Brasil, o programa é desenvolvido desde o ano 2000, registrando mais de 21 mil beneficiados. Atualmente, está presente em seis cidades: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Escola Aba Tapeba, de Caucaia (CE), participa de evento da Unesco em MG

Posted on Updated on

/admin/view/noticia/img/20190912163646unesco_aba_tapeba_indio.jpg

A educação indígena de Caucaia está sendo destaque no XXV Encontro Nacional do Programa das Escolas Associadas à Unesco do Brasil, que ocorre até esta sexta-feira (13/9) em Ouro Preto (MG). A Escola de Ensino Infantil e Ensino Fundamental (EEIEF) Aba Tapeba é a única escola pública cearense – bem como a única escola municipal do Brasil – a fazer parte do evento.

Para a coordenadora de Programas e Projetos da Secretaria Municipal de Educação (SME), professora Andrea Herculano, “é muito gratificante ter uma escola indígena de Caucaia representando projetos com potencial transformador e contribuem para a conscientização da necessidade urgente de se preservar a nossa cultura nativa, especialmente no ano internacional das línguas indígenas.”

No Congresso, os alunos apresentaram a participantes de todo o Brasil uma música em tupi, como resgate da língua materna, e um vídeo com costumes e rituais como o toré, demonstrando o trabalho realizado na educação de Caucaia para preservar a cultura dos povos nativos, que em Caucaia são representados pelas etnias Tapeba e Anacé.

A secretária municipal de Educação, professora Camila Bezerra, destaca que a educação indígena no município é especialmente eficaz porque consegue “aliar os conteúdos da Base Nacional Comum Curricular a uma proposta específica na qual inserimos saberes presentes na comunidade através de uma pedagogia de projetos cujo planejamento é elaborado de acordo com a realidade, modo de vida, tradições e crenças dessas comunidades.”

Nas sete unidades escolares indígenas de Caucaia, os povos tradicionais têm seus conhecimentos reconhecidos, reforçados e valorizados. Segundo Thiago Anacé, técnico do Núcleo de Educação Indígena da SME, “Caucaia tem se destacado na articulação, diálogo e sensibilidade, no respeito e valorização desses povos e dessas pedagogias. É uma atitude inovadora e louvável dentre as politicas educacionais do município.”

EDUCAÇÃO INDÍGENA
Caucaia concentra 30% de todos os índios do Ceará. Atualmente, a rede municipal de ensino de Caucaia conta com cerca de 1.600 alunos divididos em 88 turmas da Educação Infantil ao Ensino Fundamental II, em sete unidades escolares. Ao todo, são 126 professores e 11 gestores.

BNP Paribas Cardif amplia aliança com o varejo brasileiro

Posted on Updated on

A BNP Paribas Cardif, uma das empresas do grupo francês BNP Paribas, ampliou sua atuação no mercado varejista brasileiro com uma nova parceria com o Walmart, que recentemente se reposicionou como Grupo Big. A aliança abrange a comercialização de seguros de Garantia Estendida e de Roubo e Furto Qualificado de Portáteis com Quebra Acidental, por um prazo inicial de cinco anos.

A companhia atua no segmento de seguros massificados no Brasil há mais de 19 anos. Seus principais canais de distribuição são as lojas físicas e e-commerces de parceiros de negócios, presentes nos mercados de Varejo, Automóveis, Bancos e Financeiras.

Constrói relações de longo prazo com grandes players do mercado, ofertando soluções completas para a venda de seguros. Ferramentas digitais, agilidade e excelência no atendimento reforçam a preocupação da BNP Paribas Cardif em oferecer uma experiência positiva também aos clientes dos parceiros, além do desenvolvimento de produtos que se adaptem à realidade e perfil do consumidor brasileiro.

Com essa nova parceria com o Walmart/ Grupo Big, a empresa se consolida como uma das seguradoras líderes e especialistas na distribuição de seguros no Varejo, com parcerias também com: Magazine Luiza, Banco Carrefour, B2W, Máquina de Vendas, Herval, Kalunga, Telhanorte, Lojas Colombo, Fujioka etc.

“Estamos muito felizes por acompanhar o Grupo Big nessa nova parceria. Unir forças com uma empresa que está investindo em seu crescimento e modernização é, sem dúvida, uma excelente oportunidade. Não mediremos esforços para atender às expectativas e demonstrar toda a capacidade de execução e inovação da Cardif. O nosso objetivo comum é oferecer ainda mais segurança e tranquilidade aos clientes do Grupo Big”, afirma Alessandro Deodato, CEO da BNP Paribas Cardif.

Produtos

Garantia Estendida: com este seguro, é possível prolongar o prazo de proteção de bens como eletroeletrônicos, eletrodomésticos e portáteis além do período oferecido pelo fabricante. Em caso de defeitos ou falhas em que haja cobertura, o cliente recebe o suporte da seguradora na indicação de profissionais especializados no conserto ou na reposição do produto.

Roubo e Furto Qualificado de Portáteis com Quebra Acidental: este seguro deixa o consumidor mais tranquilo ao utilizar seus aparelhos portáteis no dia a dia, pois tem o objetivo de repor o aparelho eletrônico segurado, em casos de roubo ou furto qualificado ou de reparar os danos causados por acidentes de origem acidental, externa, súbita e involuntária.

Sobre a BNP Paribas Cardif

Líder mundial em seguros de crédito, a BNP Paribas Cardif tem um papel essencial na vida dos clientes segurados, fornecendo soluções econômicas que permitem a realização de objetivos com a proteção contra eventos inesperados. Como uma empresa comprometida, a BNP Paribas Cardif se esforça para ter um impacto positivo na sociedade e contribuir para que os seguros sejam acessíveis ao maior número de pessoas possível. Em um mundo moldado pela emergência de novos usos e estilos de vida, a companhia, subsidiária do Grupo BNP Paribas, tem um modelo único de negócio, ancorado em parcerias.

A BNP Paribas Cardif é cocriadora de soluções com cerca de 500 parceiros distribuidores em uma variedade de setores (bancos e instituições financeiras, empresas automotivas, varejistas, telecomunicações, companhi as de energia, consultores financeiros etc) que comercializam os produtos para seus consumidores. BNP Paribas Cardif é uma reconhecida especialista global em seguros pessoais, servindo mais de 100 milhões de clientes, em 35 países, com fortes posições em três regiões – Europa, Ásia e América Latina. Com mais de 10 mil colaboradores no mundo todo, a empresa atingiu um faturamento de 31,8 bilhões de euros em 2018.

Acrísio Sena e Queiroz Filho representam Ceará em encontro de presidentes de comissões de Educação

Posted on Updated on

Presidente e vice da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa do Ceará, os deputados Queiroz Filho (PDT) e Acrísio Sena (PT), respectivamente, representam o Estado no “2° Encontro Nacional de Presidentes e Vice-presidentes de Comissões de Educação das Assembleias Legislativas”, que acontece nesta sexta-feira (13.9) e sábado (14.9), em Cuiabá (MT).

“Tenho a honra de participar deste encontro e apresentar um pouco das temáticas que temos defendido na Casa, como a importância de acompanhamento psicológico na rede pública de ensino e a criação de frentes parlamentares em defesa do Fundeb e da Primeira Infância. O papel da Comissão é de escutar, de debater, fazer encaminhamentos de propostas e tenho plena convicção que será uma vivência muito rica para todos”, disse Queiroz Filho.

O evento, que acontecerá no Teatro Zulmira Canarravos, na Assembleia Legislativa do Mato Grosso, terá com abertura a audiência pública com o tema “A Reforma Tributária e o Impacto da Educação”. Painéis sobre o Novo Fundeb e o Plano Nacional de Educação também integram a programação.

O objetivo final do encontro é o lançamento do Pacto Pelo Fundeb e da Frente Parlamentar entre as Assembleias Legislativas e as Câmaras Municipais. “A sustentabilidade do Fundeb e o financiamento da educação são temas que não podemos ignorar. Na disputa de narrativas que vivemos no Brasil, é importante priorizarmos, independentemente de ideologia, os nossos jovens, que são o futuro do nosso país”, afirma Queiroz.

Ansiedade e Burnout: quando transtornos impactam o gestor

Posted on Updated on

Segundo pesquisa da empresa de recrutamento Robert Half, os profissionais brasileiros são os mais estressados do mundo. A empresa entrevistou quase 1.800 gestores de RH em 13 países e constatou que o profissional brasileiro é o que mais sofre com a pressão e o excesso de trabalho. De acordo com a pesquisa, 52% dos entrevistados reclamaram da alta carga de trabalho, e 44% sentem falta do reconhecimento de seus esforços. Não é à toa que muitos profissionais acabam desenvolvendo transtornos de ansiedade.

Os mais comuns são: transtorno de ansiedade generalizada, transtorno de pânico, transtorno obsessivo compulsivo, transtorno de estresse pós-traumático, fobia social e fobias específicas. A posição de liderança demanda bastante do gestor e este, se não estiver preparado para lidar com as demandas e conflitos do grupo, tende a se desequilibrar, o que pode ser um dos impulsionadores da ansiedade. No entanto, aspectos emocionais, especialmente a capacidade de lidar com a inteligência emocional, impactam bastante. O gestor deve saber captar, absorver e conduzir a ansiedade e a expectativa do grupo, orientando-os e intervindo quando julgar necessário. 

Na realidade, todos esperam que um gestor tenha maturidade emocional (ou “quociente emocional”) e consiga gerenciar e controlar sua própria ansiedade, além de lidar com a ansiedade do grupo que ele lidera. Ele é a referência desse grupo, e uma de suas funções é administrar essa teia de situações potencialmente ansiógenas que permeiam a dinâmica da equipe. O líder precisa ser capaz de ter autocontrole, autoconhecimento e experiência para transmitir tranquilidade e direção ao grupo, em todo tipo de situação.

Muitas vezes, só um trabalho psicoterápico permite que ele se conheça mais a fundo e se desenvolva emocionalmente, de modo a saber lidar com suas próprias ansiedades e as da equipe. Se o transtorno de ansiedade não for tratado, gestor e a sua equipe podem caminhar para um “naufrágio”. Neste sentido, ele “afunda” sua carreira, pois não terá condições de gerenciar adequadamente as situações de tensão que certamente ocorrem no ambiente corporativo. Daí, além da ansiedade, virá o sentimento de frustração, decorrente de uma expectativa não realizada, de uma sensação de incapacidade ou de percepção de que “não sou tão competente quanto imaginava”. Para tornar o cenário ainda mais complexo, vale lembrar que a imagem de um profissional não permite tantos “deslizes” como no âmbito social/pessoal. O mercado é competitivo, principalmente no momento em que vivemos agora, e qualquer erro ou demonstração de instabilidade pode acarretar sua substituição por outro profissional que tenha mais equilíbrio emocional. 

Síndrome de Burnout – o mal do século XXI

A síndrome de Burnout vem aparecendo cada vez mais em diversas profissões, sendo consequência do excesso ou sobrecarga de trabalho. Como o próprio nome diz, a pessoa se sente literalmente exausta, esgotada física e psicologicamente, seja por causa do número de horas trabalhadas, seja pelo estresse provocado pelas condições de trabalho. O uso crescente de recursos tecnológicos e da informática mudou o modo de trabalhar; a aceleração da velocidade de comunicação e a integração global trouxe a demanda por muitas horas de trabalho em geral sob forte pressão de desempenho.

Nestas condições surge novamente a exaustão, caracterizada pelo desânimo, dificuldade de raciocínio, ansiedade, preocupação, irritabilidade, sensação de incapacidade ou inferioridade, diminuição da motivação e da criatividade, aparecimento de transtornos mentais e doenças físicas. 

Já a privação do sono gera a síndrome de Burnout por vários fatores: quando o profissional não dorme o suficiente para ser produtivo; quando ele faz hora extra até tarde da noite, prejudicando a rotina do sono; quando viaja muito a trabalho para diferentes Países, desregulando seu relógio biológico; ou até mesmo quando muda repentinamente de cargo, e precisa alterar o turno da tarde para o turno da noite, por exemplo.

Isso resulta em uma extrema exaustão, pois o organismo, que já está habituado com um determinado padrão de sono, sofre um forte impacto, precisando de tempo e resistência para se readequar à nova rotina do profissional. Uma consequência frequente é o uso de drogas (álcool, tabaco, além das drogas ilícitas) como forma de alívio. É importante estar alerta a esta situação que agravará ainda mais a condição física e mental do indivíduo.

O mesmo pode ser dito da automedicação. Além das condições adversas e estressantes de trabalho, algumas características da personalidade são consideradas importantes para o aparecimento da síndrome de exaustão. Pessoas muito competitivas, ambiciosas, com dificuldade para delegar, absorvendo tudo para si, fazendo do trabalho sua única atividade tem maior chance de desenvolver exaustão. Por outro lado, pessoas inseguras, necessitadas de reconhecimento pelos outros, com dificuldade de colocar limites e abrindo mão de suas próprias necessidades também estão mais vulneráveis ao Burnout. 

E o que fazer para prevenir a síndrome de exaustão? A primeira e óbvia recomendação é descanso físico e mental. O equilíbrio entre o trabalho e as atividades físicas, de lazer, o encontro com os amigos e outras é o primeiro passo. Mudanças de atitudes, de expectativas, de hábitos de vida podem também auxiliar na prevenção. Nos casos em que a síndrome de Burnout já está instalada, recomenda-se buscar auxílio médico especializado para avaliação do quadro e orientação quanto ao tratamento. Especialmente no caso das pessoas cujas características de personalidade as tornam mais propensas ao Burnout, a psicoterapia é um complemento importante, pois o problema está muitas vezes dentro da pessoa, e não tanto em suas condições de trabalho.  

Caso aconteça alguma situação que tenha saído do controle do gestor, será necessário um esforço grande e de longo prazo para que ele tenha nova oportunidade para mostrar que reviu suas posições e aprendeu a lidar com suas próprias ansiedades. Como já dito, às vezes esse amadurecimento emocional só é obtido com um trabalho psicoterápico específico. O importante é buscar ajuda ao menor sinal de que algo não vai bem.

Lei Geral de Proteção de Dados: como a nova regulamentação impactará os negócios? (#LGPD)

Posted on Updated on

Ameaças e ataques virtuais estão cada vez mais comuns e temidos pelas empresas, sejam de pequeno, médio ou grande porte e de todas as atividades empresariais. Com diversos ambientes automatizados e com grande volume de dados pessoais de clientes, as organizações precisam estar cada vez mais preocupadas com a segurança das informações guardadas por elas.

Em diversos países, existem padrões de proteção, regulamentação e uso das informações públicas e privadas, com critérios mínimos para permitir a atividade e manuseio de dados no ambiente online e offline. Foi pensando nisto que, em agosto de 2018, no Brasil, foi sancionada uma lei que impõe regras sobre a coleta e o tratamento de informações de pessoas por empresas, pessoas físicas e órgãos públicos. É Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrará em vigor em agosto de 2020.

Para o advogado Rafael Amaral Borba, sócio do escritório BPH Advogados (Blumenau/SC), a nova regulamentação é necessária para a adequação do Brasil à própria economia internacional. “Por exemplo, empresas de países e blocos econômicos que possuem uma legislação de proteção de dados pessoais, poderiam se recusar a fechar negócios com países que não possuem legislação com o mesmo nível de proteção”, explica.

Penalidades previstas pela LGPD

As empresas que não se adequarem à LGPD estarão sujeitas a multas que podem chegar a 2% do faturamento da empresa ou grupo econômico,  limitado a R$ 50 milhões, além de penalidades em caso de descumprimento e violação das regras relativas à proteção e privacidade dos dados.

“Embora as multas sejam assustadoras, é importante salientar que para algumas organizações, o pior cenário seria a sanção de publicização da infração, uma publicidade negativa decorrente de uma ocorrência de vazamento de dados, que pode causar prejuízos irreparáveis nas empresas, por exemplo, as empresas que possuem ações na bolsa valores podem sofrer impacto extremamente negativo e queda de suas ações”, explica Borba.

Para as empresas e organizações públicas, a grande mudança com a chegada da nova lei, será fornecer as informações de forma clara e simples, de modo que os indivíduos possam saber como são obtidos, armazenados e compartilhados seus dados. Além de possibilitar ao cidadão, a revogação, portabilidade e a retificação de suas informações.

A LGPD trará grandes mudanças e impactos para as empresas. Entretanto, a lei pode gerar benefícios para as organizações que decidirem implementar as regulamentações. “Uma empresa preocupada com a segurança de dados pessoais terá o diferencial de competitividade de mercado, gerará riqueza, resultando em benefício direto na imagem do negócio, é essa cultura positiva que devemos disseminar no Brasil com o advento da LGPD”, finaliza o advogado.

Pagar contas é o objetivo de 56% dos consumidores que vão sacar o FGTS, diz pesquisa

Posted on Updated on

Resultado de imagem para fgts

Sessenta e oito por cento dos consumidores entrevistados pela Boa Vista, em uma pesquisa realizada entre os meses de agosto e setembro, em todo o país, têm direito ao saque imediato do FGTS no valor de R$ 500. Deste percentual, 67% pretendem realizar o saque tão logo ele seja liberado. Considerando apenas os consumidores desempregados, o percentual aumenta para 81%. 

A pesquisa também identificou que 56% dos que farão o saque do FGTS utilizarão o dinheiro para pagar as contas, sendo que 42% irão pagar as que estão atrasadas e 14% as que estão em dia. 

O levantamento da Boa Vista identificou ainda que guardar o valor do FGTS será a opção de 14% dos consumidores entrevistados que farão o saque. Outros 12% afirmam que pretendem usar o valor para fazer compras no varejo. 6% para fazer viagens. Por fim, outros 12% dos consumidores usarão o valor com outros fins. 

Não irão sacar
Ainda dentro dos 68% dos consumidores que possuem o direito do saque, 33% afirmam não pretender retirar o valor do FGTS. Quando questionados sobre o motivo, 64% por não enxergarem necessidade em fazer o saque, ao passo que 28% não consideram o valor suficiente. 8% apontam outros motivos não especificados.

Tipos de contas
Sobre os tipos de conta que pretendem pagar com o valor do FGTS, 37% disseram que pagarão débitos do cartão de crédito. Dívidas pagas com boleto serão a finalidade do FGTS de 27% dos consumidores que farão o saque. 11% usarão o valor para o pagamento de dívidas de crediário, enquanto 10% pagarão empréstimos. 7% usarão o dinheiro para pagar despesas normalmente pagas com cheques. Contas de telefone (6%) e financiamento de automóvel (2%) foram os outros tipos de dívidas apontadas.

Comprometimento da renda
A pesquisa também questionou os consumidores que pretendem pagar contas com o saque do FGTS sobre o quanto essas dívidas representam no orçamento familiar. Para 78%, as contas representam mais de 25% do orçamento doméstico. Para 22%, as dívidas apontadas como destino do FGTS representam menos de 25% da renda familiar mensal.

Volume de dívidas
Para 46% dos consumidores que farão o saque, o valor do FGTS possibilitará o pagamento de menos da metade das dívidas. 14% afirmam conseguirão pagar todos os débitos com o valor do saque. Já para 9% mais da metade das contas poderão ser pagas com o valor do saque. Os 31% restantes afirmam que utilizarão o valor para outros fins.

Controle das finanças
Para 52% dos consumidores que pretendem fazer o saque imediato do FGTS, a quantia possibilitará retomar totalmente o controle das finanças pessoais. Para 24%, o saque permitirá retomar o controle do orçamento apenas em parte. Para os outros 24%, esse valor não possibilitará a retomada das finanças.

Metodologia
A pesquisa sobre o uso do FGTS foi feita pela Boa Vista entre os meses de agosto e setembro, de forma quantitativa, com cerca de 300 respondentes. Os resultados consideram 5% de margem de erro.